Cientista político francês examina a política sob a luz da antropologia do nome

Com enfoque na chamada “interioridade”, Sylvain Lazarus propõe que não se pode reduzir a política a qualquer outro espaço que não o de outras disciplinas

A política não está simplesmente circunscrita à chamada arte de governar, mas ligada a toda uma teia social de complexidades que congrega concepções, atitudes, interesses, lutas, rebeldia, conformismo, organização. É corriqueiro encaixar a política nas instituições, como política e Estado. Mas ela não é apenas isso. Na trilha de um completo empreendimento heurístico, o sociólogo, antropólogo e cientista político francês Sylvain Lazarus se propõe, em Antropologia do nome, lançamento da Editora Unesp, a estudar a política em sua interioridade. 

Ao longo de sete capítulos divididos em duas partes, o autor se apoia na antropologia do nome, “uma nova abordagem do pensamento e dos fenômenos de consciência, isto é, do pensamento das ‘pessoas'”, para defender a ideia de que a política é detentora de um campo de pensamento próprio, que não se subordina a um campo exterior, seja ele ligado a aspectos filosóficos, econômicos ou históricos, sem que o pensamento desapareça. “Minha tese é que a política deve ser pensada a partir dela mesma, e não por intermediação de outras disciplinas”, anota Lazarus. 

O autor resgata nomes do comunismo e do pensamento marxista, como Lenin, Mao e Althusser, para evidenciar elementos responsáveis pela tensão existente desde aqueles tempos entre ciência e política. “Este livro tem o objetivo de elucidar o subjetivo do interior do subjetivo, ou, como costumo dizer, ‘em interioridade’, e não pela convocação de referentes objetivistas ou positivistas”, explica. “A política em um sentido renovado valerá como exemplificação de uma abordagem em subjetividade. Com efeito, minha tese fundamental sobre a política é que ela é da ordem do pensamento. Trata-se de uma tese sobre o caráter irredutível da política a qualquer outro espaço que não o dela, e sobre a necessidade de se refletir sobre ela em sua singularidade.”

Sobre o autor – O sociólogo, antropólogo e cientista político Sylvain Lazarus nasceu em 1943. Professor de Antropologia na Universidade Paris VIII - Vincennes, é figura influente na intelectualidade francesa pós-1968. Também escreveu sob o pseudônimo “Paul Sandevince”.

TítuloAntropologia do nome
Autor: Sylvain Lazarus
Número de páginas: 267
Formato: 14 x 21 cm
Preço: R$ 49,00
ISBN: 978-85-393-0688-6

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário