Mandala do Templo da Paz

Obra de arte integrante do acervo do Templo da Boa Vontade (TBV), a Mandala, um painel em cristal com interferência em mármore, composto de dois planos, é uma criação da artista plástica alemã Ula Haensell (1938-1992), feita especialmente para o Templo da Paz, como o monumento também é conhecido. Encontra-se exposta no Memorial Alziro Zarur, ambiente de meditação que homenageia o saudoso fundador da Legião da Boa Vontade (LBV).

A palavra mandala, originária do sânscrito, um dos idiomas oficiais da Índia, significa círculo, forma geométrica que é a imagem da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. Segundo a concepção de Ula Haensell, a obra, na face anterior, simboliza o Ecumenismo Irrestrito, propagado pelo TBV, onde pessoas de todas as etnias, qualquer que seja a filosofia e/ou credo religioso, político ou outro que professem, além de ateus e materialistas, podem orar e meditar com tranquilidade. Na parte posterior, pássaros em voo livre, impulsionados da Terra para o Céu, representam a busca do ser humano pela elevação espiritual. Também estão retratados os sete principais chacras, pontos de energia do indivíduo. Nas duas faces do painel há a inscrição da primeira e da última letras do alfabeto grego, Alfa e Ômega, utilizadas para descrever Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, no Apocalipse, o último Livro da Bíblia Sagrada.

Quando da inauguração da obra, a artista assim se expressou para explicá-la: “Na parte principal do painel, no centro, temos a cor do ouro, a cor de Deus, o Divino, a Força Cósmica, seja como nós chamamos. Em volta, temos a cor esmeralda, que é a cor da Legião da Boa Vontade. Depois, temos a cor prata, que é a ligação entre o material e o espiritual. Ao redor, são sete cores, divididas em sete espaços, que simbolizam todas as áreas do conhecimento humano”.

Peregrinos e turistas de todas as partes do Brasil e do mundo estendem as mãos em direção à Mandala com o objetivo de fortalecer o Espírito para enfrentar as batalhas do cotidiano.

Inaugurado em 21 de outubro de 1989, pelo diretor-presidente da LBV, José de Paiva Netto, o Templo da Boa Vontade é o monumento mais visitado da capital brasileira, de acordo com dados oficiais da Secretaria de Estado de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF). Uma boa oportunidade para conhecer a Mandala, belíssima obra de arte, é participar das festividades dos 23 anos do TBV, uma das Sete Maravilhas de Brasília/DF, que está localizado no SGAS 915, Lotes 75/76. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (61) 3114-1070 ou no site www.tbv.com.br.

==> Foto: André Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário