PROGRAMAÇÃO DE MARÇO 2019 DO CCBB BRASÍLIA

Em março o Centro Cultural Banco do Brasil Brasília está com uma programação imperdível! As atividades no Teatro estarão de volta, após o período de reforma, com o espetáculo “Vigiar e Punir” a partir do dia 21. Com adaptação do texto do filósofo Michel Foucault para o teatro de bonecos, a peça aborda os conceitos de punição e vigilância na sociedade contemporânea e tem direção de Giorgia Goldoni e Leonardo Garcia Gonçalves.

Nas galerias do CCBB, a exposição “50 anos de Realismo” apresenta, até o dia 28 de abril, impressionantes obras hiper-realistas desde pinturas e esculturas até modelos de realidade virtual. No cinema, as produções de Vera Chytilová vão enriquecer o mês das mulheres, trazendo ao conhecimento do público a Grande Dama do cinema tcheco, que nos anos 60 lutou contra o nazismo produzindo filmes que criticavam o contexto político-social da Tchecoslováquia na época. E ainda, em homenagem ao dia da mulher, a mostra terá meia entrada para mulheres

Até dia 10 de março, a mostra “Scorsese” exibe de maneira inédita no Brasil todos os 25 longas-metragens de ficção de Martin Scorsese, entre eles clássicos como: “Os Bons companheiros (1990) ”, “O Lobo de Wall Street (2013)” e “Os Infiltrados (2006)”, que deu ao diretor o Oscar de melhor direção. Além disso, acontecerão as visitas mediadas, oficinas e ações inclusivas nas atividades do Programa Educativo.


EXPOSIÇÃO

50 Anos de Realismo – do Fotorrealismo à Realidade Virtual
A exposição, com cerca de 90 obras de 30 artistas, entre brasileiros e estrangeiros, tem como ponto inicial a realidade e sua representação através da pintura, da escultura e da realidade virtual nos últimos 50 anos. A proposta possui um caráter de ineditismo, pois o fenômeno da representação da realidade na arte contemporânea nunca foi tratado partindo do fotorrealismo, sendo este aprimorado no hiper-realismo, seguido da perspectiva de expansão futura da realidade virtual.
Serviço:
50 Anos de Realismo – do Fotorrealismo à Realidade Virtual
Até 28 de abril
Terça a domingo, das 9h às 21h
Galeria I
Entrada Franca mediante retirada de bilhete gratuito.
Classificação Indicativa: Livre


CÊNICAS

Vigiar e punir
O espetáculo mostra a evolução dos conceitos de punição e vigilância dentro da sociedade contemporânea. Por meio de bonecos inspirados em quadros de Goya e Bosch e com linguagem de bufão, o texto de Michel Foucault é retomado de forma poética, tateando o teatro pós-dramático. A peça evidencia, com humor sarcástico, como a sociedade de controle e vigilância de hoje desconstrói os desejos e impulsos naturais do indivíduo comum na busca de uma "normalização" silenciosa para amansá-lo. Direção e Elenco : Giorgia Goldoni e Leonardo Garcia Gonçalves.
Serviço:
Teatro
De 21 de março a 31 de março
De quinta a domingo (Quinta a sábado 20h, Domingo 19h)
Ingressos: R$ 30,00 (Inteira) e R$ 15,00 (Meia)
Classificação indicativa: 16 anos


CINEMA

Scorsese
Pela primeira vez no Brasil Martin Scorsese ganha um panorama com os primeiros curtas, documentários, e todos os longas-metragens de ficção de sua carreira. A retrospectiva exibirá 33 produções entre documentários e todos os longas-metragens de ficção do diretor, desde o filme Quem Bate à Minha Porta? (1967), até O Lobo de Wall Street (2013), passando por clássicos como Taxi Driver (1976), primeira Palma de Ouro de Scorsese, Os Infiltrados (2006), que deu a Scorsese o Oscar de direção, e, ainda, raridades como Sexy e Marginal (1972) e Caminhos Perigosos (1973).
Serviço:
Até 10 de março de 2019
Cinema
Terça a domingo
Confira a programação completa e a classificação indicativa em culturabancodobrasil.com.br.

Vera Chytilová
Rebelde, feminista e crítica da sociedade contemporânea: esses são alguns adjetivos que descrevem a cineasta Vera Chytilová, a grande dama do cinema tcheco nos anos 60. Seu estilo era marcado por uma intensa militância contra o nazismo e tinha influência do Neo-Realismo Italiano e da Nouvelle Vague Francesa, movimento no qual estava inserida. Misturando observações do dia-a-dia com alegorias surrealistas, a diretora produzia filmes permeados por discursos satíricos que criticavam o contexto político-social tcheco, marcado pelo fim da Segunda Guerra Mundial e da expansão soviética. Até o fim de sua carreira, Vera lutou para produzir arte em um período de intensa censura e resistiu a imposições e rótulos. Quando questionada por jornais dizia: “Eu era ousada o suficiente para querer liberdade absoluta - mesmo se isso fosse um erro".
Serviço:
De 12 a 31 de março
Cinema
Ingressos: R$ 5,00 (meia) e R$ 10,00 (inteira).
Confira a programação completa e a classificação indicativa em bb.com.br/cultura.


PROGRAMA EDUCATIVO

Março de 2019
Desenvolve ações que estimulam experiência, criação, investigação e reflexão através de processos pedagógicos, artísticos e curatoriais. Essas partilhas acontecem por meio de trocas culturais e metodologias de educação que garantem acesso amplo e inclusivo ao patrimônio e sua diversidade.

A programação dialoga com as exposições e demais agendas dos Centros Culturais Banco do Brasil. Destina-se a todos os públicos com ações inclusivas e afirmativas para estreitar as relações com a comunidade escolar, educadores, pessoas com deficiência, famílias, organizações não-governamentais, artistas, movimentos sociais, profissionais dos campos da arte e da cultura e interessados.

As atividades dialogam com os arredores do CCBB, com o Museu do Banco do Brasil e com a exposição “50 anos de Realismo – do Fotorrealismo à Realidade Virtual”, em temporada de 05 de fevereiro até 28 de abril de 2019.

Para conhecer mais, veja o programa completo no site: www.ccbbeducativo.com


ATIVIDADES

Destaques do mês // Especial Mês da Mulher
. Lugar de Criação – Sábados, domingos e feriados
. Atividade Extra: Dia Mundial da Água
. Atividade Extra: Dia da Saúde - Yoga com música para crianças e bebês
. Com a Palavra... com Clarice Gonçalves
. Curso: Transversalidades com Suzete Venturelli
. Múltiplo Ancestral com as Batuqueiras
. Espaço de Convivência

Visitas educativas agendadas
Ter, Qua, Qui, Sex
Duração: 1h30
E-mail para agendamento: agendamentodf@ccbbeducativo.com

Os educadores realizam visitas agendadas, inclusivas, com grupos escolares e não escolares, visando criar um espaço de diálogos e trocas de experiências e saberes aliado às práticas artísticas, culturais e sociais, abordadas pelas exposições e demais programações do CCBB. As visitas são oferecidas nas manhãs, tardes e noites, para acolher os estudantes na sua diversidade de realidades e contextos educacionais.

No momento do agendamento é possível escolher entre opções de visitas com atelier, visita à exposição ou visita patrimonial. Às quintas, às 14h30 há um horário disponível para a visita em Libras, exclusivo para grupos agendados.

Visitas mediadas
Ter, de 11h às 12h | 17h às 18h | 18h às 19h
Qua a sex, de 11h às 12h | 18h às 19h
Sáb, de 12h às 13h | 18h às 19h
Domingos e feriados, de 12h às 13h | 16h às 17h
Até 20 pessoas. Não necessita agendamento.
O grupo será formado 15 minutos antes do horário da visita.

Nesta visita os educadores se juntam ao público, para dialogar, compartilhar e trocar olhares, leituras e produções de significados em torno das produções, práticas, contextos e trajetórias dos artistas que participam do acervo do Museu do Banco do Brasil ou da exposição “50 anos de Realismo – do Fotorrealismo à Realidade Virtual”.

Visitas mediadas em libras
Sex às 19h e sáb às 15h
Até 20 pessoas. Não necessita agendamento.
O grupo será formado 15 minutos antes do horário da visita.

Seguindo os mesmos princípios da visita mediada, a visita em Libras é realizada em Libras com tradução em português. Ela acolhe pessoas surdas e/ou com deficiência auditiva e ouvintes, numa experiência compartilhada com os educadores das exposições. São realizadas duas vezes por semana, com dias e horários pré-definidos por cada CCBB, sem necessidade de agendamento.

Lugar de criação em libras
Sáb, às 16h

O Lugar de Criação em Libras é um convite para você descobrir uma outra maneira de comunicar, ouvir com os olhos e falar com as mãos! Nesta atividade são propostas formas de aprender a Língua Brasileira de Sinais através de jogos, imagens, histórias e do exercício da criatividade.

Lugar de Criação
De 2 a 31 de março
Sáb, dom e feriados, de 10h às 12h e de 14h às 16h

Lugar de criação
Dias 2 | 6*| 9 e 10 | 16 e 17 | 23 e 24 | 30 e 31
De 10h às 12h e das 14h às 16h.
No dia 6 de março o Lugar de Criação ocorrerá apenas das 14h às 16h

Todos os fins de semana e feriados, os educadores do CCBB desenvolvem uma programação especial visando a ocupação, a convivência, a criação e o diálogo com a arte, para as crianças e suas famílias. Também é um espaço que recebe artistas e educadores residentes, para se juntam a nossa equipe no desenvolvimento de propostas específicas, para integrar adultos e crianças em processos de experiência com a arte.

As atividades são voltadas para crianças e famílias em quatro fins de semana:

Dia 2 - Campo das maravilhas
Já pensou em construir um lugar que só existe na sua imaginação? E se nós reuníssemos todos esses lugares produzidos por várias pessoas em um só gramado? Esse é o nosso Campo das Maravilhas.

Dia 6* - Caleidoscópio
Há mais de 200 anos o caleidoscópio encanta o mundo. Mas como fazemos um? De quais materiais precisamos? Na oficina de caleidoscópio aprenderemos a fazer nosso próprio objeto, através da mixagem de cores e do jogo de espelhos.

Dias 9 e 10 – Câmara escura com celular
Câmara escura e celulares são ambos meios de ver imagens, um é usado desde o Renascimento, o outro está tão presente no nosso dia a dia, que muitos desconhecem a máquina fotográfica. Mas que imagens conseguimos produzir quando um celular é aliado a uma câmara escura? Isso é o que veremos nessa atividade.

Dias 16 e 17 – Monstros de argila
Monstro/mostrar_mostrar/monstro_mãos que mostram monstros.

Que corpos nossas mãos são capazes de produzir? Com argila e muito desapego vamos criar seres de outras realidades e de formas desconhecidas no nosso dia a dia. Onde habita esse monstro? Como ele vive? Estas e outras são inquietações indagadas nessa atividade.

Dia 23 e 24 – Fotocolagem
Uma foto é sempre um retrato da realidade? Utilizando revistas, jornais e fotografias, convidamos o público a criar suas próprias narrativas, com total liberdade para mudar significados, reorientar imagens e intervir na suposta realidade.

Dias 30 e 31 – As sombras enganam...
As sombras correspondem exatamente àquilo que as projetam? Nessa atividade iremos disponibilizar diferentes objetos que, quando combinados, poderão dar forma a outras coisas, algumas delas talvez desconhecidas. A partir da projeção das sombras na parede, iremos descobrir formas resultantes de combinações possíveis.

Atividade Extra – Dia Mundial da Água (LIBRAS)
23 de março, sáb, às 17h
Contação de histórias e oficina com Yana Marull

Yana Marull vai nos levar com ela para um sobrevoo na Amazônia: a partir das histórias que estão em seu livro "Os rios voadores", viveremos uma aventura pela Amazônia em um intrépido avião nos leva a conhecer muitos segredos da incrível floresta, da água e como ela é importante para o mundo. Em seguida, a escritora realizará uma oficina com as crianças e suas famílias, a contação se complementa com a entretida construção de um livro a partir de simples folha de papel. Vamos colorir e construir!

Yana Marull é jornalista, escritora e ilustradora. Por quase 20 anos foi correspondente internacional na América do Sul. Se especializou na temática ambiental, sustentabilidade, biomas, mudança do clima. Desde 2012 escreve, ilustra livros e organiza oficinas para aproximar professores, jovens e crianças do meio ambiente, da ciência e da natureza, com muita arte. Mais em www.yanamarull.com

Atividade Extra – Dia da Saúde
31 de março, dom, às 16h
CantoAr: Yoga com Música para crianças e bebês com Nambir Kaur e Onkar Savitri Kaur

A partir dos ensinamentos do Kundalini Yoga, Nambir Kaur e Onkar Savitri Kaur propõem uma forma encantadora e musicada de proporcionar às crianças, bebês e suas famílias uma experiência de conexão e bem-estar a partir da prática do Yoga. Vamos juntos experimentar?

Sobre as convidadas: Onkar Savitri Kaur é musicista autodidata, estuda música desde os 14 anos e oferece aulas de musicalização, canto e violão. Ja integrou as bandas Canela de Ema, Jeca Total, Saci Weré e participou da companhia de arte negra Obará. E junto a Nambir Kaur ensina yoga para crianças na creche pública Olhos D’agua.

Nambir Kaur é professora de Kundalini Yoga para adultos, gestantes, puérperas, bebês e crianças pequenas. É também terapeuta ayurvédica e estudante de harpa na EMB. Dedica sua energia e missão em ensinar as técnicas e os ensinamentos do yoga desde a primeira infância. É autoria do “Pequeno CanGuru – manual de yoga para bebês e crianças pequenas”. Estuda yoga e ayurveda para bebês e crianças, realizou formações no Brasil e Estados Unidos.

Com a Palavra...
Dia 16 de março, sáb, 17h
Convidada: Clarice Gonçalves
Duração: 1h | Capacidade para até 30 pessoas

Visitas para o público espontâneo, realizadas por especialistas ou profissionais referências em temas diversos. Aborda a exposição “50 Anos de Realismo: do Fotorrealismo à Realidade Virtual” a partir de outros campos, olhares, modos de conhecer e de se relacionar com a arte.

Sobre a convidada: Clarice Gonçalves Graduou-se em Artes Plásticas em 2008 pela Universidade de Brasília. A partir da linguagem da pintura, em 2004 começou a expor, tendo recebido, em 2010, o Diploma de Excelência no 9th female artist’s art anual award – Art Addiction online Gallery – London e outros prêmios em salões nacionais. Em 2012 realizou sua primeira individual em São Paulo. Em 2013, nasceu seu filho. Fez sua primeira atuação em uma mostra paralela a 12a Bienal de Havana, em 2015. Em 2014 lançou seu primeiro livro "Clarice Gonçalves - O som do silêncio", pela editora Briquet de Lemos, com curadoria e textos de Graça Ramos, além de textos de Juliana Monachesi e Mário Gioia. Possui obras em acervos públicos e privados. Além de sua pesquisa em pintura, enveredou pela escultura em cerâmica e pela gastronomia, o que a aproximou do movimento Slow Food, das plantas comestíveis não convencionais e dos processos de fermentação de alimentos orgânicos e sustentáveis. Atualmente desenvolve duas frentes de trabalho: os fermentados e a pintura, produzindo obras para sua próxima individual em Brasília. Foi criada, vive e trabalha em Taguatinga - DF.


CURSOS:

Transversalidades (LIBRAS)
21 de março, qui, 19h às 21h
Processo de inscrição por formulário on-line: www.ccbbeducativo.com
Convidada: Suzete Venturelli

Curso para professores e educadores, que aborda temas transversais aos campos da educação e da arte, conectando as questões presentes nas exposições, às urgências e reflexões cotidianas. Tem entre seus temas as práticas artísticas e sociais, a memória, a produção de subjetividades, de territórios e de patrimônios. É ministrado por profissionais convidados de áreas diversas.

Sinopse desta edição: Da essência e da existência na realidade ampliada

A realidade é o que é oferecido de maneira tangível à nossa experiência? O mundo que se desdobra, o que sentimos e o que sabemos é a nossa realidade? De Aristóteles a Descartes e até mesmo num passado muito recente, as construções científicas e sociais da realidade basearam-se inteiramente nas concepções de um espaço com três dimensões e um tempo definido por uma progressão contínua e linear. A partir de Hegel ela é a unidade imediata, que se produziu, da essência e da existência, ou do interno e do externo. Ela é a essência que se atualizou como existência, ou o interno que se manifestou efetivamente no externo. As questões de fundo que se apresentam na palestra estão relacionadas com a percepção e o conhecimento que temos do mundo como a diferenciação entre a realidade natural e realidade simulada, a objetividade da realidade, o papel do observador e a relação entre o observador interno e o externo, que transitam na realidade ampliada.

Sobre a convidada: Pesquisadora artista e professora. Realizou pós-doutorado na Universidade de São Paulo (2014); doutorado em Artes e Ciências da Arte, na Universidade Sorbonne Paris I (1988). Desde 1986 é professora, artista e pesquisadora da Universidade de Brasília, departamento de Artes Visuais. Publicou os livros Arte: espaço_tempo_imagem (2004), Imagem Interativa (2008) e Arte Computacional (2017), pela Editora da Universidade de Brasília (Edunb). Organizou e publicou em co-autoria, com François Soulages e Biagio D'Ângelo os livros Frontières des Mouvements Autophotobiographématiques (2016); De la photographie au post-digital: Du contemporain au post-contemporain (2017) e Esthétique et connectivité (2018), pela Editora L'Harmattan. Sua produção artística, científica e tecnológica envolve a Arte Computacional, Arte e Tecnologia, Realidade Virtual, Mundos Virtuais, Animação, Arte digital, Ambientes Virtuais, Sound Art e Imagem Interativa. Coordena os Encontros Internacionais de Arte e Tecnologia (#ART). Em 2004, concebe F69, um gamearte apresentado na Bienal Internacional de Arte e Tecnologia, Emoção Art.ficial 2.0. Faz curadoria de exposições, como Cinético_Digital (2005) no Itaú Cultural em São Paulo, ao lado de Mônica Tavares (2005); Humano_pós_Humano , Centro Cutural Banco do Brasil (2005), Seconde Nature com obras de Miguel Chevalier (2010), no Espaço Cultural Marcantônio Villaça, Brasília. Visual Music, no Centro Cultural Banco do Brasil (2016). Alguns prêmios recebidos: XPTA_LAB, Ministério de Cultura e Sociedade dos Amigos da Cinemateca; Prêmio Festival latino americano e africano de arte e cultura; Prêmio Funarte de Arte Contemporânea; Prêmio Rumos Arte Cibernética com trabalhos de Iniciação Científica. Recebeu apoio para realização de projetos e eventos por meio de vários editais de fomento à pesquisa do CNPq, Fapdf, Capes, Funarte. Atualmente é Professora Titular da Universidade de Brasília (UnB) e Professora da Universidade Anhembi Morumbi. Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Múltiplo ancestral – com o grupo as Batuqueiras
30 de março, sáb, às 17h

O Múltiplo Ancestral é uma plataforma de trocas entre o público, as mestras e mestres ligados a diferentes saberes e práticas culturais, articulando a memória, o afeto e o patrimônio.

Sobre as convidadas: Batuqueiras é um grupo musical formado só por mulheres, que utiliza a força da percussão, os ritmos regionais brasileiros e outras manifestações culturais como expressão artística. As Batuqueiras são: Taynã Menezes, Mirella Dias, Fernanda Rosa, Layza Christiane e Lirys Catharina.

Espaço de Convivência - “50 anos de Realismo – do Fotorrealismo à Realidade Virtual”
5 de fevereiro a 28 de abril
Ter a dom, na Sala Multiuso, das 9h às 21h

O Espaço de Convivência do Programa CCBB Educativo – Arte e Educação convida ao encontro, à pausa e ao diálogo. Aqui acolhemos todos os públicos em suas diferenças e singularidades, e afirmamos nosso compromisso com a acessibilidade, a diversidade e a inclusão. Por meio de tecnologias assistivas, atividades e vídeos, você vai encontrar conteúdos relacionados à exposição “50 anos de Realismo – do Fotorrealismo à Realidade Virtual” e informações sobre o programa e as atividades que teremos nesses meses durante a exposição!

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário