156 anos sem Schopenhauer

Há 156 anos, em 21 de setembro de 1860, em Frankfurt, a humanidade perdia um de seus mais célebres filósofos. Arthur Schopenhauer, que distinguiu-se ao optar por uma visão pessimista da vida e ao enfatizar a vontade, à custa do intelecto, em seu retrato da constituição mental do homem.

Com sua profunda melancolia e entusiasmo sublime, este paradoxal autor cantou com tristeza as misérias da existência humana, mas louvou como ninguém as belezas da música e da arte.
Por ocasião da passagem do aniversário de sua morte e para proporcionar acesso às suas contribuições, a Editora Unesp oferece 20% desconto nas obras de e sobre o pensador. Confira a seleção abaixo:
Autor: Arthur Schopenhauer | Páginas: 696 | De R$ 108,00 por R$ 86,40
Com tradução revisada, o primeiro tomo de O mundo como vontade e como representação, obra magna de Schopenhauer, é a mais completa edição em língua portuguesa deste grande clássico da filosofia alemã. Imprescindível para o vislumbre do horizonte em que se movem as chamadas filosofias do impulso, com reflexões sobre o irracional e o inconsciente. A crítica do irracional neste tratado também passa pela crítica da razão.


Autor: Arthur Schopenhauer | Páginas: 824 | De R$ 132,00 por R$ 105,60
O livro pode ser entendido como uma nova forma que Schopenhauer encontrou para expor suas ideias filosóficas, aproximando a metafísica da psicologia. Esses “suplementos”, como o autor os denominava, não constituem tão somente uma revisão madura do texto da juventude, mas uma outra obra escrita desde a mesma estrutura, em que aprofunda a noção de representação de que a existência objetiva das coisas depende do ser que as representa. Assim, Schopenhauer aprofunda sua tese com respeito à relação entre o racional e o intuitivo, afirmando que “a pura vontade irracional cega e inconsciente” é primária, e a razão, secundária, um mero momento dessa vontade em sua “manifestação cosmológica”

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário