Espetáculo Conte Lá Que Eu Canto Cá ocupará Ceilândia, Samambaia e Sol Nascente

Causos e contos, toadas e modas, histórias cantadas, músicas entoadas. A atriz Adriana Nunes e o músico Marcello Linhos, ambos da Companhia Os Melhores do Mundo, se juntam aos músicos Marcelo Lima e Nelson Latif para lançar um novo olhar sobre o sertão do País. Com direito a sotaques variados e a um cenário lúdico que visa encantar jovens, adultos e a terceira geração. Após rodar o Brasil, passar por Moçambique, África do Sul e também ocupar a internet e tempos de pandemia, o espetáculo cênico-musical Conte Lá Que Eu Canto Cá irá entrar em cartaz de forma presencial em Ceilândia, Samambaia e Sol Nascente.

A produção estreará no dia 1º de dezembro, às 10h, 16h e 19h30 no CEM 12 (St. P QNP 13) da Ceilândia. Já no dia 8 do mês estará em cartaz no Complexo Cultural de Samambaia (Centro Urbano de Samambaia Sul) às 9h30, 15h e às 20h. Gratuito. Livre para todos os públicos.

As sessões de Ceilândia e do período matutino e vespertino de Samambaia serão voltadas para estudantes. Já a sessão das 20h no complexo Cultural de Samambaia será aberta ao público. Agendamento para levar escolas nos turnos matutinos e vespertinos das apresentações de Samambaia via WhatsApp: (61) 99400-8716.

Causos goianos do hilário Geraldinho de Goiás lado a lado com a poesia "matuta" de Patativa do Assaré e Catulo da Paixão Cearense, entremeados pelo forró de Sivuca e o pagode de Viola de Tião Carreiro. Após percorrer 27 estados brasileiros, conquistar também o público internacional e a internet, Adriana Nunes e Marcello Linhos prometem novamente muita animação em um belo reencontro com o coração sertanejo.

“É um encontro também com o nosso sertão interior. Eu e Adriana somos filhos de mãe goiana e pai mato-grossense e temos o Centro- Oeste no sangue e uma paixão em comum pela música e histórias populares do interior do Brasil”, destaca Linhos.

E é essa identidade dos interiores do múltiplo Brasil que os dois vão mostrar com muita atuação e, também, um som de raiz ao lado dos também músicos Marcelo Lima e Nelson Latif.

“Como somos naturais de Brasília, ainda tivemos o privilégio de conviver com todas as culturas em um único lugar que recebeu povos de todos os estados e se transformou em uma cidade rica em diversidade cultural”, ressalta Adriana Nunes.

Além da sessão aberta ao público, a produção educativa visa atingir as escolas do Distrito Federal que terão sessões especiais e uma bela aula sobre a identidade do Brasil de raiz.

“Todos os interessados pela cultura regional como literatura de cordel, música caipira, contos, poesia matuta, moda sertaneja, toadas e demais manifestações da cultura de raiz vão curtir e aprender conosco, de forma leve, e dar boas gargalhadas. Queremos levar arte para estudantes que muitas vezes não têm acesso seja pela distância ou até pelo valor dos ingressos”, conclui Nunes.

A circulação do projeto Conte Lá Que Eu Canto Cá conta com o fomento do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal.

Ficha Técnica:
Espetáculo Cênico-musical com Adriana Nunes, Marcello Linhos,
Marcelo Lima e Nelson Latif
Gestão de patrocínio: Cléber Lopes
Diretor de produção: Magno Telles
Produção: Paula Jacobson


SERVIÇO:
 
Conte Lá Que Eu Canto Cá

Ceilândia:
Data: 1º de dezembro, quarta-feira
Horários: 10h, 16h e 19h30
Local: CEM 12 (St. P QNP 13 – Ceilândia)

Samambaia:
Data: 8 de dezembro, quarta-feira
Horários: 9h30, 15h e às 20h (última sessão aberta ao público)
Local: Complexo Cultural de Samambaia (Centro Urbano de Samambaia Sul)

Gratuito
Informações: Instagram: @marcellolinhos
Livre para todos os públicos

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário