“Xepa Cultural” e projeto “O Saber e o Fazer” neste sábado (4 de julho)

Várias manifestações que aliam cultura e o mercado criativo na área do saber tem um ponto de encontro neste sábado, 4 de julho (sábado), a partir de 10 horas, na Outsider Negócios Criativos (SOF Sul), com entrada franca.

A “Xepa Cultural” é uma feira com produtos orgânicos, artesanato, alimentação gourmet e oficinas de arte. Tudo em um só lugar: A Outsider Negócios Criativos, que aproveita a ocasião para celebrar a parceria realizada com a Livraria Arco-Íris para representação da Editora Cosac Naif no Distrito Federal.

O projeto “O Saber e o Fazer” vai contar com uma agradável conversa sobre o mercado editorial brasileiro, as pequenas livrarias e a profissão de livreiro diante das megalivrarias e das vendas pela internet. O bate-papo acontece às 17 horas e vai reunir Bohumil Med, Ivan Presença e Victor Alegria. Este pretende ser o primeiro de uma série de debates sobre diversos aspectos da cultura brasileira, sempre de forma gratuita para o público da capital.

A primeira edição da “Xepa Cultural” vai promover um evento voltado para as ideias criativas nas diversas áreas do saber, e uma das atividades pretendidas é uma feira com produtos orgânicos, artesanato, alimentação gourmet e oficinas de arte.

Programada para acontecer sempre no primeiro final de semana de cada mês, a “Xepa Cultural” surge com fôlego para se tornar um dos principais eventos culturais da cidade, com foco não apenas os moradores da região, mas todas as pessoas interessadas no cruzamento de linguagens criativas tão comuns à fruição artística dos dias de hoje.

O projeto é uma criação de Carina Viana, proprietária da Outsider. “Faz um ano que estamos aqui no Setor de Oficinas Sul e sempre pensamos formas de trazer a comunidade para a rua, para eventos que unissem projetos sustentáveis, design e cultura. Com o surgimento dos empreendimentos imobiliários, o SOF não pode se tornar apenas um local onde as pessoas dormem. Nossa ideia é que a região se torne um pólo de atividades criativas”.

“A Outsider, tem esse nome por causa do meu trabalho de diplomação na UnB, em Bacharelado em Artes Plásticas, com habilitação em Teoria e Critica da História da Arte. Outsider seria o estudo da arte do inconsciente, daqueles considerados como loucos. Sonhava com a loja como um não lugar, um espaço de encontro de diversas áreas de conhecimento sem distinção, sem silêncio entre elas, onde Design, Música, Literatura, Psicanálise fazem parte da mesma identidade.” Conta Carina Viana.

“A escolha do setor de oficinas condiz com essa maneira de pensar, somos Outsider, pessoas fora do eixo convencional, à procura de um caminho original. Ainda em pesquisa, ainda com várias idéias de ocupações deste espaço tão contra mão, mas ao mesmo tempo tão lógico de se transformar.” Completa.

“O Xepa é a primeira iniciativa, vem com ele outros projetos com música, artes plásticas, e tudo que for coerente com a nossa pesquisa. Estamos abertos para acolher residências artísticas e patrocinar mostras o maior objetivo é fazer da Outsider espaço vivo em constante evolução.” Convida Carina.

A programação de sábado (4 de julho) também traz a chef e nutricionista Tâmara Rolim e a NutriChef, que oferecem um cardápio saudável e saboroso para os freqüentadores, que poderão adquirir todos os produtos expostos.

Na parte da tarde, no interior do galpão de 400m2 onde funciona a Outsider, tem início o coquetel em comemoração à parceria com a Editora Arco Iris, representante da Cosac Naify em Brasília. “Os livros representados pela Arco Iris poderão ser encontrados também na Outsider. Seremos mais uma das opções para que os leitores encontrem bons livros em Brasília”, diz Carina.

Além de um coquetel, a comemoração trará ainda a apresentação do grupo instrumental Cavaco Jazz Trio, às 16 horas, sob a liderança de Pedro Vasconcellos. Às 17 horas será realizado um bate-papo sobre o mercado editorial brasileiro.

Programação:

10:00 - Feira de produtos orgânicos, exposição de móveis design e atividades voltadas para crianças, como pintura de rosto.  Participantes: Nutrichef,  Mamage,  José Rodrigues (Sandálias),  Sávia Dumont – Inst. Promo. Cult (Peças bordadas – vestidos) , Joias Artesanais com Eliane Mansani, Pedro Alex, Benditta – Maria Amaziles e Café Serra Azul, dentre outros.

16:00 – Coquetel e apresentação do grupo instrumental Cavaco Jazz Trio, às 16 horas, sob a liderança de Pedro Vasconcellos.

17:00 – O Saber e o Fazer – Bate-papo sobre o mercado editorial brasileiro, com Bohumil Med, Ivan Presença  e Victor Alegria

Serviço: Xepa Cultural e Projeto “O Saber e Fazer
Local:
Outsider Negócios Criativo
Endereço:
SOF SUL, Quadra 01, Conjunto B, Lote 06
Dia:
4 de Julho (Sábado)
Horário:  
A partir de 10 horas
Informações: (61)9637-2938
Classificação indicativa: Livre

==> Foto: Andrea Possamai

CARONA BRASIL NO CLUBE DO CHORO DE BRASÍLIA

O grupo vocal Carona Brasil, formado pelas cantoras mineiras Cássia Mattiello, Rosana Tunes, Carol Viana, Margareth Lucena e Sofia Cupertino, canta os compositores mineiros de todos os tempos na turnê de lançamento do seu terceiro álbum, “De lá pra cá – Daqui prali”.
          
O show, apresentado em Belo Horizonte, Juiz de Fora e Brasília, tem a direção cênica de Ernani Maletta (professor de artes cênicas na UFMG, ator, cantor, diretor, regente e arranjador, com atuações no Brasil e no exterior), a duração aproximada de 1h30 e reserva surpresas para o público. Dentre outras, a participação de um “contador de casos”, fazendo uma contextualização delicada do “ser” mineiro.
          
O espetáculo é dinâmico, sensível e leva o público de todas as faixas etárias, do juvenil ao adulto, a momentos de alegria e emoção.
          
O repertório escolhido, após vasta pesquisa na música brasileira, é diversificado e contempla compositores no tempo e no espaço das Minas Gerais. Assim, vem de Ary Barroso e Joubert de Carvalho, passando pelo Clube da Esquina e João Bosco, chegando a Vander Lee e Samuel Rosa.
          
A direção musical e os arranjos instrumentais são de Gilvan de Oliveira, virtuoso violonista, professor, compositor, arranjador, maestro e diretor. Na equipe de músicos estão Serginho Silva (percussão), Ivan Correa (baixo) e Cléber Alves (sopro).
          
Os arranjos vocais são de Sílvia Maneira, uma das fundadoras do Carona Brasil, e de Gilvan de Oliveira; a preparação vocal é da conceituada professora, cantora e diretora Babaya; a produção executiva é de Rosana Tunes, cantora e também uma das fundadoras do grupo.
          
O Carona Brasil cunhou sua identidade, enquanto grupo, numa trajetória de treze anos, consolidada com os dois álbuns anteriores: “Corra e Olhe o Céu” e “Bossa, Coisa Nossa”. Faz um trabalho vocal cantado com timbragem impecável, harmonia e afinação. É reconhecido pela seriedade e competência com que realiza os seus projetos e pela grande aceitação do público, razão maior do seu trabalho.
          
Tem sua marca registrada também na maneira de fazer: pesquisas direcionadas, o canto em grupo e solos, arranjos vocais diferenciados, participação de profissionais da música de primeira linha e um produto final de qualidade. Busca um resultado que supere expectativas, encante e valorize a cultura brasileira.
          
O Carona Brasil garante diversão, cultura e entretenimento.
“Minas são muitas. Porém, poucos são aqueles que conhecem as mil faces das Gerais” (Guimarães Rosa)
          
Chico Brant, jornalista e escritor, assim apresenta o álbum “De lá pra cá – Daqui prali” do Carona Brasil:
          
Garimpando tesouros na música dos mineiros
         
Produto de cuidadosa pesquisa musical, “De lá pra cá – Daqui prali” traduz mais esse compromisso de trabalho do grupo Carona Brasil. As cantoras Cássia Mattiello, Rosana Tunes, Carol Viana, Margareth Lucena e Sofia Cupertino, acompanhadas de ótimos instrumentistas e arranjadores, emprestam suas vozes a compositores que nasceram em Minas e trouxeram consigo a sofisticação e a sutileza artística da sua terra.

Sem pretensão, a coletânea contempla gerações, traça um sutil paralelo entre elas e apresenta uma diversidade de estilos. E assim, avisa: os mineiros também fazem música da melhor qualidade para o Brasil e para o mundo!
          
Herança para isso eles têm. Nos séculos XVIII e XIX, enquanto mineradores corriam atrás do ouro, Lobo de Mesquita, João de Deus de Castro Lobo, José Maria Xavier e outros elevavam a música sacra ao patamar da genialidade. Hoje, em profícua garimpagem, o Carona Brasil mostra que novos criadores continuaram compondo, tocando e cantando, dentro ou fora de Minas; embora, digamos, fazendo música em silêncio...
          
Ao batear aluviões e veios musicais, o grupo descobriu e/ou expôs tesouros no CD “De lá pra cá – Daqui prali”: título inspirado na multiplicidade das “muitas e várias Minas” do imaginoso Guimarães Rosa. Esse garimpo confirma que Minas Gerais é síntese também da diversificada música popular brasileira. A Feira, primeira faixa do CD, evoca com seus metais e ritmo a música pernambucana. Mater e Pater e Áfrico, o banzo africano e a nostalgia do mar que muitos nunca viram. Maringá é até hoje o grande hino brasileiro à saudade, legado pelo uberabense Joubert de Carvalho. Papel Machê, a obra prima e lúdica do versátil João Bosco, em parceria magistral com Capinan. O carmelitano Mário Palmério, escritor e político, ensina o que é Saudade. Na Suíte das Mulatas, o juiz-forano Geraldo Pereira, o ubaense Ary Barroso e o miraiense Ataulfo Alves esbanjam talento em Sem Compromisso, Faceira e Mulata Assanhada.
          
Ao lado desses e dos demais compositores mineiros célebres, incluindo Milton Nascimento, Fernando Brant, Márcio Borges, Samuel Rosa, também desfilam no cd os contemporâneos Pablo Bertola, Júlia Medeiros, Ladston do Nascimento, Sérgio Santos, Flávio Henrique, Nelson Ângelo, Vander Lee, Sílvia Maneira e Gilvan de Oliveira.
          
Gilvan é o arranjador instrumental e atua também como arranjador vocal, violonista e guitarrista. Ele, os outros instrumentistas, a arranjadora Silvia e a preparadora vocal Babaya criam em todas as faixas, bem ao gosto mineiro, requintada harmonia das vozes com os instrumentos e das músicas em ritmo dançante com letras que chegam ao lirismo e a devaneios metafísicos.
          
Em “De lá pra cá – Daqui prali”, os mineiros fazem justiça ao melhor da MPB.
(Chico Brant, jornalista e licenciado em História, atualmente é secretário de comunicação social do TRT-MG.)

A apresentação acontece dia 04 de Julho de 2015 – sábado a partir das 21:00 horas. Ingressos: R$ 10,00 (meia) e R$20,00 (inteira)

Informações: Tel.: 3224.0599. Ingressos: Clube do Choro de Brasília – SDC BLOCO “G” - Funcionamento da bilheteria: 2ª a 6ª feira: 10:00 às 22:00 horas. Sábado a partir de 19:00 as 21:30 horas, ou através do site: www.clubedochoro.com.br                                      

O Clube do Choro de Brasília fica entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário.
Não recomendado para menores de 14 anos

==> Foto: Rafael Motta

CAMPEONATO MUNDIAL: Três duplas femininas avançam às semis, e garantem medalhas

O Brasil está muito próximo de fazer história no Campeonato Mundial da Holanda. Na tarde desta quinta-feira (02.07) três duplas femininas avançaram à semifinal da competição, e pela segunda vez em dez edições o Brasil tem a chance de conquistar as medalhas de ouro, prata e bronze. A última ocorreu em 2009, no Mundial de Stavanger, na Noruega, quando o país ficou com prata, bronze e o quarto lugar.

Podem estar no pódio 100% verde e amarelo as duplas Ágatha e Bárbara Seixas (PR/RJ) e Juliana e Maria Elisa (CE/PE), que venceram seus confrontos pelas oitavas e quartas de final, e se enfrentam nesta sexta-feira (02.07), às 15h45 (de Brasília), em Haia. Será o quinto confronto em torneios internacionais entre as duplas, com duas vitórias para cada lado, inclusive na final dos últimos dois torneios do Circuito Mundial. A partida terá transmissão ao vivo do SporTV3.

Do outro lado da chave, Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) lutam pela outra vaga na final contra as alemãs Katrin Holtwick e Ilka Semmler, também em Haia, às 14h45 (de Brasília). É uma repetição da final justamente do Grand Slam de Haia, em 2014, quando as brasileiras ficaram com o ouro. No total, a série entre as duplas está empatada com um triunfo para cada lado. O SporTV3 também transmite tudo ao vivo.

Pela fase de oitavas de final, Taiana e Fernanda Berti entraram em quadra invictas e com a missão de baterem as espanholas Elsa Baquerizo e Liliana Fernandez. As rivais começaram o jogo em ritmo intenso e abriram 7/3. Com o aproveitamento fantástico de Fê Berti na rede, as brasileiras foram diminuindo a diferença e chegaram ao empate (14/14) após forte cortada da carioca. Com moral no jogo, a parceria fechou a primeira etapa em 21/17.

O nome da reta final foi Taiana. Tecnicamente perfeita na defesa e nas viradas de bola, a cearense levantou a torcida em Haia e freou qualquer reação do forte time da Espanha. No fim, Fernanda Berti emplacou mais um bloqueio para fechar o set em 21/19.

Na segunda partida do dia, Taiana e Fernanda Berti encararam as australianas Louise Bawden e Taliqua Clancy. No primeiro set, as adversárias entraram com uma proposta defensiva muito bem desenhada e conseguiram praticamente anular os contra-ataques brasileiros, fechando a etapa em 21 a 15. A segunda parcial foi favorável ao Brasil. Com o saque encaixado e a virada de bola eficiente, a parceria começou em vantagem, com 12/9. Taiana e Fê Berti seguiram na frente e em uma cortada da carioca marcaram 21/16, levando a decisão para o terceiro set.

O tie-break foi ponto a ponto, as australianas conseguiram dois pontos de vantagem, mas o time brasileiro manteve a calma, acreditando na vitória marcada pela intensa disputa. Durante praticamente toda a etapa decisiva os times estiveram empatados. No fim, após salvar um match point, as brasileiras conseguiram a virada e venceram por 18/16.

"O jogo foi tenso. As australianas jogaram muito bem, atacando forte e fugindo do bloqueio o tempo inteiro. No segundo set começamos melhor, o jogo encaixou e levamos a decisão para o tie-break, que foi ponto a ponto. Mas em nenhum momento deixamos de acreditar na vitória. A gente falava uma para a outra, ‘vamos, que a gente vai conseguir’, e deu certo. Acho que a nossa união, nossa força de vontade foi o que determinou o final do jogo", disse Berti.

Em Apeldoorn, Ágatha e Bárbara Seixas tiveram como adversárias pelas oitavas Melissa Humana-Paredes e Taylor Pischke, do Canadá. As rivais iniciaram a partida em vantagem, mas as brasileiras buscaram o jogo rapidamente. Com Ágatha dominante na rede, o Brasil conseguiu virar o placar, em 13/9, e se distanciar. Bárbara Seixas aproveitou para fechar a primeira etapa em 21/15, em largada rente à rede.

A carioca estava com o fundamento afiado, e anotou 2/0 no início do segundo set. Com um cardápio variado de jogadas, as brasileiras seguiram melhores na virada de bola (18/11), ficando muito próximas das quartas. O ponto do jogo veio de Bárbara Seixas, em nova largada no fundo da quadra: 21/14.

Horas depois, as campeãs da última etapa do Circuito Mundial enfrentaram as chinesas Fan Wang e Yuan Yue nas quartas de final. Minutos antes do início da partida, uma fina chuva começou a cair sobre a arena instalada na cidade do interior holandês, deixando o clima mais ameno, ao menos, fora de quadra. Dentro das quatro linhas, o jogo foi quente.

A partida começou em equilíbrio, com ambas as equipes bem postadas em quadra e confirmando seus serviços. No bloqueio de Ágatha, a dupla quebrou o serviço chinês para abrir 8/6. Com ataques velozes, Fan Wang e Yuan Yue se recuperaram e viraram o jogo para 14/12. O Brasil voltou a empatar a partida, e na reta final do set fechou na etapa, em ace de Ágatha (21/18).

Na segunda parcial a chuva caiu de vez em Apeldoorn, e as brasileiras se mantiveram ligadas no jogo, não deixando as chinesas buscar reverter o revés do set anterior. Cada ponto convertido pela parceria ia minando a confiança chinesa, que passou a errar mais. Após grande troca de bolas, Bárbara Seixas anotou 18/16 em largada na diagonal. Na sequência da partida, já com o match point, a carioca liquidaria o set, em 23/21.

"A gente sabia que seria um jogo muito difícil contra a China. Mas o mais importante é que a gente acredita muito no nosso potencial como time, e no trabalho que toda a equipe vem fazendo. Chegamos muito preparadas e mesmo nos momentos de oscilação estávamos muito confiantes no que precisava ser feito. Isso ficou claro pela nossa atitude, e fez com que a gente se superasse", disse Bárbara, que destacou o bom momento do vôlei de praia brasileiro.

"Vai ser nosso terceiro jogo contra Juliana e Maria Elisa no Circuito Mundial, mas quem está de parabéns é o vôlei de praia brasileiro, com três times na semifinal no campeonato do mundo. Nós atletas e todo mundo que trabalha com o voleibol sabe das dificuldades do esporte em alto rendimento, então é um momento especial", completou a carioca.

Duelo verde e amarelo
O confronto mais aguardado do dia de decisões no Campeonato Mundial envolveu dois dos principais times brasileiros da atualidade. De um lado, Larissa e Talita (PA/AL), campeãs do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia e que alcançaram as oitavas de maneira invicta. Do outro lado da rede estavam suas ex-parceiras Juliana e Maria Elisa (CE/PE), campeãs do Circuito Mundial 2014 e que começavam a crescer na competição. Como era esperado, foi um duelo parelho.

No primeiro set, Larissa e Talita entraram mais atentas em quadra e abriram uma boa vantagem, que chegou a ser de quatro pontos. Juliana e Maria Elisa reagiram e a partir da segunda metade do set mantiveram um jogo equilibrado, reduzindo a vantagem das rivais a um ponto. Mesmo assim, Larissa e Talita souberam administrar o confronto e mantiveram a frente até o final, fechando o set em 21/19.

No segundo set, ainda que Juliana e Maria Elisa tenham largado na frente, Larissa e Talita voltaram a explorar o fundo de quadra para virar o jogo. A partir do 14/14, o confronto transformou-se em um duelo eletrizante, com as duplas empatando seguidamente. Porém, Juliana e Maria Elisa reassumiram a vantagem e no final do set conseguiram abrir três pontos para fechar em 21/18, forçando o tie-break.

No desempate, o ritmo não foi diferente. Mas prevaleceu a experiência de Juliana. A jogadora ditou o ritmo do set decisivo, o que definiu a vitória de sua dupla. Em um dos tempos solicitados, quando venciam por 11/8, Maria Elisa disse a Juliana. "Agora precisamos controlar a ansiedade, evitar erros de saque e ser frias", pontuou.

O conselho serviu como nunca: Juliana e Maria Elisa se aproximaram da vitória sobre uma estratégia que uniu calma e muito jogo tático. Imprimindo seu ritmo de jogo, a dupla alcançou 14/12. O primeiro match point foi salvo por Talita, mas no segundo, Maria Elisa soltou o braço para fechar o terceiro set em 15/13 e o jogo em 2 sets a 1, em 1h15 de partida.

Horas após vencer Larissa e Talita, Juliana e Maria Elisa seguiram em Amsterdã para enfrentarem as canadenses Sarah Pavan e Heather Bansley pelas quartas. O primeiro set foi marcado pelo intenso equilíbrio, com os times se mantendo empatados até a casa dos 20 pontos. As canadenses abriram 20/19 e conquistaram o set point, que foi salvo por Maria Elisa.

Depois de salvar outro set point, foi a vez das brasileiras terem o ponto do set e fecharem a parcial em 25/23. Na segunda parcial, Juliana e Maria Elisa imprimiram seu ritmo e não deram chance para as rivais. Em grande ataque de Juliana, as brasileiras fecharam o set em 21/18.

Entre os times classificados às semifinais, apenas Juliana já conquistou o ouro em um Mundial. Bárbara Seixas e Maria Elisa possuem um bronze, enquanto Fernanda Berti, Taiana e Ágatha buscam a primeira medalha na segunda competição mais importante do vôlei de praia.

Dentro de quadra, os principais atletas disputam o importante título e uma premiação de 1 milhão de dólares (60 mil aos vencedores, 45 mil para os segundos colocados e 35 mil dólares aos medalhistas de bronze). Além de 1000 pontos para a dupla no ranking do Circuito Mundial.

Além disso, os países dos atletas campeões estarão automaticamente classificados para as Olimpíadas do Rio 2016. A vaga é da federação, e não do time campeão. O Campeonato Mundial não conta pontos na corrida olímpica brasileira, já que possui formato distinto das demais etapas e possibilita apenas quatro duplas do país em cada naipe.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO TORNEIO FEMININO

VEJA A GALERIA DE FOTOS

==> Foto: Divulgação / FIVB

Na Roça do Cota, um arraial completo para toda a família: 10/07 . 19h . Cota Mil Iate Clube

O Cota Mil e o Forró Ispilicute apresentam mais uma edição da sua tradicional festa juLina: Na Roça do Cota, um arraial completo para toda a família! 

Uma festa na orla mais bonita de Brasília com muito forró pé de serra, barracas com comidas típicas, quentão, fogueira, aula de forró, quadrilha, atrações para a criançada, queima de fogos e muito mais! 

E este ano os astronautas do  Dona Zaíra desembarcam para fazer dessa festa um arraial ainda mais ‘espacial’. Classificados para a final do programa SuperStar da Rede Globo, a banda fará apresentação única em Brasília e mostrará ao vivo  toda a animação, irreverência e ginga que conquistou os jurados e o público brasileiro durante as seletivas do programa.  Para aqueles que apreciam a música regional, uma oportunidade para ouvir agradáveis surpresas, experiências sonoras e timbres novos e para aqueles que nunca ouviram o Dona Zaíra, está lançado o desafio: experimente e Tome Forró! 

A abertura fica por conta da Sotaque de Raiz, banda fundada por jovens músicos brasilienses em 2006, que vem se destacando e conquistando cada vez mais espaço no cenário do forró pé de serra local e nacional. 

O DJ LÊU completa a festa com mais forró pé de serra na abertura, nos intervalos e no encerramento  e o Profº Charllys Reis comanda a aula de forró e o animado Quadrilhão Ispilicute. 

Garanta o seu ingresso antecipado mais barato e vamos forrozear! Na Roça do Cota, ‘ôcê num podi perdê!’

Serviço:
Na Roça do Cota, a festa juLina mais esperada de Brasília!
Data: 10/07/2015
Hora: 19h
Local: Cota Mil Iate Clube – SCES Trecho 2

DIVERSÃO
Show de abertura : banda Sotaque de Raiz
Atração principal: banda Dona Zaíra (classificados no programa SuperStar)
DJ LÊU Forró Pé de Serra
Profº Charllys Reis: aula de forró e quadrilhão

ATRAÇÕES
Quadrilha Formiga da Roça
Touro Mecânico
Queima de Fogos 
Brinquedoteca
Brinquedos infláveis

ESTRUTURA
Barraquinhas com comidas típicas
Bebidas para todos os gostos
Fogueira
Área coberta com mesas e cadeiras
Espaço Soneca
Decoração típica
Estacionamento interno com segurança

INGRESSOS:
Antecipados Primeiro Lote:
Não Sócios – R$ 20,00 (R$ 40,00 na hora)*
Sócios – R$ 10,00  (R$ 20,00 na hora)*
Crianças até 12 anos não pagam 
* Valores sujeitos a alteração
* Venda somente em dinheiro
Pontos de Vendas Não Sócios:
Secretaria do Clube Cota Mil – 3225 4489
Forró Ispilicute – 8442 3155
Moa Sport 315 norte – 3036 1718
Studio Z 309 sul – 8322 1482 
Salão da Ivana Sudoeste – 8107 5264
Assis Chateaubriand SRTV Sul – 8506 0909
Para Sócios venda exclusiva na Secretaria do Clube.
Estacionamento interno com segurança : R$ 10,00
Classificação: Livre
Mais informações: 3225 4489

==> Foto: Divulgação

Teatrinho infantil do Alameda Shopping abre julho com novas atrações

O teatrinho infantil do Alameda Shopping traz, todo final de semana, duas novas peças para entreter a criançada. Começando bem o mês de julho, o shopping recebe as atrações “Pedro e o Lobo”, da Cia Neia e Nando, no sábado e “Entradas e Reprises”, da Companhia Titeritar.

As duas peças acontecem na praça de eventos do shopping, às 16h. A entrada é franca e as atrações são indicadas para toda a família.

Pedro e o Lobo (Cia. Teatral Néia e Nando)
O espetáculo conta a história de Pedro, um menino que era muito levado e tinha um péssimo hábito, o de mentir. Ele adorava pregar sustos nas pessoas e contar vantagens. E o avô de Pedro sempre aconselhava o menino dizendo que quem mente não tem a confiança das pessoas. Na peça, as crianças e seus pais irão descobrir porque Pedro deveria ter seguido o sábio conselho do avô e entender porque mentira tem pernas curtas, tão curtas quanto as do lobo.

Entradas e Reprises (Cia. Titeritar)
O espetáculo tem inicio com a entrada dos palhaços: Buchecha, Gondinho, Sanduíche e Pitoco cantando músicas tradicionais do circo. A partir daí, os palhaços interagem com o público presente fazendo brincadeiras e improvisações baseadas nas esquetes clássicas dos palhaços de circo: “Pato na lata”, “Atirador de facas”, “Caverão”, aliadas a números de mágica, malabarismo, equilibrismo, cujas formulas garantem o entretenimento e diversão do público. Que venham as marmeladas, os chutes no traseiro, as trombadas e tudo mais que se faça devido.

Serviço:

Teatrinho infantil do Alameda Shopping

Pedro e o Lobo
Dia: Sábado, 04 de julho
Horário: 16h
Local: Praça de Eventos Alameda Shopping
Classificação indicativa: Livre

Entradas e Reprises
Dia: Domingo, 05 de julho           
Horário: 16h
Local: Praça de Eventos Alameda Shopping
Classificação indicativa: Livre

Alameda Shopping
Onde: CSB 02, Lotes 1 a 4 - Taguatinga Sul

==> Foto: Divulgação

LIGA MUNDIAL: Brasil bate a Itália por 3 sets a 0 em Cuiabá

Comumente, Brasil e Itália fazem confrontos de grande rivalidade no vôlei. Nesta quinta-feira (02.07), a história se repetiu no ginásio Aecim Tocantins, Cuiabá (MT), onde as equipes se enfrentaram pela última rodada da fase classificatória da Liga Mundial. No final do confronto, vitória brasileira por 3 sets a 0 (25/20, 26/24 e 25/19), e, 1h26 de jogo que contou com a casa cheia, com cerca de 11.600 torcedores.

Nesta tarde, o ponteiro Lucarelli foi um dos principais destaques. O atacante foi o maior pontuador, com 12 acertos, e, após a partida, afirmou que o 3 a 0 não corresponde a realidade do que enfrentaram dentro de quadra. "Às vezes o placar engana um pouco. Hoje foi um jogo difícil, o calor estava muito forte e isso foi desgastante e ainda bem que conseguimos uma vitória", comentou Lucarelli.

Capitão do Brasil e aniversariante do dia, o levantador Bruninho sentiu o calor da torcida cuiabana e o calor da cidade de Cuiabá "Saímos de Sydney, onde jogamos no último domingo, em uma temperatura abaixo de 10 graus para enfrentar esse calor agora, mas isso é algo que estamos acostumados. Jogamos no Brasil quase sempre nesse calor. Sentimos um pouco, mas procuramos hidratar sempre e nos preparamos para isso", disse Bruninho.

De volta a beira da quadra, depois de 10 jogos de suspensão, o técnico Bernardinho gostou do que viu nesse retorno ao comando da seleção brasileira.

"Fizemos um bom primeiro set e, no segundo, começamos mal, mas talvez tenha sido o mais interessante da partida. Começamos mal, mas soubemos recuperar, colocamos pressão no saque, jogamos com inteligência e foi importante a vitória. No terceiro, soubemos controlar bem. Foi um bom resultado, mas ainda temos que melhorar mais amanhã", analisou Bernardinho, sempre exigente.

As seleções brasileira e italiana voltam a se enfrentar nesta sexta-feira (03.07), novamente às 14h (Horário de Brasília), no mesmo local, para o último jogo das duas equipes na fase classificatória. A partida terá transmissão ao vivo da Globo e da Band. O Brasil já está classificado por ser o país-sede e, também, pela pontuação, já que é líder do Grupo A. A Itália, segunda colocada, também está garantida.

A Fase Final, onde estarão as seis melhores seleções da Liga Mundial, acontecerá de 14 a 19 de julho, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ).

O JOGO

O Brasil começou melhor e abriu 3/1. Os donos da casa seguiram com boa vantagem em 7/3. No potente ataque de Wallace, a seleção foi para o primeiro tempo técnico com quatro de vantagem (8/4). Quando o Brasil chegou a 12/8, a seleção italiana pediu tempo. Depois de uma bola bastante disputada, Isac atacou e pontuou para a seleção brasileira: 15/11. Contando com erros da Itália, o Brasil chegou a 20/15. Depois de bom saque de Lucarelli, o Brasil contra atacou e Wallace fez 24/19. Para finalizar o set, Lucarelli fez 25/20.

O segundo set começou diferente, favorável a Itália, que logo abriu 8/2. No bloqueio simples de Lucão, a diferença caiu para 8/4. Depois de longa disputa, Wallace finalizou a jogada e fez o quinto ponto. Os italianos voltaram a abrir e colocaram o dobro de pontos em 12/6. No ace de Lucão, a vantagem adversária caiu para 13/10. Com ponto de saque de Lucarelli, o Brasil chegou ao ponto de empate: 16/16. A equipe da casa manteve o bom ritmo e fez 21/19. A Itália buscou e quando o marcador estava em 22/22, Bernardinho pediu tempo. Novo empate em 24/24. Mas, no bloqueio de Murilo, o Brasil fechou em 26/24.

O equilíbrio permaneceu no início da terceira parcial. No erro do Brasil, a Itália colocou dois de vantagem (5/3). Na china de Lucão, a seleção brasileira encostou em 8/7. O time da casa virou e assumiu o comando do placar em 11/10 e, partir daí, dominou a parcial. Contando com apoio da torcida, a seleção brasileira manteve o bom ritmo e, na parcial mais tranquila, fechou em 25/19.

EQUIPES

BRASIL - Bruno, Wallace, Isac, Lucão, Murilo e Lucarelli. Líbero - Serginho
Entraram - William, Evandro, Lipe
Técnico: Bernardinho

ITÁLIA - Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Zaytsev e Lanza. Líbero - Colaci
Entraram - Sabbi, Massari, Antonov, Mengozzi
Técnico: Mauro Berruto

GALERIA DE FOTOS

http://2015.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/21752-cuiaba-mt-02-07-2015-liga-mundial-2015-brasil-x-italia

==> Foto: Alexandre Arruda / CBV

Fósforo Cultural comemora 9 anos no Martim Cererê, na Capital Goiana

São nove anos de manifestações culturais, produção e promoção da música independente, articulação de festivais no Centro-Oeste, foco no fomento e fruição de bens culturais em rede. O grupo Fósforo Cultural comemora o aniversário de 9 anos neste sábado, 07 de julho, a partir das 14h, no Centro Cultural Martim Cererê. Além de promover a apresentação de 13 bandas, dez DJs e uma feira mix, a Festa Julindie serve de lançamento para o Festival Vaca Amarela 2015, com o anúncio das datas, local e parte do line up.
Com uma extensa programação, o evento reúne bandas que participam da história da Fósforo Cultural, seja em eventos e festivais de música e artes integradas autorais, a exemplo do Festival Vaca Amarela, Grito Rock e Release Alternativo, ou com a produção e agenciamento dos grupos. Para a comemoração, foram convidadas as bandas: Peixefante, Meio Termo, Components, Chá de Gim, Beavers, Dogman, Shotgun Wives (em show especial), Cherry Devil, Aurora Rules, Dry, Faroeste, Overfuzz e Carne Doce.
Além de abarcar duas pistas de dança com diferentes DJs, a Festa Julindie ainda promove uma feira mix com produtos diversos, como vinis, comidas típicas e artigos de arte e design. A proposta é de que a festa torne-se um festival com diferentes atrações para um público misto. (Programação completa em anexo).
Produção musical em nove anos
Como uma janela para dar visibilidade ao cenário musical independente e local, a Fósforo Cultural foi criada em 2006 e começou a produzir de forma espontânea e sem financiamento. Atualmente o grupo produz diferentes eventos que já fazem parte do calendário anual de festivais brasileiros. O Vaca Amarela, por exemplo, está em sua 14ª edição e reúne todo o ano o melhor da música nacional, aliando arte, cultura, comportamento, além de promover e divulgar o cenário regional.
“No início não tínhamos experiência e tudo era novo. Hoje já temos uma agenda de eventos anuais Trabalhamos com planejamento das ações, em rede e conectados com os outros agentes do mercado cultural”, explica o fundador e produtor da Fósforo Cultural João Lucas Ribeiro. Para ele, a continuidade é o maior desafio, mas também a maior virtude da produtora.
“É muito difícil manter nossa agenda e realizar independentemente de ter ou não patrocínio, de abrir ou não edital, de ter ou não recursos. Com chuva, no carnaval, enfrentando qualquer problema, nós conseguimos realizar da forma possível, do jeito que dá. E isso é o resultado da nossa credibilidade, do lastro que temos com os nossos parceiros, bandas, público, fornecedores e comunidade em geral”, comenta o produtor.
A Fósforo ainda dialoga com projetos que reiteram a importância de se discutir música e cultura no Brasil. O objetivo é construir um cenário cada vez mais forte para as bandas independentes, assim como abranger diferentes gêneros musicais. “Fomos os primeiros a abrir espaço ao hip-hop nos festivais de música independentes, que até então eram vistos como festivais de “rock”. O Vaca trouxe pra cidade o conceito de artes integradas, promovendo o diálogo entre as expressões artísticas. Hoje se tem uma palavra que resume nosso trabalho na cultura é a diversidade”, finaliza.

ANOTE
Festa Julindie – 9 anos da Fósforo Cultural
Data: 04 de julho
Horário: a partir das 14h
Local: Centro Cultural Martim Cererê
Ingresso: R$ 10,00 (sujeito a alteração) - Até às 17 horas entrada franca.

PROGRAMAÇÃO

Palco Fósforo 9 anos
01:00 Carne Doce
00:15 Overfuzz
23:30 Faroeste
22:45 Dry
22:00 Aurora Rules
21:15 Cherry Devil
20:30 Shotgun Wives (Quadrilha Indie)
19:45 Dogman
19:00 Beavers
18:15 Chá de Gim
17:30 Components
16:45 Meio Termo
16:00 Peixefante

Discotecagem Externa
15:00 - 16:00 Maurício Motta
16:00 - 17:00 Robson (Projeto "Ar é Música")
17:00 - 18:00 Pedro Hernández
18:00 - 20:00 Pablo Kossa
20:00 - 21:00 Carol Tinoco

Palco Dj Set
21:00 - 22:00 Felamacumbia (Zargov e Bruno Caveira)
22:00 - 23:00 Daniel De Mello
23:00 - 24:00 Milian G
24:00 - 01:00 Gui Alb
01:00 - 02:00 Daiene Matarazzo

==> Foto: Divulgação

Como Passar em Concurso Público - neste final de semana, em Brasília

Em março de 2007 nasceu em Brasília o sucesso: "Como Passar em Concurso Público", que permaneceu em cartaz na capital pelo tempo recorde de 1 ano, todos os finais de semana lotados com sessões extras.

São mais de 600 mil espectadores em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e muitas outras cidades. Uma peça para toda família, concurseiros ou não concurseiros, sobretudo, uma peça para todos aqueles que buscam a felicidade.

O espetáculo conta a história de José Brasil, um “concurseiro” em busca da aprovação. Desde seu nascimento, Zé Brasil é incitado a se tornar um técnico judiciário. O espetáculo transita por todas as etapas que ele enfrenta nessa hercúlea tarefa: a pressão familiar, os momentos de dúvida, a devoção religiosa, todos os obstáculos ultrapassados até alcançar a sua vaga. Zé Brasil precisa ser bastante aplicado para encontrar formas de passar na prova, seja estudando, fraudando ou simplesmente pedindo ajuda a Deus. Mas será que era esse o seu verdadeiro desejo? !

O espetáculo pretende revelar o segredo tão almejado por grande parte da população brasileira que sonha passar em um concurso público. São fornecidas 10 valiosas dicas que mostram o caminho da aprovação: “Se você estiver na dúvida, marque a alternativa correta!”. Além do humor, a peça também relata temas do cotidiano, com as cenas que representam relações familiares, de trabalho, de estudos, situações que permeiam a vida de todos nós. !

Para conhecer a fundo o processo que um aspirante ao cargo público tem que percorrer, os atores do G7 entraram de cabeça no tema. Visitaram cursinhos e assistiram às aulas, leram livros sobre o assunto, entrevistaram os “concorrentes” e até mesmo prestaram provas. “Aprendemos que o concurso é como uma religião”. Os professores, assim como os pastores, ensinam o caminho e motivam o sujeito para sua chegada ao reino dos céus.
Apesar de tudo isso, existe a grande dificuldade, o calvário, a grande provação para a força de vontade, conta Frederico Braga.

A peça já teve aprovação de grandes nomes da área de concursos e de relacionamentos como o juiz federal William Douglas (considerado o papa dos concursos), o escritor Augusto Cury e o criador do maior curso preparatório do Brasil, o Dr. Luiz Flávio Gomes.

Números e curiosidades sobre o espetáculo:
1º DVD de teatro de Comédia gravado em Brasília.
2 vezes no Programa do Jô

O DVD DA PEÇA!

O DVD foi gravado em Brasília, em quatro sessões na sala Villa Lobos do Teatro Nacional e contou com a participação de uma escola de samba ao vivo no final cantando com o grupo o "Samba da Aprovação".

“COMO PASSAR EM CONCURSO PÚBLICO” – FÉRIAS COM O G7

Dias: 04 a 19 de julho de 2015
Sábados às 21h, Domingos às 20h
Ingressos: 50,00 inteira e 25,00 meia entrada
Classificação Indicativa: 14 anos
Observação: No dia 4 de julho sessão extra às 19h
Teatro Maristão – 615 sul
Informações: 61 93511369
Ingressos antecipados no site: www.g7comedia.com e agora também na loja Up Grade -  415 sul


FICHA TÉCNICA

Elenco:

Benetti Mendes
Felipe Gracindo
Frederico Braga e
Rodolfo Cordón

Direção, produção e realização:
Cia de Comédia G7

Equipe técnica:

Iluminação: Gilmar Silveira
Sonoplastia: Izaltino Mariano Júnior
Direção de palco: Giovani Santos
Assistente de palco: Jefferson Landim
Produtor: Marco Wanderlei 
Produção Executiva: Gilmara Carvalho

Acesse o link abaixo, e concorra a pares de ingressos. Veja como é fácil:

SORTEIO DE PARES DE INGRESSOS DE TEATRO!!!


==> Foto: Divulgação