VÔLEI DE PRAIA: Critérios da classificação olímpica brasileira para os Jogos de Tóquio

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) divulgou nesta quarta-feira (12.12) os critérios para a classificação olímpica das duplas brasileiras aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Serão utilizadas para o ranking da CBV as pontuações obtidas nas etapas quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial, e também o Campeonato Mundial, que acontece em 2019.

Serão contabilizados os 10 melhores resultados obtidos pelas duplas nos eventos estipulados, de acordo com o peso estabelecido para os torneios (veja na tabela acima a pontuação correspondente). As etapas quatro estrelas renderão 800 pontos aos campeões, enquanto os torneios cinco estrelas darão 900 pontos, e o Campeonato Mundial, 1000 pontos.

A única exceção à regra será a etapa quatro estrelas disputadas em Haia (Holanda) que acontece em ginásio climatizado, poucos dias após a virada do ano, de 3 a 7 de janeiro, tanto em 2019, quanto em 2020. Com isso, o início da corrida olímpica brasileira acontece a partir do dia 01.02.2019 e terminará após a etapa de Fort Lauderdale (EUA) de 2020. Caso ela não seja realizada, contarão os resultados até 28.02.2020.

Ao final da corrida olímpica, as duas duplas com maior pontuação em cada naipe estarão classificadas para os Jogos de Tóquio. Em caso de empate entre duas ou mais duplas ao final da corrida, os critérios de desempate serão, por ordem: melhor resultado no Campeonato Mundial de 2019; melhor resultado nas etapas cinco estrelas; melhor resultado nas etapas quatro estrelas; melhor resultado na última etapa jogada entre as duplas.

A corrida olímpica interna das duplas brasileiras acontece em paralelo à disputa da vaga do país, que segue as regras da Federação Internacional de Voleibol (FIVB). Cada nação pode ser representada por, no máximo, duas duplas em cada naipe.

Os países possuem quatro maneiras de garantir a vaga: vencendo o Campeonato Mundial 2019; sendo finalistas do Classificatório Olímpico, que será disputado na China, também em 2019; estando entre as 15 melhores duplas do ranking olímpico internacional; vencendo uma das edições da Continental Cup (América do Norte, América do Sul, África, Ásia e Europa). O Japão, sede, tem uma dupla em cada naipe já garantida.

==> Foto: Divulgação

SESC RJ perde para Sada Cruzeiro Vôlei por 3 a 1, mas segue na liderança

Contagem (MG) - O SESC RJ conheceu sua segunda derrota na Superliga Cimed 2018-2019. Jogando no Ginásio Poliesportivo do Riacho, em Contagem (Grande Belo Horizonte), a equipe carioca foi superada, de virada, pelo Sada Cruzeiro Vôlei (MG) por 3 sets a 1 (25-23, 22-25, 17-25 e 20-25), há pouco, na noite deste sábado, dia 15, em partida válida pela 10ª e penúltima rodada do primeiro turno da competição. O resultado não tirou o SESC RJ da liderança, mantida com 25 pontos (9v2d), mas a diferença para os vice-líderes SESI-SP e Cruzeiro diminuiu para três pontos (paulistas e mineiros somam 22). Japa lamentou os erros de saque, mas ‘vira a página’ e prega respeito ao São Francisco Saúde / Vôlei Ribeirão (SP), último adversário do primeiro turno do campeonato, compromisso da próxima sexta-feira, dia 21, no Ginásio Álvaro Vieira Lima (Tijuca Tênis Clube).

- Hoje não sacamos tão bem e isso acabou atrapalhando um pouco. Agora jogamos em casa contra Ribeirão, e vamos com tudo em busca da vitória para defender a nossa liderança. Não podemos vacilar e achar que será um jogo menos difícil por eles estarem numa posição não tão boa na tabela. Eles estão brigando para subir na classificação e nós queremos manter a ponta - afirmou Japa.

O equilíbrio que se esperava. Assim começou o jogo em Contagem. Ponto lá, ponto cá, Maurício Sousa pôs o time carioca em vantagem com um ace: 6 a 5. O Cruzeiro virou, mas Wallace, também no saque, empatou: 7 a 7. SESC RJ e Cruzeiro seguiam iguais no placar até que Penchev pegou Luan Webber em bloqueio simples para abrir 15 a 13. Igualdade na eficiência no ataque, igualdade no desperdício dos saques (foram 23 do SESC RJ e 25 do Cruzeiro em toda a partida), até que Juninho, no bloqueio, fez 24 a 22. E Wallace selou a vitória: 25 a 23.

O Cruzeiro começou melhor o segundo set, abrindo 5 a 1 e obrigando Giovane Gávio a parar a partida. Aos poucos, o SESC RJ se encontrou no jogo, diminuiu a diferença e encostou no placar quando Sander atacou para fora: 11 a 9. A ‘Raposa’ voltou a abrir vantagem e chegou a ter 18 a 13, os cariocas encostaram de novo (20 a 18), mas os donos da casa mantiveram a distância para fechar em 25 a 22.

O terceiro set não fugiu à regra. Trocando pontos até 6 a 6, o Cruzeiro respirou no placar após erros do SESC RJ: 14 a 10. Com Wallace bem acionado, a diferença caiu para 15 a 14, mas o placar escapou de novo e os mineiros abriram 23 a 17. O 24º ponto do Cruzeiro veio após o árbitro Anderson Caçador mostrar cartão vermelho a Wallace, após discussão por uma marcação. O oposto foi expulso do set e, na sequência, os Cruzeiro fechou a parcial: 25 a 17.

Giovane mexeu, mandou Aracaju à quadra no início do quarto set e, na sequência, lançou Djalma, o levantador Everaldo e Rammé. As mudanças surtiram efeito, o SESC RJ equilibrou o jogo e empatou em 8 a 8. Mas, forçando o saque, o Cruzeiro criou problemas para a defesa carioca e abriu boa vantagem num momento importante da partida: 19 a 14. O SESC RJ tentou a reação, lutou, mas a ‘Raposa’ controlou as ações, fechou o set em 25 a 20 e o jogo em 3 a 1.

SESC Esporte e Mesa Brasil
As equipes feminina e masculina do SESC RJ fazem parte do programa SESC Esporte, que busca melhorar a qualidade de vida de crianças, adolescentes e adultos por meio da prática esportiva. Ao todo, encontram-se matriculados mais de 16 mil jovens em todos o estado do Rio de Janeiro.

Os jogos das equipes feminina e masculina de vôlei do SESC RJ disputados no Rio de Janeiro passaram a ter como entrada alimentos não perecíveis, destinados ao ‘Mesa Brasil SESC’. Criado há 18 anos, o programa recolhe doações de produtos alimentícios em condições de consumo e as distribui às instituições de assistência social previamente cadastradas, como asilos, creches, orfanatos, entre outras.

O programa está em fase de expansão e, somente neste ano, passou de 300 para mais de 850 instituições sociais cadastradas. Houve um crescimento também no número de municípios fluminenses atendidos, que passaram de 33, no início de 2018, para 82 no mês de outubro. Mais de 115 novos parceiros se tornaram doadores do Mesa Brasil este ano, o que contribuiu para a arrecadação, até o momento, de mais de 955 toneladas alimentos.

==> Foto: Agência i7 / Sada Cruzeiro

Réveillon Paradigma promete tornar sonhos em realidade

Paradigma chega mais uma vez para proporcionar uma virada de Ano Novo inesquecível. O evento, que será no Infinity Hall, está repleto de música eletrônica e DJs incríveis como: Vinne, Gui Boratto, Illusionize, Gustavo Mota, Will, Mayer e Rafael de Paula. Com início a partir das 22h, o público contará com uma estrutura impecável e serviços de luxo, open bar e open food premium durante toda festa, além do primeiro café da manhã servido em 2019.

Vinne
Vinne é o novo prodígio da música eletrônica nacional, dono dos hits “Rock U” “I’m a Wild” (tocada por Kolombo no Tomorrowland) e de vários outros sucessos. Mesmo muito jovem e com tão pouco tempo de carreira, o DJ e produtor já se destaca na cena nacional com originalidade e personalidade forte que sempre lhe garantem um lugar no top 100 do Beatport, sempre inovando e mantendo a autenticidade.

Gui Boratto
Nascido em São Paulo, Brasil, em 1974 - começou a trabalhar como produtor, engenheiro de áudio e multi-instrumentista no início dos anos 90. Depois de inúmeras licenças de grandes gravadoras internacionais, ele começou a se dedicar à sua própria música. O primeiro álbum completo de Gui, o aclamado "Chromophobia", foi lançado em 2007 pela Kompakt, selo alemão baseado em Colônia.

Agora, com 4 álbuns completos, e remixes e produções adicionais para Massive Attack, Bomb The Bass, Pet Shop Boys, Goldfrapp, Moby, entre outros. Finalmente, Boratto está lançando seu próprio selo musical: D.O.C. Distribuído pela etiqueta mãe Kompakt de Gui, uma plataforma que pretende lançar música atemporal.

Illusionize
Natural de Goiânia, o DJ e produtor, apelidado como garoto do chapéu, ficou bastante conhecido principalmente pela sua produção em parceria com Chemical Surf e Sharam Jey, a track “Bass”.

Além dessa música, Hits como “Take, “Time”, “Better Day” e “Bring it Back” estouraram e consolidaram mais ainda seu estilo, conhecido por “Brazilian Bass” ou “Low Bass”.

Gustavo Mota
DJ e produtor há 6 anos, Gustavo Mota é formado em produção e masterização de música eletrônica. Considerado um dos grandes produtores no país. Dono do selo Muzenga Records, e com uma linha bem inovada de Techno/G- house, hoje seu Set é um dos mais requisitados no Brasil.

Gustavo Mota já se apresentou em Clubs e eventos como Kaballah Festival, Electrance, Spirit of London, Thally, Up club, D-Edge, Pacha, Clash Club, Zoominimal, 1200 festival, além de já ter passado por outros países como o Egito.

Will
Começou sua trajetória aos 15 anos, tocando festas particulares como aniversário de 15 anos e casamento, aos pouco foi tocando em festas grandes e conquistando o público. Aos 19 anos, quando ficou mais popularmente conhecido como DJ Wilson Cardoso, passou a tocar em boates como Coco Loco Lounge, Full Time e festas com sonorização automotiva.

Mayer
Residente do Royal Club e Kiss and Fly de Goiânia, Renato Mayer traz como cartão de visita sua presença de palco insubestimável. Dono de uma das carreiras mais promissoras do País, em 2011/2012 abriu shows de Tiësto, Armin van Buuren, festa oficial Ministry of Sound, dentre apresentações em outros grandes eventos e night clubs de renome nacional.

Artista confirmado no Salvador Weekend, FDS Araxá, Caldas Weekend, é através do feeling das pistas por onde esse goiano se apresenta que o faz ganhar cada vez mais e mais prestígio na cena.

Rafael de Paula
Vem do berço das melhores festas do Brasil e uma das maiores revelações do cenário brasileiro! Já marcou presença em festas como a Festa Euro, Fextinha, Réveillon Paradigma, Festa 799, Vintage in Concert, Favorita e nas melhores casas de festa do Brasil – Tetto Rooftop, Café de La Musique, Sedna Lounge, SOHO Hookah Lounge, dentre outras. O queridinho de Goiânia vem para proporcionar a vocês uma noite inesquecível com um som de muita qualidade!


SERVIÇO:

Réveillon Paradigma
Data: 31 de dezembro (segunda-feira)
Horário: 22h
Local: Infinity Hall (Rua Sebastião Hugo de Moraes, s/n, Residencial Hugo de Moraes. CEP 74573-381)
Valores: R$330,00 (Feminino), R$450,00 (Masculino)

==> Foto: Divulgação

Pelo segundo ano consecutivo, Di Grassi vence prêmio de Melhor Piloto Brasileiro

Depois de ser o mais votado pelos jornalistas especializados na eleição do Capacete de Ouro em novembro, Lucas Di Grassi foi apontado na noite desta terça-feira (11) como o Melhor Piloto Brasileiro de 2018 no pleito popular promovido pelo site Grande Prêmio. Em uma eleição que teve como pré-classificados o recém coroado campeão da Stock Daniel Serra, Rubens Barrichello, Felipe Nasr e Felipe Drugovich, Lucas somou 33,3% dos votos para conquistar o primeiro lugar. O campeão da IMSA Felipe Nasr foi o segundo colocado, com 21%. Serra ficou em terceiro (17.7%).

Chamou a atenção também a larga margem dada pelo público ao apontar Lucas como o Melhor Piloto da Fórmula E. O piloto brasileiro atingiu o expressivo índice de 69,8% -- superando de longe o atual campeão, Jean-Éric Vergne, que somou 22,3%. Em 2017, Di Grassi já havia sido o escolhido pelos fãs na votação do Grande Prêmio como vencedor nas duas categorias acima.

Considerado o melhor piloto brasileiro no exterior da década e também o mais importante piloto da história das Fórmula E, Di Grassi mereceu os votos do público especialmente por duas façanhas: a incrível recuperação e o recorde de sete pódios consecutivos que lhe deram o e as três vitórias na temporada de estreia da Stock Car.

Já envolvido com a etapa de abertura da temporada 2018/2019 da Fórmula E, Lucas recebeu a notícia de sua eleição no exterior. “O legal dessas eleições é que quem vota no Capacete de Ouro são jornalistas especializados. Na eleição do Grande Prêmio, é o público que gosta do esporte quem decide o vencedor. Então, é um duplo reconhecimento que tem um valor enorme para mim”, comentou Di Grassi. “E é muito bacana saber disso às vésperas da primeira corrida da F-E, na Arábia Saudita. Acho que nada poderia me motivar mais neste momento, sinceramente. Muito obrigado a todos aí no Brasil que me acompanham e que me dão essa força extra com apoio e torcida. Vou fazer o meu melhor de novo nessa nova temporada para continuar merecendo esse carinho de todos vocês. Vou para a pista neste sábado renovado e já muito feliz”, finalizou o melhor piloto brasileiro de 2018 e melhor piloto da Fórmula E, na opinião do público.

==> Foto: Audi Motorsport

SORTEIO DE PARES DE INGRESSOS PARA TEATRO!!!

A Cia G7 e o EsporteCultura estão convidando vocês para assistirem ao espetáculo - O MELHOR DO BRASIL É O BRASILEIRO - em apresentação nos dias 22 e 23; 29 e 30 de dezembro de 2018, sendo sábado às 21:30 horas e no domingo às 20:00 horas, no Teatro Maristão, na 615 Sul, em Brasília. Para mais informações acesse o link Nova temporada da comédia “O Melhor do Brasil é o Brasileiro” do grupo G7.

Para participar do sorteio - ingressos para a sessão de 
domingo (23/12), às 20:00 horas - mande um e-mail, colocando seu nome e fone, para "dalton@esportecultura.com.br".


* No campo Assunto, escreva: "Sorteio Teatro"


* Para ser sorteado, é necessário que tenha curtido a Fan Page da página do EsporteCultura - www.facebook.com/esporteculturasite?ref=hl
 

* Ao participar do sorteio, a pessoa estará - EXPRESSAMENTE - autorizando a divulgação de seu nome em nossas redes sociais!!! 

* O sorteio será realizado no sábado (22/12), às 08:00 horas, com divulgação dos nomes pelo Facebook e Twitter ou resposta por e-mail ou comunicação via WhatsApp do contemplado *

==> Foto: Divulgação

Os novos tons de Litieh

A cantora e compositora lança seu segundo álbum solo, “Komòva”, dia 19 de dezembro, às 21 horas, no Clube do Choro de Brasília.

Litieh tem em sua voz a força de um delicado olhar. Flutuante e densa, seu riso e performance é que entregam o poder de suas mensagens sobre amor próprio e críticas sociais. Artista nascida no interior de Goiás, Brasília é terra ávida de sons de todo o mundo. Influenciada por Elis Regina, Ella, Esperanza, Gil, Djavan e Dominguinhos, Clara Nunes e Cazuza; a tradição de matriz africana é respeitosamente referência em tudo o que vive.

Dividiu o palco com Moraes Moreira e Mestrinho. Komòva é areia, mar, e a inquietude. Com composições de Litieh, o disco toca delicadamente e de forma persuasiva. É amor rápido e lento. Mais sobre o Komòva: O nome, Komòva, surgiu num encontro de águas numa cachoeira. É a união de movimentos, de águas transpositoras, é um momento de enxergar na neblina ou onde for, de abrir o peito, e se entregar a força do encontro e do amor.

Komòva é um grito de guerra recheado de poesia, é a própria poesia. É também a reunião de toda essa música da vida numa só, é o eu (mò), se encontrando, se equilibrando através da verdade que existe na visão e ação da comunhão. É o atravessar das águas e a chegada do equilíbrio através da força de Xangô. Um álbum que vai mexer com você de várias formas. Os estímulos e inspirações são diversas. Musicalmente falando o disco abordou diversas fases musicais da artista, até conseguir envolver e criar um jeito novo de misturar e modernizar a linguagem musical.

Com influências musicais de artistas como Elis Regina, Milton Nascimento, Ivan Lins, Tom Jobim passeando na música popular tradicional brasileira em seus primeiros suspiros de força e modernidade à época, traz também pitadas do rock brasileiro que viveu a artista, como Cazuza, Barão, Marina Lima e Rita Lee. O forró de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Marinês presentou a cantora com mais força e alegria.

A influência da música de matriz africana é nítida no seu cantar, na sua composição, no seu olhar e no seu sentir o universo que é a arte, trazendo um lugar de força, estabelecimento e conexão com a raíz. Os sons da música moderna, do jazz e da música instrumental são fascínio dentro desse pulso que faz Litieh seguir cantando.

Artistas como Esperanza Spalding e Hiatus Kayote tem uma influência gigante na composição deste disco. Bem como artistas da nova música moderna, da luta pelas mulheres, negros e lgbts trazem um sentimento de esperança contagiante e emocionante nas criações e performances (Mariana Aydar, Xênia França, Luedji Luna).

Litieh (voz e violão) será acompanhada pelos músicos Luiz Ungarelli (percussões), Rafael Cruz (baixo e pedais), Renato Galvão (bateria), Zé Krishna (guitarra e pedais), Caetano Bartholo (sanfona e teclados).

A apresentação acontece dia 19 de Dezembro de 2018 – quarta-feira a partir das 21:00 horas. Ingressos: R$ 30,00 (meia) e R$ 15,00 (inteira)

Informações: Tel.: 3224.0599. Ingressos: Clube do Choro de Brasília – SDC BLOCO “G” - Funcionamento da bilheteria: 2ª a 6ª feira: 10:00 às 22:00 horas. Sábado a partir de 19:00 as 21:30 horas, ou através do site: www.clubedochoro.com.br

O Clube do Choro de Brasília fica entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário.
Não recomendado para menores de 14 anos

==> Foto: Anna Luiza Laurito

Carnaval Silencioso - foliões ouvindo a mesma música em fones de ouvido

Carnaval Silencioso, bloco de carnaval fora de época que atravessa Brasília com foliões dançando e ouvindo a mesma música em fones de ouvido.

Para quem olha de fora, uma paisagem visual de festa.

Por que essas pessoas dançam sem música?

A música toca exclusivamente nos FONES DE OUVIDOS que todos os foliões trazem consigo.

Carnaval Silencioso é uma das intervenções artísticas da série SQF – Serpentes Que Fumam. Neste ano o bloco completa nove anos. A intervenção é uma manifestação artística que toca em diversas questões políticas sobre Cultura, diversidade e ocupações artísticas urbanas. Onde as pessoas estão livres para participar e compor a ação junto.

É um bloco de Carnaval que dança e canta para questionar a Lei do Silêncio e todos os silenciamentos praticados por leis, morais e políticas aplicadas em Brasília e no Brasil.

Suscita debates na esfera pública e pessoal das cidades e do país.

Como Participar?
1.Levar um rádio FM (disponível em smartphones Android – IOS não tem app de rádio)
2.Levar seu fone de ouvido.
3.Ir fantasiado


SERVIÇO:

Carnaval Silencioso
* sexta-feira, dia 14 de dezembro
* Concentração do Bloco - 19h na Pracinha da Comercial da 107 norte entre os blocos B e C (próxima ao semáforo).
* Saída do Bloco - 20h30
* Meta - Chegar na comercial na 408 norte por volta das 22h

Realização: Andaime Cia de Teatro
Parceria: DJ OPS
Apoio: Ilha Design; Batedeira Cultural; Território Comunicação – Rodrigo Machado

==> Foto: Thiago Sabino

Inaugurada pista de patinação do Flamboyant

A Pista de Patinação no Gelo, da Happy On Ice, acaba de ser inaugurada no Flamboyant Shopping. A atração que chega já no período de férias e tem feito sucesso entre os visitantes que gostam de aventura.

A pista de gelo tem aproximadamente 144 metros e ganhou um novo local, o Piso 2 Atrium, em frente a Lojas Americanas.

 A diversão é acompanhada por monitores, que repassam algumas dicas para os aventureiros de primeira viagem. Os usuários utilizam equipamentos de proteção individual. A Pista funcionará até 31 de janeiro de 2019.


SERVIÇO:

Patinação no gelo Happy on Ice
Local: Piso 2 Atrium em frente à Lojas Americanas
Valores: R$ 30,00 - 30 minutos, R$ 40,00 - 45 minutos, R$ 50,00 - 60 minutos, R$ 15,00 - Ice Car - 15 voltas na pista (somente crianças de 2 à 4 anos). Par de meias R$ 5,00
Horário de funcionamento:
De segunda a sábado: Das 10h às 22h.
Domingo e feriado: Das 12h às 21h.
É obrigatório o uso de meias para patinar*.
Forma de pagamento: cartão de débito e dinheiro.
Período: até 31 de janeiro de 2019

==> Foto: Divulgação

FEIJOADA COM SAMBA TRAZ CRIS PEREIRA AO CLUBE DO CHORO DE BRASÍLIA

Neste sábado, dia 15 de dezembro, a feijoada do Café Musical convida a cantora CRIS PEREIRA e grupo para uma deliciosa tarde com samba a partir do meio dia.

Dona de uma voz temperada de suavidade, tem seu repertório com raízes fincadas no samba.Em sua caminhada se destacam os projetos “Canto Negro”, “Canções para Carolina” e “Festa de Rua: uma homenagem a Dorival Caymmi”.

Cris Pereira já se apresentou ao lado de grandes nomes do Samba como Nilze Carvalho e Tantinho da Mangueira. Foi finalista do Prêmio da Música Popular Brasileira na categoria Ivone Lara. Foi, ainda, finalista do Prêmio Sesc de Música Tom Jobim 2009. Em 2013 lançou seu primeiro CD "Folião de Raça", com a luxuosa participação de Dona Ivone Lara.A convite da Caixa Cultural, em 2016 Cris Pereira integrou o projeto “Samba de Bamba” nas cidades de Curitiba e Brasília.

Além da música de melhor qualidade, a programação do Café Musical oferece uma deliciosa feijoada servida em buffet, ilha de bebidas, estacionamento e espaço KIDS gratuito para entretenimento das crianças.


SERVIÇO:

O Café Musical convida Cris Pereira
Quando: Sábado, 15 de dezembro, a partir das 12h
Local: Área externa do Clube do Choro de Brasília – Setor de Divulgação Cultural / Bloco G / entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário)
Couvert: R$ 10,00
Feijoada buffet: R$ 39,90. Para crianças até 12 anos: R$ 20,00 (menores de 7 anos não pagam)
Contato: Marília Castro (61 99527-4664)

==> Foto: Face do Evento

CAPOEIRA: PERSPECTIVAS CONTEMPORÂNEAS

No dia 28 de novembro, foi feito o lançamento do Livro “Capoeira: Perspectivas Contemporâneas”, organizado pelo sociólogo e mestre de capoeira Luiz Renato Vieira.

O livro reúne artigos de dez jovens pesquisadores que tem em comum o interesse pela mediação entre suas áreas de pesquisa e a capoeira. Por isso, assumindo a característica plural do conhecimento acadêmico no campo das ciências humanas, o livro está estruturado em três partes: Capoeira e Educação; Capoeira, Sociedade e Ações Governamentais; e Capoeira e Temas Culturais.

De acordo com Luiz Renato, que reuniu pesquisadores-capoeiristas de diferentes regiões do país: “a publicação desse volume deve estimular os debates sobre a nossa arte-luta que, neste ano de 2018, completa dez anos de seu registro como patrimônio cultural imaterial”.

Para ele, este trabalho é um reflexo de um interesse crescente dos estudiosos pela capoeira em seus campos de pesquisa.

Os autores dos artigos que compõem o livro são: Manoj Geeverghese; Luciana Maria Fernandes Silva; Fábio Assis Gaspar; Igor Márcio Corrêa Fernandes da Cunha; Felipe do Couto Torres; Anderson de Freitas Silva; Antônio Carlos Nunes de Carvalho Júnior; Reuel Marely; Mateus Schimith; e Christian Muleka Mwewa. Além dos pesquisadores, o volume conta com artigo de abertura do organizador e textos de José Luiz Falcão, Fábio Loureiro e Joergues Nery na quarta capa, no prefácio e nas orelhas do livro.

==> Foto: Divulgação

7 º Curta Brasília - Festival Internacional de Curta-metragem

O Curta Brasília - Festival Internacional de Curta-Metragem em sua 7ª Edição traz como tema “Afinal o que é real?” e convida o público a mergulhar no futuro e experimentá-lo com vista a criar possibilidades, por meio de mostras especiais de curtas em ficção científica e debates acerca do gênero e o futuro do cinema e novas narrativas. 

 O cinema vem exercendo influência no imaginário coletivo e no olhar para possíveis futuros desde os primórdios, ao sugerir novos rumos tomando como base a ciência e a ficção, expandindo a realidade e transitando entre espaço e tempo por meio da arte e da tecnologia. Nesse contexto, o cinema recria passados, presentes e futuros tanto possíveis como impossíveis (ficcionais), dado que cada obra, em particular, traz a chance de levar o espectador a vivenciar tempos, cenários e ser atravessado por temas e experiências.

Para a 7ª Edição do Festival, a organização preparou uma programação com o objetivo de propor reflexões sobre a capacidade de construção da realidade e sua multidimensionalidade. Em seus seis programas da Mostra Nacional de Curtas, estão filmes que ilustram o passado, ressignificam momentos que apontam para futuros possíveis, bem como discutem questões identitárias e lutas sociais por espaços e direitos, reforçados na Mostra Provocações. Estreia desta edição, a Mostra Tesourinha apresenta um panorama recente de curtas brasilienses. A tradicional Mostra Decibéis leva uma variedade de videoclipes para a grande tela. E na Mostra Calanguinho o público infantil é convidado a curtir e votar em curtas-metragens metragens de todo o Brasil.

As mostras internacionais são quatro: Espanha em Curtas, apresentando produções espanholas de ficção científica em parceria com a Embaixada da Espanha. Gênero também presente na Mostra À Francesa, com distopias e narrativas fantásticas, com apoio da Embaixada da França. A Mostra Holanda em Curtas, uma parceria com o Eye International e a Embaixada do Reino dos Países Baixos, exibe virtualidades em filmes que transitam por universos como o dos games e o da animação. Nesta edição, o Festival traz um olhar especial para a América Latina, por meio de parceria com o festival Bogoshorts na Mostra Colômbia em Curtas, que exibe filmes do país vizinho, com um recorte de sua recente produção.

Já a Mostra Surdocine desde ano exibe quatro episódios da série Crisálida, na qual jovens surdos enfrentam desafios em uma sociedade desenhada apenas para ouvintes. Outra novidade para esta edição é a sessão composta de três curtas nacionais com audiodescrição, sendo dois documentários e uma ficção que transitam entre os ambientes rural e urbano.

A 7ª Edição do Curta Brasília se abre ao visitante como um festival-experiência e o recebe com cenografia interativa, conceitualmente inspirada em diferentes dimensões e universos, montada no Foyer do Cine Brasília. O Espaço CVRTA VR,  em parceria com o evento VR Days, oferece uma programação inédita de curtas e experiências imersivas em Realidade Virtual (VR) além de uma instalação exclusiva de coprodução Brasil-Holanda. Alinhado também às experiências imersivas, o Festival oferece ao público sessões em um planetário móvel de 360º na área externa.

A experimentação virtual do visitante também se estenderá às artes visuais, com duas projeções mapeadas: Brasília vista de cima, de Diego Campos, e Brasília Retrofuturista, de Thiago Freitas. As sessões e ações em realidade virtual ganham força com a realização do Fórum VR composto de oficinas, debates e interações, com a presença de especialistas em novas tecnologias e narrativas imersivas, brasileiros e estrangeiros.


O 7º Curta Brasília – Festival Internacional de Curta-Metragem tem realização da Sétima Cinema, fomento da Secretaria de Cultura do DF por meio do FAC - Fundo de Apoio à Cultura, correalização da Cult Produções e Sesc DF, patrocínio do BRB, Embaixada dos Países Baixos, Fundo Setorial do Audiovisual e Ancine, Apoio Cultural da Embaixada da França, Embaixada da Espanha e do Fundo Brasil de Direitos Humanos.

Programação:

13 de dezembro
19h30: Abertura
20h: Mostra Nacional de Curtas-metragens – Programa 1
22h: Mostra Nacional de Curtas-metragens – Programa 2
14 de dezembro
15h: AudioCine
17h: Colômbia em Curtas – Especial Bogoshorts
19h: Mostra Nacional de Curtas-metragens – Programa 3
21h30: Mostra Nacional de Curtas-metragens – Programa 4
15 de dezembro
10h: Surdocine
15h: Tesourinha
17h: Espanha em Curtas
19h: Mostra Nacional de Curtas-metragens – Programa 5
21h30: Mostra Nacional de Curtas-metragens – Programa 6
23h30: Decibéis
16 de dezembro
10h30: Calanguinho
15h: À Francesa
17h: Holanda em Curtas
19h: Provocações
22h: Cerimônia de premiação

+
Espaço CVRTA VR
Debates
Outras atividades


SERVIÇO:

Curta Brasília - Festival Internacional de Curta-Metragem
Data do evento: de 13 a 16 de dezembro de 2018
Local: Cine Brasília - EQS 106/107 - Asa Sul - Brasília - DF
Entrada franca
No Facebook e no Instagram em @festivalcurtabrasilia
Site oficial: curtabrasilia.com.br

==> Foto: Divulgação

Quasar completa 30 anos com espetáculo na Caixa Cultural Brasília

O novo espetáculo da companhia de dança goiana Quasar reacende uma chama que estava apagada. São essas as palavras de Vera Bicalho, diretora-geral da companhia, ao falar do novo espetáculo que chega a Brasília em dezembro, depois de dois anos de trabalho paralisado. “O que ainda guardo...” traz aos palcos dez bailarinos em um espetáculo comemorativo de 30 anos da Companhia e será apresentado nos dias 14, 15 e 16 de dezembro no Teatro da Caixa Cultural. Sexta e sábado às 20 horas e domingo às 19h. Os ingressos custam R$30 a inteira e R$15 meia-entrada.
 
A Bossa e a Quasar
O que ainda guardo..., é um espetáculo essencialmente brasileiro, que tem a Bossa Nova como o som que dá ritmo aos corpos, unindo-se às composições o talento e sagacidade que energizam os dançarinos da companhia. De acordo com o coreógrafo da companhia, Henrique Rodovalho, o espetáculo ainda carrega elementos que dizem sobre os 30 anos de existência da Quasar e suas características marcantes. “Estilo do movimento, o humor e a leveza na dança. O que nos faz sermos reconhecidos e admirados até hoje por onde apresentamos”, comenta o coreógrafo.
 
Os 30 anos da Quasar coincidem com os 60 anos da Bossa Nova, temática proposta pela Vivara para esse novo espetáculo em parceria com a Companhia goiana, especialmente convidada para o projeto. A encenação, adianta Rodovalho, não guarda um relato linear. As letras das canções de Bossa Nova foram pontos chave para que um tipo de movimento se arquitetasse entre coreógrafo e intérpretes. Os temas abordados pelos compositores, muitos deles singelos e ligados a um cotidiano ingênuo e pueril, nesta trilha sonora são cantados como se fossem conversas entre amigos.
 
Incentivo à cultura:
A CAIXA Cultural Brasília, inaugurada em 1980, foi o primeiro espaço cultural instituído pela CAIXA. Localizada na região central de Brasília, perto da estação Galeria do metrô e da rodoviária do Plano Piloto, possui cinco galerias, teatro, sala multimídia e Jardim das Esculturas. Em 2018, estão previstos a realização de 60 projetos e o retorno do Programa Educativo CAIXA Gente Arteira.
 

SERVIÇO:

Quasar Cia de Dança comemora 30 anos apresentando “O que ainda guardo...”
Local: CAIXA Cultural Brasília – Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3/4)
Datas: 14, 15 e 16 de dezembro
Horários: Sexta e sábado – 20h, Domingo – 19h,
Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada para estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de brinquedos).
Bilheteria: de terça a sexta e domingo, das 13h às 21h, e sábado, das 9h às 21h. Contato: (61) 3206-6456
Duração: 64 minutos
Classificação: Livre
Capacidade: 406 lugares (8 para cadeirantes)
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Apoio: CAIXA e Governo Federal
Ficha Técnica:
Criação e Direção Coreográfica: Henrique Rodovalho | Direção de Ensaio: Valeska Gonçalves | Bailarinos: Claudionor Alves, Gabriela Leite, Gustavo Silvestre, Jey Santos, Loretta Pelosi, Marcella Landeiro, Rafael Abreu, Rafael Luz, Thaís Kuwae e Valeska Gonçalves | Trilha sonora inédita (1ª música): Cleyber Ribeiro | Figurino: Júlia Novaes | Cocriação do figurino: Ana Maria Mendonça | Execução do figurino: Criatto - Eulésia Lima | Cenário, fotografia e identidade visual: Marcus Camargo | Desenho de Luz: Henrique Rodovalho | Operação de luz: Sérgio Galvão | Coordenação de Produção: Vera Bicalho | Produção: Giselle Carvalho | Direção geral da Quasar Cia. de Dança: Vera Bicalho | Direção artística da Quasar Cia. de Dança: Henrique Rodovalho

==> Foto: Marcus Camargo

Sucesso brasiliense nas décadas de 1990 e 2000 terá temporada de verão no UK Music Hall

Após um hiato de oito anos, a banda brasiliense BSB Disco Club retornou aos palcos em 6 de dezembro de 2018 e agora parte para temporada de verão na casa noturna brasiliense UK Music Hall.

No repertório da banda que fez grande sucesso entre 1996 e 2010, o melhor do anos 70, com disco, funk e soul; anos 80, com groove e pop e anos 90, com eurodisco. “Temos hits nacionais e internacionais, sempre priorizando o sensorial em tempo real. A ideia é fazer dançar, cantar, curtir e embalar a festa”, diz Gustavo Vasconcellos, fundador e baterista da banda e único remanescente da formação original.

Além de Gustavo, a BSB Disco Club conta com André Benedetti (baixo) e JC (percussão), que passaram pela banda em momentos distintos, Pedro Hermínio (teclados), Felipe Barão (guitarra e vocais) e Aline Lakiss, Sol Leles e Thiago Ruby (vocais).

O show tem produção caprichada, com os componentes caracterizados com figurinos especiais. Além da performance da banda, haverá participações de artistas da cidade e, no intervalo, o dj Jamaica.


SERVIÇO:

Bsb Disco Club
Local: UK Music Hall – CLS 411 – 21:30H
Datas: 13/12- 17/01- 24/01- 31/01- 07/02- 14/02- 21/02 e 28/02
Ingressos: R$30,00 (trinta reais)
Classificação etária: 18 anos
Reservas e Informações: (61) 99514-8649

==> Foto: Henrique François e Charlotte Vilela

Chá com as Damas, estreia dia 13 de Dezembro em 25 salas e em 11 cidades

Com as fantásticas atrizes Judi Dench, Maggie Smith, Joan Plowright e Eileen Atkins, o filme “Chá com as Damas”, já aclamado pela crítica e também pelo público nos Estados Unidos e no Reino Unido, estreará nos cinemas brasileiros no dia 13 de Dezembro nos cinemas, com distribuição da Supo Mungam Films.

O filme dirigido por Roger Michell, de sucessos como "Um Lugar Chamado Notting Hill" e "Um Fim de Semana em Paris", é um divertido documentário estrelado por quatro das maiores atrizes britânicas de todos os tempos, Judi Dench  ("O Exótico Hotel Marigold", franquia "007"), Maggie Smith ("A Senhora da Van", "Minha Querida Dama", "Downton Abbey"), Joan Plowright ("Chá com Mussolini", "Um Sonho de Primavera") e Eileen Atkins ("Assassinato em Gosford Park", "The Crown").

SINOPSE: De tempos em tempos, quatro amigas de longa data, se encontram para uma tarde de chá no interior da Inglaterra para conversar, relembrar e rir. CHÁ COM AS DAMAS convida você para passar um tempo com as divertidas e extraordinárias atrizes, as Dames Judi Dench, Maggie Smith, Eileen Atkins e Joan Plowright.

CHÁ COM AS DAMAS 
Um filme de Roger Michell
Estrelado por Judi Dench, Maggie Smith, Joan Plowright e Eileen Atkins
Nothing Like a Dame | Reino Unido | 84 minutos | Documentário | 2018
Distribuição: Supo Mungam Films

SÃO PAULO
Espaço Itaú de Cinema Augusta
Caixa Belas Artes
Reserva Cultural
Cinesala
Cinesystem Morumbi Town

RIO DE JANEIRO
Estação NET Rio
Espaço Itaú de Cinema Botafogo
Cine Casal Barra Point
Cine Cândido Mendes
Cine Star Laura Alvim

PORTO ALEGRE
Espaço Itaú de Cinema Porto Alegre
Guion Cinemas

BRASÍLIA
Espaço Itaú de Cinema Brasília
Cine Cultura Liberty Mall

BELO HORIZONTE
Cinema Belas Artes
Cineart Ponteio

SALVADOR
Espaço Itaú de Cinema Salvador
Saladearte Paseo
Saladearte Museu

RECIFE
Moviemax Rosa e Silva

CURITIBA
Espaço Itaú de Cinema Curitiba
Cineplex Batel

FLORIANÓPOLIS
Paradigma Cine Arte

VITÓRIA
Cine Jardins

NITERÓI
Reserva Cultural Niterói


==> Foto: Divulgação