Festival Latinidades 2022 anuncia programação presencial em Brasília

Com o objetivo de privilegiar e destacar a produção artística, cultural e intelectual de mulheres negras para todos os públicos, o 15º Festival Latinidades será realizado de 22 a 24 de julho, no Museu Nacional de Brasília. Sob o tema Mulheres Negras - todas as alternativas passam por nós, serão 50 homenageadas, dentre as quais Epsy Campell (Costa Rica), Sueli Carneiro (SP), Kátia Tapety (PI), Mãe Beth de Oxum (PE), Valdecir Nascimento (SA), Mãe Dora de Oyá (DF), Nilcemar Nogueira (RJ) e Mãe Baiana (DF).

O festival volta, este ano, à forma presencial. Desenvolvido pelo Instituto Afrolatinas, o projeto parte do lugar das artes e da cultura para dialogar, disputar narrativas e fortalecer diferentes saberes de mulheres negras: na academia, na rua, na escola, no chão de fábrica, na comunicação, nos movimentos sociais, na gestão de políticas públicas, na diversidade infinita das nossas potências e possibilidades de produção de conhecimento.

Há 30 anos, comemora-se a 25 de julho o Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha. O Festival Latinidades, responsável por popularizar sua agenda no Brasil, vem sendo realizado desde 2008, há 15 anos, na mesma data. Nesse sentido, durante o festival serão gravadas entrevistas e materiais que darão origem a um documentário internacional, contribuição do projeto para a salvaguarda de patrimônios imateriais ligados ao assunto.

Ao longo desse tempo, o Latinidades reuniu 350 mil pessoas de forma direta, estendendo-se a 2,5 milhões indiretamente. “O Latinidades é um festival multilinguagens onde histórias, saberes e potências se conectam. Uma casa de mulheres negras. Um palco de todas as artes. Um espaço de encontro, encanto, celebração e cura. Uma vitrine viva das potências, legados e produções de mulheres negras. Um espaço de formação, diversão e afetividade, desde 2008”, relembra a sócio-fundadora Jaqueline Fernandes.

Antes da agenda oficial, acontecem três atividades “esquentas” na periferia do Distrito Federal. A primeira delas é voltada para os pequenos: sessão de música, pintura no rosto e contação de história na fundação educacional (dia 15 de julho) e da Casa Afrolatinas (dia 16), ambas no Varjão. O dia 22 de julho será a vez das meninas que moram na Cidade Estrutural. Com 14 a 15 anos, elas vão ter um dia de beleza e cuidados, uma feira de profissões para inspirar seus futuros e um bailinho de debutante.

Depois de dois anos de vivências e edições online, o Festival Latinidades 2022 ocupará toda a área interna e externa do Museu Nacional de Brasília. Por isso, com o intuito de fazer tudo correr tranquilamente, os painéis e oficinas vão precisar de inscrição antecipada, que pode ser feita gratuitamente, no site do festival Latinidades, a partir do dia 25 de junho.

No dia 22 de julho, às 10 horas, acontece a abertura da Galeria Rosas em vida: as vozes de nossas griôs, que homenageia 50 mulheres negras com trajetórias diferentes e que atuam a partir de várias regiões brasileiras e até mesmo de outros países da América Latina. Durante todos os dias, a galeria poderá ser visitada, entre 10 e 19 horas, no foyer do Museu.

Neste mesmo horário, em parceria com a Mídia Ninja, tem início um painel sobre Mulheres negras e indígenas -- todas as alternativas passam por nós! Para este painel está confirmada a presença da Dra. Epsy Campell Barr, ativista política e dos direitos humanos, economista e Ex-Vice-Presidente da Costa Rica (2018-2022).

E às 14 horas, com apresentação de Maria Paula Andrade, Dona Gracinha da Sanfona faz um pocket show na presença de algumas das homenageadas, como Sueli Carneiro, Cida Bento, Nilza Iraci,Nilcemar Nogueira e Mãe Dora.

No anexo II, às 14 horas, acontece a Oficina de Estamparia e Customização de moda Plus Size. Coordenada pela multiartista Lu Big Queen.

Mais três debates encerram a programação interna do primeiro dia do Festival. O painel A política cultural como território de disputa de utopias e de futuros inclusivos, às 16 horas, no auditório I, tem a presença de Renata Dias (diretora da Fundação Cultural da Bahia - Funceb), Viviane Ferreira (presidente SPCine), Aline Torres (secretária municipal de Cultura de São Paulo), e Nilcemar Nogueira (sambista, gestora e ex-secretária de Cultura do Rio de Janeiro). Encerra a tarde, às 17 horas, a palestra Mulheres Negras: Projetos de Mundo, no auditório II com Nathalia Grilo (Imaginação Radical Negra), Aline Odara (Fundo Agbara), Yná Kabe Rodríguez (Escola de Indisciplina do Brasil), Bárbara Carine (Escola Maria Felipa) e Kananda Eller (Deusa Cientista e divulgadora científica no TikTok), mediação de Dani Sanchez - ativista, candomblecista, assessora parlamentar.

A partir das 19 horas, na área externa do Museu Nacional de Brasília, as apresentadoras Giovanna Heliodoro e Bielo Pereira comandam a primeira noite musical com as cantoras: Medro -- Música Travesti Brasileira, Cristal (RS), Taliz (DF), Drik Barbosa (SP), Bixarte (PB), MC Carol (RJ), Deise Tigrona (RJ).Quem encerra a noite, à 1 hora, é a DJ Lumena Aleluia (SA). Para os shows gratuitos, é preciso retirar com antecedência o ingresso no Sympla e doação opcional de um quilo de alimento.

A programação completa pode ser acessada por este link aqui

Afrolatinas

Site: link

Instagram: Link

Youtube: Link

 

Festival Latinidades - 15 anos

O Festival da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, Latinidades, foi fundado em 2008, inspirado pela criação do dia 25 de julho, de forma que também tem um marco histórico a comemorar em 2022: são 15 anos de existência! Mais que um festival, Latinidades é um grande encontro de saberes e potências de mulheres negras. Único do gênero, um projeto multilinguagens que celebra memória, força e legados. Há 15 anos é vitrine e plataforma para a produção artística e intelectual de mulheres negras, espaço de encontro, encanto, acolhimento e cura. Celebramos potências de mulheres negras em diferentes campos de atuação e conhecimento. Ano após ano, o festival contribuiu e foi robustecido por redes de mulheres negras nos níveis nacional e internacional e consolidou-se como o maior festival de mulheres negras da América Latina. A cultura é o seu primeiro lugar de fala. Aposta no seu infinito potencial de transversalidade, formação, articulação, mobilização e resistência. Parte das artes e da cultura para dialogar com a academia, com a rua, com diferentes tipos de conhecimentos, fazeres, iniciativas, manifestações e narrativas produzidas por mulheres negras. O Festival Latinidades tem sido um trabalho continuado de formação de público para mulheres negras. Ao longo dos anos, o projeto atingiu mais de 350.000 pessoas como público direto. Além disso, promoveu e ofereceu centenas de atividades formativas e de apresentações artísticas de todas as regiões brasileiras e outras dezenas de países pelo mundo. Latinidades é uma realização do Instituto Afrolatinas e da Griô Produções Culturais.

==> Foto: José de Holanda

Conjunto Nacional lança circuito ciclístico cívico. O próximo será no dia 26 de junho!

Que tal unir uma atividade física completa, como o ciclismo, a um tour cívico-turístico cultural? A proposta do Pedal Cultural do Conjunto é justamente essa. O projeto idealizado pelo Conjunto Nacional prevê três turmas em dois tours guiados por mês, para grupos de até 25 pessoas, sempre aos domingos. Durante o passeio, guias contam histórias e curiosidades sobre pontos turísticos como a Catedral, o Complexo da República, Teatro Nacional, o Palácio do Itamaraty, entre outros. O próximo Pedal Cultural do Conjunto será no dia 26 de junho, com concentração e saída da Praça Lucio Costa, em frente ao shopping. As inscrições já podem ser feitas pelo aplicativo do Conjunto Nacional e são gratuitas.

 

A iniciativa, uma parceria do Conjunto Nacional com a Camelo Bike Tour, idealizadora do projeto, une conceitos de esporte, saúde, turismo, civismo, arquitetura e diversão, tudo o que dialoga com Brasília, uma cidade que tem todos esses elementos em seu DNA. “O Conjunto Nacional, em seus 50 anos de vida, compõe a paisagem urbana da cidade junto com as construções de arquitetura única e de valor histórico e cívico da vizinhança. Estamos muito contentes em proporcionar ao nosso público essa experiência tão rica”, destaca Giuliano Bragaglia, superintendente do Conjunto Nacional. 

 

O trajeto, que é coberto em aproximadamente duas horas, percorre 6,5km, partindo da Praça Lucio Costa, em frente ao Conjunto Nacional, com paradas nos pontos históricos para ouvir os fatos sobre cada um deles, assim como ver fotos antigas e compará-las com o estado atual. Após a visita aos locais, todos localizados nas proximidades e ao longo da Esplanada dos Ministérios, o grupo retorna ao shopping. Serão três horários de saída por edição: às 9h, 15h e 17h. 

 

Os clientes podem participar em suas próprias bicicletas ou usar as unidades (limitadas) de bicicletas urbanas que o projeto disponibiliza, para quem não tiver a sua. Neste caso, logo após se inscrever no aplicativo do shopping, basta ao cliente entrar em contato por WhatsApp no número (61) 99956-1057 para reservar uma unidade.

 

Além disso, o cliente também pode usar uma das bicicletas da empresa Tembici, que administra os pontos de aluguel das famosas bicicletas rosinhas espalhadas por Brasília e é parceira do projeto. Para novos usuários da Tembici que participarem do Pedal Cultural do Conjunto com a bicicleta da empresa, há um voucher de desconto de 30 dias grátis no plano mensal para usar no aplicativo da marca.

 

Bicicletário - Como parte de uma série de iniciativas voltadas à sustentabilidade e ao incentivo à adoção de hábitos saudáveis, o Conjunto Nacional inaugurou seu novo e completo bicicletário recentemente. Localizado no estacionamento coberto do shopping, o bicicletário tem cerca de 100m2 e capacidade para receber 30 bicicletas ao mesmo tempo, entre convencionais e elétricas. Essas últimas contam com ponto de recarga de energia no local. O acesso ao espaço é totalmente gratuito. O espaço conta ainda com armários individuais, filtro com água gelada, calibrador de pneus e bancada com pia para higienização das mãos. “A proposta é oferecer um espaço amplo e confortável, que atenda com excelência esse público que está em constante crescimento”, apontou Bragaglia.



SERVIÇO:

 

Pedal Cultural do Conjunto

Data: Dia 26 de junho de 2022

Horários de saída: Às 9h / 15h / 17h

Concentração: Praça Lucio Costa, em frente ao Conjunto Nacional

Mecânica: Retirar o voucher gratuitamente pelo App do shopping, a partir do dia 22/06. Vagas limitadas por tour.

 

==> Foto: Divulgação

10ª EDIÇÃO DO FESTIVAL DO JAPÃO CHEGA AO PAVILHÃO DO PARQUE DA CIDADE

O maior evento da gastronomia nipônica do Centro-Oeste volta mais uma vez a Brasília com pratos típicos da culinária japonesa e muitas atrações. Após momento crítico da pandemia da COVID-19 e de ocupar o Clube do Congresso e arredores em formato menor e com o nome de Feira do Japão, o então Festival do Japão chega, neste ano, à sua 10ª edição e promete manter a tradição de sempre e, ainda, com mais segurança. O evento será realizado nos dias 24, 25 e 26 de junho, sempre das 10h às 22h, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade. Ingressos a R$ 10 (meia-entrada). Vendas antecipadas em: https://www.sympla.com.br/evento/festival-do-japao-brasilia-10-anos/1604033. Livre para todos os públicos.

 

Dentre as inúmeras atrações gastronômicas típicas da culinária Oriental confirmadas, Goemon, Kobe restaurante, Katsu Lamen, Donburi  e Rosa Takematsu estarão no evento com preços diferenciados. No cardápio, yakisoba, sashimis, tempurás, além de doces como manjus, mochis, dorayakis e taiyaki (doces à base de arroz e recheio de feijão azuki).

 

Dentro da programação cultural, apresentações folclóricas como odori (dança tradicional), apresentações de koto (cítara), demonstrações de kobudo (artes marciais com armas), exposições e workshops de ikebana (arranjos florais), sumi-ê (pintura monocromática) e shodô (caligrafia artística) e cultura pop (desfile cosplay e artist’s alley (exposição de arte) animarão o Festival.

 

Presença confirmada, o grupo Kyoushin Daiko de Goiânia, pioneiro em  apresentações de Taikô na cidade de Goiás, fará um megashow com o milenar tambor japonês de batida forte. Outro destaque será o Min, grupo praticante de Minyō (músicas folclóricas japonesas) que utiliza instrumentos musicais originais como shakuhachi, taiko, shamisen, shinobue em suas perfomances. Ainda, presença como Joe Hirata - nikkey descendente de japoneses que é cantor, compositor e intérprete reconhecido pela participação no NHK Nodojiman- é atração confirmada. Joe é reconhecido por conquistar o título de campeão (Nippon Iti) em concursos.

 

Concurso - Pelo Festival haverá ainda o concurso nacional de beleza feminina oriental Miss Nikkey Brasil. O certame realizado anualmente desde 2008 visa promover e manter a imagem da cultura Japonesa no Brasil.  O desfile ocorrerá no dia 25 de junho e premiará a Miss Nikkey 2022.

 

O Festival do Japão é organizado pela FEANBRA - Federação das Associações Nipo-brasileiras do Centro-Oeste e correalização da Embaixada do Japão no Brasil.

 

  

SERVIÇO:

 

10ª Edição do Festival do Japão
Data: 24, 25 e 26 de junho de 2022

Local:  Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade
Horário:  10h às 22h
Ingressos antecipados em:
https://www.sympla.com.br/evento/festival-do-japao-brasilia-10-anos/1604033.
Valor ingresso antecipado: R$ 20 (inteira) e  R$ 10 (meia-entrada).

Ingresso social: doadores de 1 Kg de alimento não-perecível pagam meia-entrada.
Classificação livre para todos os públicos
Mídias sociais: Instragram: @fjapaobsb / Facebook:
@FestivalDoJapaoBrasilia

==> Foto: Site de Vendas

“EU ODEIO MEU CHEFE” - O grande sucesso do G7 está de volta

A Cia. de Comédia G7 traz de volta ao palco do Teatro La Salle – 906 Sul um espetáculo imperdível e um dos maiores sucessos do grupo: "Eu Odeio Meu Chefe". Serão apenas três finais de semana de julho (estreia dia 16) de uma curtíssima temporada da comédia que fala para os chefes tudo aquilo que você sempre quis falar, mas não podia.

Apesar do título provocativo, o espetáculo realça a importância do respeito nas relações de trabalho e mostra a necessidade do chefe saber ouvir e se colocar no lugar dos seus funcionários. No trabalho, assim como na vida, é possível desenvolver as tarefas e, também, ser feliz.

Os três chefes de Raneri
O espetáculo narra a odisséia de Raneri, um jovem trabalhador do ramo privado que suporta os abusos de seus três chefes sem coração: Dra. Andrea, Seu Domingos e Dr. Baeta. Após a saída de uma de suas supervisoras, Raneri precisa disputar com Maria Cassiana (sua namorada e colega de empresa há 10 anos) quem se tornará o novo chefe. O problema é que a decisão será tomada pelo Dr. Baeta, um ser egoísta, extremamente tendencioso e que, ainda por cima, é apaixonado pela namorada de Raneri. A trama é ainda recheada de contratempos e falhas de comunicação, como o diretor de contabilidade que acidentalmente fica pirado durante a palestra anual da empresa ou o moto-office-boy que se apaixona por Dona Zelayde, a secretária que sonha em ser atriz pornô.

Entre balancetes, relatórios, protocolos e reuniões, o G7 traz uma peça coerente com o estilo que vem sendo aprimorado ao longo da trajetória da trupe e une humor inteligente a bastante interatividade com a platéia, gags físicas e música autoral. "Eu Odeio Meu Chefe" é uma comédia clássica do G7 que foi renovada e adaptada para sua nova temporada, com novas piadas, novos momentos e as mesmas personagens hilárias que já cativaram milhares de pessoas em Brasília ao longo de mais de 10 anos.

Para os chefes também!
A comédia tem uma nova abordagem dramatúrgica, que busca mostrar a verdade que fica muitas vezes subentendida nas entrelinhas dos escritórios e cubículos... Chefes de todo o mundo, acalmai-vos! Ao assistir o espetáculo, seus funcionários não entrarão em rebelião coletiva, nem vão expurgá-lo de seu posto. Ao contrário, vão te amar cada vez mais! Vão perceber que, perto dos chefes que são apresentados no espetáculo, você não é tão desequilibrado, desrespeitoso ou facínora como seus funcionários acham... Por isso, compre logo ingressos para todos seus funcionários que a temporada é curta, e eles vão te agradecer!

Ficha Técnica:
Concepção, Texto, Direção e realização: G7 Produções Artísticas Ltda.
Elenco: Felipe Gracindo, Félix Saab, Marcos Davi e Rodolfo Cordón
Produção: Marco Wanderlei


SERVIÇO:
 
“Eu Odeio Meu Chefe”
Local: Teatro La Salle – 906 Sul

16/07 – Sábado – 19h
17/07 – Domingo – 19h
23/07 – Sábado – 19h
24/07 – Domingo – 19h
30/07 – Sábado – 19h
31/07 – Domingo – 19h

Ingressos a partir de R$ 40,00 (meia-entrada)
Meia-entrada: Todos os casos previstos em lei.
Ingresso Social: Para doadores de 1kg de alimento ou 1 livro.

Locais de Vendas:
Site: G7comedia.com
Bilheteria do Teatro - Nos dias de espetáculo a partir das 17h
Sagrado Açaí - 203 Sul (sem taxas) 
 
Informações: (61) 99351-1369 | com Whatsapp
Não é permitida a entrada de crianças menores de 10 anos, mesmo acompanhadas dos pais.
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 80 minutos

==> Foto: Gustavo Gracindo

FÁBIO JR. VOLTA A BRASÍLIA

Fábio Jr. está de volta a capital federal para cantar e emocionar o público com canções que já embalaram milhares de pessoas por todo o país. Sucesso absoluto por onde passa, o artista desembarca em Brasília, em 8 de julho. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site da bilheteria digital (www.bilheteriadigital.com).

Um dos grandes destaques da turnê é o cenário, que é revelado através de painéis de LED, colunas e elementos que valorizam a estética de forma simples e sofisticada. O conceito da proposta, criativa e versátil, permite que Fábio Jr. utilize a mesma cenografia em todos os shows, independente do tamanho, mantendo a dinâmica e beleza do espetáculo com o auxílio da iluminação que permite um resultado visualmente impactante, tornando-se um atrativo a parte.

No repertório, o astro contempla grandes hits da carreira, como “Alma Gêmea”, “Só Você” e “Caça e Caçador”, que garantem todo o toque de romantismo ao show. Também estão no setlist, músicas que fazem sucesso na voz de outros cantores, a exemplo de “Tente Outra Vez”, “Dias Melhores” e “Casinha Branca”.

“Fala moçada, chegou a hora da gente se encontrar!! Espero todos vocês no meu show! Brigaduuuuu!!!”, convida Fábio Jr., que tem mais de 30 trabalhos em sua discografia e é um artista completo com talento reconhecido também como compositor, ator e apresentador.

A banda que o acompanha no show é formada por Amador Longhini no teclado e direção musical, Álvaro Gonçalves na guitarra e violão, Bruno Coppini, no baixo, Gustavo Barros na guitarra, Pepa D´Elia na bateria e Aldo Gouveia e Ellis Negress nos vocais.

Para saber mais, acesse:
Site: www.fabiojr.com.br/novo
Facebook: www.facebook.com/FabioJrOficial
Instagram: www.instagram.com/fabiojroficial
Youtube: www.youtube.com/user/fabiojr


SERVIÇO:

FÁBIO JR – “TOUR 2022”

DATA: 08 de Julho (sexta)
HORÁRIO: 22h
LOCAL: Centro de Convenções Ulysses
ACESSO AO LOCAL: 20h
DURAÇÃO: Aproximadamente 1:50h de show.
Classificação indicativa: 14 anos

INGRESSOS:
POLTRONA SUPERIOR - R$ 100,00 (meia)
POLTRONA ESPECIAL- R$ 120,00 (meia)
POLTRONA VIP- R$ 160,00 (meia)
POLTRONA GOLD - R$ 200,00 (meia)
POLTRONA PREMIUM - R$ 250,00 (meia)
CAMAROTE HUMM – CHEFE MARCELO PETRARCA - R$ 500,00 - Ingressos individuais.
Serviço premium, MESAS de 4 LUGARES e ASSENTOS MARCADOS, lounges, acesso exclusivo, climatizado e banheiros privativos. Open Food: Coquetel volante, mesa de antepastos, mini empratados e sobremesa. Open Bar: Whisky, vinho, espumante, cerveja, água de coco, refrigerante e água.
ESPAÇO BISTRÔ - R$ 1.500,00 - Mesas numeradas para 4 pessoas.
Acesso exclusivo, combo com whisky 12 anos, água de coco, água mineral e frios.
MESA 4 LUGARES - R$ 2.000,00 - Frente palco
Acesso exclusivo, banheiro privativo, combo com whisky 12 anos, água de coco, água e frios.

*Ingressos sujeitos à alteração de preços sem aviso prévio.
*MEIA ENTRADA: Estudantes, professores, idosos, pessoas com deficiência e ingresso solidário doando 1kg de alimento não perecível.

FORMAS DE PAGAMENTO: Dinheiro, débito, crédito em 1x sem juros, parcelados em 2x ou 3x com taxa do parcelamento. PIX ou em até 12x com taxa do parcelamento somente nas compras pelo site.

Lojas da Bilheteria Digital:
Pontos de venda SEM TAXA de serviço:
• BARBEARIA ELVIS JK SHOPPING (3º Piso, somente em cartão)
Ponto de venda COM TAXA de serviço e somente no cartão:
• FREE CORNER BRASÍLIA SHOPPING
• KONI 209 SUL
• KONI 101 SUDOESTE
VENDAS ONLINE:
Aplicativo ou pelo Site: www.bilheteriadigital.com
Sujeito a taxa de serviço
Informações: 98409-0198

Redes Sociais:
@fabiojroficial
@luxshowsproducoes
@upianoentretenimento
@conteudo.comunicacao

==> Foto: Site de Vendas

Festival Ibero-Americano de Artes Integradas de Brasília apresenta nova edição

Nessa edição de estreia, o Festival Ibero-Americano de Artes Integradas de Brasília, idealizado Guylherme Almeida e com produção do Instituto Ilumina, apresenta um repertório de diversas linguagens artísticas e performances transversais. Com atrações nacionais e internacionais de peso, o FIAIB promove um importante intercâmbio entre artistas de diferentes países que compõem a região ibero-americana. Produções artísticas locais, é claro, não poderiam ficar de fora, já que a ideia é justamente ampliar horizontes.

 

Em 2019, Brasília foi indicada como a Capital Ibero-americana das Culturas 2022 pela UCCI (União de Cidades Capitais Ibero-americanas), federação que reúne cerca de 27 cidades desde 1986 para discutir ações estratégicas em rede.

 

No ano passado, a XIX Assembleia Geral da UCCI confirmou a honraria para Brasília, que é a segunda do Brasil a recebê-lo. A primeira foi o Rio de Janeiro. O título é atribuído anualmente a alguma das capitais integrantes do fórum, e, no ano corrente, cabe a Brasília, o que amplia o olhar dos países ibero-americanos sobre a Capital Federal e, consequentemente, suas obras artísticas.

 

Para a seleção das criações deste reencontro presencial com as artes, após o auge da pandemia, a palavra-chave, segundo o curador Guylherme Almeida, foi “reencantamento”. “Escolhemos obras leves, lúdicas, sensíveis e que promovam reflexão. Queremos nesse encontro offline celebrar os diversos gêneros da cena, com destaques de cada linguagem contemporânea das artes”, compartilha o curador, que também assina  a idealização e direção geral do festival.

 

O festival se divide em ações descentralizadas por toda cidade. Além do Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, o FIAIB apresenta sessões também gratuitas no Cine Brasília, Espaço Cultural Renato Russo, Espaço Cultural Ilumina, Riacho Fundo I e festa-show de encerramento no Setor Comercial Sul, essa com entrada mediante doação de absorvente íntimo feminino. “Ocupar diversos espaços tem como desdobramento orgânico alcançar outros públicos”, justifica Guylherme.

 

E para aquecer o intercâmbio artístico, que já vai acontecer entre os artistas locais e de outras regiões e países, “vamos trazer programadores de festivais de outros estados, com o intuito de apresentar a cena brasiliense”, destaca o curador e produtor.

 

 

O CCBB Brasília recebe os seguintes espetáculos:

 

22/06 - 2 Mundos (20h), Cia Lumiato

Duração: 50 minutos; Classificação indicativa: 14 anos

Inspirado na colonização da América e dos territórios do mundo todo, o espetáculo conduz o espectador a viajar por um tempo passado que encontra analogias contínuas com o presente. 2 MUNDOS conta a história do encontro de duas culturas opostas, onde se revelam os sentimentos e motivações mais profundas da humanidade.

 

24/06 - Enluarada – Uma Epopeia Sertaneja (20h), Caísa Tibúrcio

Duração: 60 minutos; Classificação indicativa: 12 anos

O espetáculo conta uma história de amor e morte iniciada no interior campestre do Brasil em Minas Gerais. É uma mistura de histórias inventadas e histórias lembradas a partir de materiais recolhidos em entrevistas e vivências na região. O espetáculo traz à tona a comida, os cheiros, os mitos e ritos que envolvem histórias tradicionais e percorre o mundo invisível e revelando o universo fantástico e ficcional do interior brasileiro.

 

26/06 - Pachakuti (17h), Monomujer – Pachakuti, Argentina

Duração: 32 minutos; Classificação indicativa: 14 anos

Em todas as propostas do Monomujer, o grupo procura se comunicar com um único espectador. Este é pensado como construtor de sentido, participante ativo do evento simbólico e não como mero observador. Um espectador e criador emancipado. A pergunta que orienta toda a abordagem e criatividade está em como o evento é gerado com sua presença naquele espaço delimitado, como o significado é construído a partir da experiência.

 

28/06 - Goldfish (20h), Alexandre Américo

Duração:  35 minutos; Classificação indicativa: 12 anos

GOLDFISH FILM assume a solitude enquanto aspecto norteador político-estético. Ao tematizar o esvaziamento das atitudes empáticas para com aqueles que nos parecem distantes e repensar o que faz a humanidade ganhar seus próprios contornos, iremos desconfigurar a casa, habitat natural de Américo, e apresentar o lar enquanto estado subjetivo.

 

30/06 - Ovelha Dolly (20h), Michelle Santini

Duração: 70 minutos; Classificação indicativa: 16 anos

A atriz Micheli Santini recria em cena a história da Ovelha Dolly, primeira mamífera clonada no mundo. Dolly se torna uma celebridade instantânea e passa a questionar sua existência junto ao rebanho, afinal ela é uma ovelha diferenciada, um animal de sacrifício. O texto de Fernando de Carvalho proporciona um espaço de jogo entre o público e a performer, brinca com códigos estruturantes do mundo ocidental ao friccionar noções de individuação e coletividade num rito alucinante.

 

 

No cinema, entre curtas e longas-metragens, o CCBB vai exibir:

22/06 - Sideral, A Casa do Caminho e O Pequeno Chupa Dedo;

23/06 - Tudo Que alô Muerre, O Prazer de Matar Insetos e Bestia;

24/06 - Rosinha, Tele-entrega e Demônia;

25/06 - A Arte de Andar pelas Ruas de Brasília, As Aulas que Matei e Marina não vai à praia;

26/06 - O Menino Leão e a Menina Coruja, Foguete e O Véu de Amani;

28/06 - Descaminhos;

29/06 - Mistérios da Carne, Lua Azul e Menarca;

30/06 - Deus me Livre e Cavalo de Santo;

01/07 - Fendas;

02/07 - Romance e Rio Doce.

 

Para a programação completa do festival no CCBB Brasília, acesse a página do festival em: https://ccbb.com.br/brasilia/programacao/festival-ibero-americano/

 

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília; Data: De 21 de junho a 2 de julho; Localização: SCES, Trecho 2, Lote 22, Brasília, DF Informações: (61) 3108-7600 ou pelo e-mail ccbbdf@bb.com.br.

 

No Espaço Cultural Renato Russo, a programação teatral:

Endereço: CRS 508 Bloco A - Brasília

   23 e 24/06 - Lá Viver em Quadrados (18h30 e 20h30)

            25/06 - Bípede sem pelo (20h)

            26/06 - Corredeira (18h)

 

E no Salão Comunitário do Riacho Fundo I, a programação teatral:

Endereço: AC 3 CLN 7 Bl A B, S/N - Riacho Fundo I

            22/06 - Ovelha Dolly (16h)

            23/06 - Corredeira (16h)

            24/06 - Bípede sem pelo (16h), espetáculo de rua

            25/06 - Monomujer – Pachakuti (16h), espetáculo de rua

            26/06 - Goldfish (16)

 

 

No Cine Brasília, os filmes:

Endereço: SHCS EQS 106/107 - Brasília

            21/06 - Abertura do Festival (20h), seguida da exibição dos curtas: Bestia; Menarca; e Romance.

              21/06 - Rio Doce (21h)

            22/06 - Mostra infantil (15h): O Menino Leão e a Menina Coruja; Foguete; O Véu de Amani; 3 Marina não vai à Praia.

            22/06 - Mostra Latina (19h): Todo lo que Muere; O Prazer de Matar Insetos; e A Casa do Caminho

            22/06 - Mostra Brasil (20h): O Órfão; Deus me Livre; e Sideral

            22/06 - Sessão Especial (21h): Medusa

 

 

O Espaço Cultural Ilumina, recebe as oficinas:

Inscrições e mais informações, link na bio do instagram.com/brasiliaiberoamericana/

            23 e 25/06 - Prática de conjunto ritmos latino-americanos (19h às 22h)

            25/06 e 02/07 - Eu-Corpo (9h às 12h)

            26/06 - Brasilidades na Dança (10h às 13h)

            26/06 - Teatro e Movimento (15h às 17h)

            27/06 - Prática e Fruição (dança/teatro/música) (19h às 22h)

            30/06 - Introdução à Fotografia de Natureza

          1º/06 - Oficina de Pintura com tinta de terra (09h às 11h) (para escolas)

 

 

Setor Comercial Sul, festa show de encerramento

Entrada mediante doação de absorvente íntimo feminino para ajudar no combate à pobreza menstrual no Distrito Federal.

            02/07 - Nación Ekeko (Argentina), Letícia Fialho, Saci Wèrè, Seu Estrelo, Sabor de Cuba, DJ Felipe Ferreira (RJ), e DJ Pequi - Festa Pequila (DF). O evento contará ainda com performances e video mapping.

