CIRCUITO BRASILEIRO: Alison e Bruno Schmidt e Maria Elisa e Carol Solberg vencem no Ceará

Alison e Bruno Schmidt conquistam etapa de Fortaleza no retorno de ‘Mamute’

O ‘Mamute’ está de volta. Após duas etapas ausente do Circuito Brasileiro de vôlei de praia, o campeão olímpico Alison (ES) venceu ao lado do parceiro Bruno Schmidt (DF) a etapa de Fortaleza (CE) do tour na noite deste sábado (27.01). O triunfo foi sobre os atuais campeões mundiais Evandro e André Stein, por 2 sets a 0 (21/18, 24/22), em 47 minutos de partida. A medalha de bronze ficou com Guto/Vitor Felipe (RJ/PB).

É o primeiro título da dupla nesta temporada 2017/2018 e a 12ª etapa de Circuito Brasileiro conquistada por Alison e Bruno Schmidt, que recebem 400 pontos no ranking geral e um prêmio de R$ 45.050,50 pelo primeiro lugar. Apesar da prata, Evandro e André Stein seguem na liderança do ranking geral, com 1.400 pontos, somando os resultados das quatro paradas.

A campanha da dupla em Fortaleza (CE) foi perfeita e contou com seis vitórias por 2 sets a 0. No final de 2017, nas etapas de Natal (RN) e Itapema (SC), Alison se poupou por questões pessoais e físicas. O retorno foi em grande estilo e o atleta igualou Franco, Roberto Lopes e Emanuel, maiores vencedores de etapas na capital cearense, cada um com cinco conquistas.

“É muito bom completar 32 anos de idade, chegar realmente na casa dos 30 e ganhando um título. Voltar depois de quase três meses de uma parada forçada. Eu estava com saudades do circuito, de tudo que isso representa. Saudade de jogar uma final assim, virar um set, saber que ainda sou um atleta de alto nível, jogar ao lado de um time que já conquistou tudo. A torcida está aqui de manhã, ao meio-dia, de noite, sempre nos apoiando, de bom humor, passando energia. Tenho muito orgulho disso”, disse Alison, que completou.

“A final foi um verdadeiro "jogaço". O André e o Evandro formam um time que já gravou o nome na história, que trabalha muito. Tenho muito orgulho deles, pois o André começou com a gente e o Evandro sempre esteve perto de nós, se espelhando e hoje carregam o nome do Brasil sempre no pódio. O Brasil está de parabéns, jogar o Circuito aqui é muito difícil, temos muito times bons e eu amo isso aqui, voltar ganhando é muito bom", destacou o ‘Mamute’.

Bruno Schmidt também comemorou o retorno de Alison e fez questão de elogiar a atuação de Evandro/André Stein.

"Eu fico mais ansioso que ele (na ausência de Alison). Ele tem um planejamento e é o termômetro da nossa equipe. O empenho que ele colocou aqui foi imenso, a gente quase não treinou. Mas temos muita vontade de fazer tudo de novo, ter ele de volta é muito bacana. Eles (André e Evandro) não foram campeões mundiais à toa. Eles são o futuro do vôlei de praia, dupla alta, que se reveza no bloqueio. Sou muito feliz no meu esporte, tento manter o meu espaço, mas sei que a evolução da nossa modalidade é essa. Então é sempre satisfatório conquistarmos o resultado de uma comissão técnica tão grande”.

A partida do bronze não aconteceu, já que Bruno de Paula (AM) se lesionou na semifinal do torneio e acabou abandonando a partida. O manauara, parceiro de Thiago (SC), sofreu lesão no joelho esquerdo e irá fazer uma cirurgia na próxima segunda-feira. Vitor Felipe e Guto ficaram com o terceiro lugar sem entrar em quadra, e lamentaram.

“Ficamos mais tristes por ver um companheiro se lesionar, do que felizes pelo pódio. Sempre nos imaginamos no lugar de quem se lesiona. Vamos torcer para que ele se recupere e volte rapidamente. O Bruno é um atleta muito querido por todos. Vamos seguir trabalhando muito forte, buscando sempre estarmos nas disputas de medalha e felizes com a química e amizade que conquistamos rapidamente nesta dupla”.

O Jogo
Os dois times começaram o duelo de maneira equilibrada, com André aparecendo bem nos bloqueios e Alison sendo alvo da maioria dos saques. Em largada de Evandro para fora, Alison e Bruno Schmidt abriram dois pontos: 11 a 9. Na parada técnica, a vantagem dos campeões olímpicos era de um ponto. Alison mantinha os ataques quase perfeitos e não desperdiçava as viradas de bola, mantendo sempre a dupla na ponta do placar.

Os saques de Evandro, que usualmente fazem a diferença, não encontraram no primeiro set a mesma regularidade. Sem uma das principais armas, o time dos atuais campeões mundiais não conseguiu reduzir a diferença no placar e acabou em situação difícil. Administrando a vantagem, Alison/Bruno fechou o set por 21 a 18 em erro de recepção de Evandro.

No segundo set, os times alternaram a vantagem. Os campeões olímpicos logo abriram 2 a 0, mas André Stein, em bloqueios seguidos, encaixou a virada para 5 a 3. Evandro também encaixou bem uma série de saques, quebrando o passe de Alison e forçando pedido de tempo do time campeão olímpico, que perdia por 7 a 3.

Alison e Bruno cresceram e voltaram para o jogo, reduzindo a diferença pouco a pouco. Na parada técnica, a desvantagem era de um ponto: 10 a 11. Nos dois lances seguintes, bloqueios de Alison e virada no placar: 12 a 11. Os campeões mundiais Evandro e André retomaram o controle e voltaram a liderar. Em contra-ataque de André, a dupla abriu três de frente: 17 a 14.

O set parecia definido, mas Alison/Bruno Schmidt não desistiu e salvou vários set points consecutivos, virando o placar em bloqueio de Alison, que no lance seguinte fechou a vitória por 24 a 22 novamente em um lindo paredão. Vitória e medalha de ouro no peito.



Maria Elisa e Carol Solberg vencem em Fortaleza e ampliam vantagem no ranking

Maria Elisa e Carolina Solberg (RJ) começaram o ano como haviam terminado 2017, vencendo mais uma etapa do Circuito Brasileiro de vôlei de praia. Jogando em Fortaleza (CE), a dupla superou Ágatha e Duda (PR/SE) por 2 sets a 1 (15/21, 21/10, 15/13), em 52 minutos na manhã deste domingo (28.01). A medalha de bronze ficou com Taiana e Julia Sude (CE/ALE).

O resultado amplia a liderança de Maria/Carol no ranking geral, que soma a pontuação obtida em cada etapa e define o campeão da temporada. A dupla atingiu 1.520 pontos, contra 1.360 de Ágatha e Duda. Este é o segundo ouro de etapa do Circuito Brasileiro para Maria e Carol, que venceram no final de 2017 em Itapema (SC), além de terem sido vice-campeãs nas paradas de Campo Grande (MS) e Natal (RN).

Com a medalha de ouro, Maria Elisa e Carol Solberg recebem 400 pontos no ranking geral e um prêmio de R$ 45 mil. Já Duda e Ágatha, vice-campeãs, somam 360 pontos e levam para casa pouco mais de de R$ 29 mil em premiação, enquanto o bronze de Taiana e Julia rende R$ um prêmio de R$ 20 mil e 320 pontos na classificação.

A campanha da dupla em Fortaleza (CE) contou com seis vitórias, cinco delas por 2 sets a 0. Após a comemoração no pódio, Carolina comentou a vitória de virada e analisou a decisão.

“Foi um jogo muito duro, não jogamos bem no primeiro set. Nosso jogo não estava entrando, mas tivemos paciência para ajustar o que não estava funcionando. No segundo set sacamos melhor e a virada de bola também funcionou. Nós queremos melhorar a cada torneio, estamos neste processo. Conseguimos colocar em prática o que fizemos nos treinos. O barato de jogar é justamente saber que uma ajuda a outra a tentar se superar. Ágatha e Duda são um time muito forte. Agora é hora de abrir o olho, temos uma boa regularidade, mas ainda estamos no começo. Temos que pensa ponto a ponto, jogo a jogo e torneio a torneio", destacou.

Maria Elisa também comentou a importância da vitória para fortalecer o time visando o Circuito Mundial e elogiou o técnico da dupla, Luciano Kioday.

“O Kioday consegue se desdobrar em várias funções e vem se mostrando um grande treinador. É uma energia muito boa que ele passa para a gente nos treinos. A preleção dele tem sido muito bacana. Dentro de quadra é um espelho do que vivemos todos os dias. Estou treinando muito e estudando os times, isso tem me deixado bastante preparada para as partidas. Estamos mostrando o potencial do nosso time e vencer é importante, é nossa renda. Estamos em busca de patrocinadores para poder ter uma comissão técnica forte”.

O bronze de Taiana e Julia Sude deixou a torcida dividida, já que do outro lado também estava uma atleta cearense. Mas a vitória por 2 sets a 1 (21/12, 18/21, 15/9), em 47 minutos, sobre Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE) teve sabor de ‘ouro’ para a dupla formada provisoriamente.

“Fizemos só 30 minutos de ‘bate-bola’ antes do torneio. Fomos evoluindo durante os jogos, nos entrosamos bem. No começo só falava em inglês, depois estava usando até algumas expressões de jogo em português, fiquei totalmente confusa (risos). Foi muito divertido. Chegamos na arena uma hora antes, ela já estava lotada, as pessoas fazendo barulho, empolgadas com o esporte. Taiana é da casa, mas também senti a torcida e o carinho comigo”, disse Julia Sude, que retorna para a Alemanha para atuar com Chantal Laboureur.

“Nunca imaginaria jogar com uma estrangeira, inesperada a situação, mas parecia que jogávamos há muitos anos. O levantamento é a principal dificuldade de um time novo, e mesmo neste fundamento, estávamos muito bem. Julia jogou demais, sacou bem, bloqueou, me ajudou muito. É um terceiro lugar com sabor de ouro, tivemos uma atitude de time campeão, foi sensacional vencer perto da minha família”, analisou Taiana.

O Jogo
A partida começou com Maria Elisa e Carolina abrindo 4 a 1 após alguns erros de ataque de Ágatha/Duda e bons contra-ataques das atuais líderes do Circuito Brasileiro. Aos poucos, porém, as comandadas da técnica Letícia Pessoa viraram o placar graças a bons contra-ataques de Duda: 8 a 7. Na parada técnica da primeira parcial, Ágatha/Duda vencia por 11 a 10.

Ágatha começou a brilhar no bloqueio e com ponto neste fundamento anotou 13 a 10 no placar. Quando a vantagem chegou a quatro pontos, as líderes do ranking brasileiro pararam o jogo para tentar mudar o panorama. Ágatha e Duda não deixaram a reação acontecer, se mantiveram perfeitas na virada de bola, e também gerando contra-ataques, fecharam o primeiro set em diagonal potente de Duda: 21 a 15.

O segundo set começou equilibrado, com os times mantendo a virada de bola, mesmo com bons saques dos dois lados. Aos poucos, Maria Elisa passou a desequilibrar e conseguiu fazer sua dupla abrir 8 a 5, forçando pedido de tempo de Letícia Pessoa.

Ágatha/Duda passou a ter muita dificuldade no passe e, em bola de graça atacada por Carol, a vantagem subiu ainda mais: 15 a 8. Administrando a vantagem, Carol e Maria fecharam o segundo set por 21 a 10 após um rally incrível em que Duda atacou para fora.

Os times começaram o tie-break com alvos definidos: Ágatha de um lado, Maria Elisa de outro, recebiam a maioria dos saques. E confirmavam seus pontos. A vantagem trocou de mãos, mas nunca sendo maior que de um ponto. Quando Carol conseguiu ponto de bloqueio, Maria Elisa errou ataque seguinte, mantendo a partida empatada.

O jogo ficou tenso e muito equilibrado. Dois ataques de Ágatha deram a maior vantagem até aquele momento para um dos times: 12 a 10 para Maria Elisa/Carol Solberg. O empate chegou logo na sequência, com um ataque e um bloqueio da própria Ágatha.

No momento de decisão, um ace de Maria Elisa deu o primeiro match point para a dupla. Ágatha salvou o primeiro em bola atacada na paralela. Na segunda tentativa, após belo rally, Maria Elisa confirmou a vitória em largada anotando 15 a 13 no set de desempate.


SERVIÇO:

Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia - Etapa de Fortaleza
O Circuito Brasileiro é composto por sete etapas, três que foram realizadas em 2017 - Campo Grande (MS), Natal (RN) e Itapema (SC) - e mais quatro neste ano. Além de Fortaleza (CE), a competição passará por João Pessoa (PB), de 21 a 25 de fevereiro, Maceió (AL), de 14 a 18 de março, e Aracaju (SE), de 4 a 8 de abril. Ainda em abril ocorre também o Superpraia, que reúne os melhores times da temporada e será disputado de 25 a 29, em Brasília (DF).

A competição distribui R$ 45 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são quase R$ 500 mil por etapa. A novidade nesta temporada fica por conta da volta do classificatório e do aumento de duplas, passando de 16 para 24 times na fase de grupos da competição.

VEJA A GALERIA DE FOTOS
http://2018.cbv.com.br/galeria/1993/fortaleza-ce---27.01.2018---final-masculina-circuito-brasileiro

==> Foto: L.C. Moreira / Inovafoto / CBV

0 comentários:

Postar um comentário