 

 

Serviço:

Festival Ibero-Americano de Artes Integradas

De 21 de junho a 2 de julho de 2022

Programação completa disponível em festivaliberoamericano.com.br

Acompanhe também em instagram.com/brasiliaiberoamericana/

 

Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, SCES, Trecho 2, Lote 22

De 21/06 a 02/07, entrada franca

Espaço Cultural Renato Russo, CRS 508 Bloco A - Brasília

De 23 a 26/06, entrada franca

        Salão Comunitário do Riacho Fundo I, AC 3 CLN 7 Bl A B, S/N

            De 22 a 26/06, entrada franca

        No Cine Brasília, SHCS EQS 106/107

            Dias 21 e 22/06, entrada franca

        Setor Comercial Sul, festa-show de encerramento

            Dia 02/07, entrada mediante doação de absorvente íntimo feminino

 

O Festival Ibero-Americano de Artes Integradas de Brasília é apresentado pelo Banco do Brasil com financiamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal por meio do FAC - Fundo de Apoio à Cultura do DF

==> Foto: Instagram da Assessoria de Imprensa

SELEÇÃO FEMININA: Brasil supera a Holanda e consegue a quinta vitória na Liga das Nações

A seleção feminina não deu chances para a Holanda e conseguiu a quinta vitória na Liga das Nações. Pela segunda etapa da competição, o Brasil jogou diante de um bom público e venceu a Holanda por 3 sets a 0 (25/16, 25/15 e 25/23), no ginásio Nilson Nelson, em Brasília. As ponteiras Gabi e Pri Daroit e a oposta Kisy foram as maiores pontuadoras do confronto, com 13 acertos cada. As brasileiras voltam à quadra no próximo sábado (17.06) às 15h contra a Holanda. O sportv 2 transmite ao vivo e os ingressos estão esgotados.

Pri Daroit, ponteira, marcou 13 pontos (12 de ataque e um de bloqueio)
“Estudamos muito o time delas e a equipe se comportou muito bem nessa vitória. Estou muito feliz e realizada por voltar a seleção brasileira. Acredito que eu voltei no momento certo. A chegada da Gabi me ajudou muito. Nós dividimos quarto e conversamos bastante. É muito bom ter esse convívio com o Zé as meninas. Quero crescer e evoluir o máximo que puder. Estou muito satisfeita, mas acredito que ainda tenho muito o que melhorar e vou buscar isso no dia a dia”.

Gabi, capitã e ponteira, fez 13 pontos (todos de ataque)
“Foi mais uma vitória em um jogo importante. Nosso time foi um pouco mais consistente do que contra a Turquia. Apostamos na agressividade do saque e elas tiveram bastante dificuldade no passe, facilitando nosso bloqueio e defesa. Tivemos um volume grande na defesa e conseguimos contra-ataques importantes. Jogamos com inteligência, com menos erros e essa é a nossa pegada. Estamos crescendo a cada jogo, subindo um degrau a cada partida”.

José Roberto Guimarães, treinador do Brasil
“Foi uma vitória muito importante na nossa busca pela classificação para a fase final. O time se comportou muito bem e todas as jogadoras tiveram uma boa participação na partida. Também tenho que agradecer ao público de Brasília que compareceu mais uma vez em bom número e nos incentivou durante toda a partida”.

Para a segunda etapa da Liga das Nações o técnico José Roberto Guimarães selecionou as levantadoras Macris e Roberta; as opostas Rosamaria e Kisy; as centrais Carol, Diana, Lorena e Júlia Kudiess; as ponteira Gabi, Pri Daroit, Julia Bergmann e Ana Cristina; e as líberos Natinha e Nyeme.

A Liga das Nações reúne as 16 melhores seleções de voleibol do planeta. Em 2022, a competição será realizada em duas fases. A primeira tem três etapas. Em cada uma, os times são divididos em dois grupos e cada um joga quatro vezes. Os grupos e os confrontos de cada semana são definidos por sorteio. Os oito melhores desta fase avançam para a fase final, que acontece de 13 a 17 de julho, em Ancara (Turquia). A etapa de Brasília da Liga das Nações feminina foi realizada pela CBV em parceria com o governo do Distrito Federal. 

Liga das Nações

Primeira etapa - Shreveport – Bossier City – Louisiana
31/05 – Brasil 3 x 1 Alemanha (29/27, 23/25, 27/25 e 25/21)
02/06 – Brasil 3 x 0 Polônia (25/23, 25/21 e 25/22)
03/06 – Brasil 3 x 1 República Dominicana (25/9, 16/25, 25/18 e 25/17)
04/06 – Brasil 0 x 3 Estados Unidos (21/25, 20/25 e 18/25)

Segunda etapa - Brasília (DF)
15/06 – Brasil 3 x 1 Turquia (19/25, 25/23, 25/23 e 25/23)
16/06 – Brasil 3 x 0 Holanda (25/16, 25/15 e 25/23)
18/06 – Brasil x Itália, às 15h, no sportv 2
19/06 – Brasil x Sérvia, às 10h, na Rede Globo e no sportv 2

==> Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV