Ruth Guimarães aborda o processo de envelhecimento com poesia e muito humor

O espetáculo “Velhice Ponto G”, de Ruth Guimarães, ganha temporada na Sala Adolfo Celli do Teatro Goldoni de 2 a 11 de dezembro. Como uma conversa descontraída na calçada, a atriz compartilha com o público, interessantes reflexões sobre o processo de envelhecimento, com poesia e muito humor.

Em um país onde as estatísticas apontam para mais de 21 milhões de pessoas velhas, e que, igualmente ao resto do mundo, esta população cresce em escala progressiva, a atriz e autora, Ruth Guimarães, em seus 70 anos de idade, traz para a cena, seu olhar e suas reflexões sensíveis e bem humoradas sobre este momento tão inerente à condição humana: Envelhecer.

“Como falar do envelhecimento sem cair no chavão? Como falar dos meus prazeres, das minhas agonias, dos meus sonhos, das minhas utopias, do meu tesão, das minhas inquietações de mulher, pois que envelheci, é, envelheci, de verdade?” Reflete Ruth Guimarães.

“Aí, pensei: a minha grande porta é o Teatro. Por que não, ao envelhecer, me atrever a escrever, montar e apresentar um espetáculo solo, autoral? Até porque, os sabores e dissabores das vivências que carrego, só são experimentados por mim e, paradoxalmente ao envelhecimento, me veio a lucidez de que ninguém melhor do que eu para fazer estes registros. Arregacei minhas energias e fui a luta, uma vez que não podia mais perder tempo, pela própria idade que me confere.” Provoca a artista.

“Aí me vieram vários questionamentos sobre o envelhecimento: Como ir ao encontro do meu ponto G, da minha zona de prazer, para além da sexual, na velhice? Como envelhecer em harmonia com essa avalanche de novidades tecnológicas? Como não perder o referencial de cidadã velha, em relação a meus direitos? Como administrar a possível solidão, sem me virilizar? Como conviver com as mazelas humanas, sem perder as esperanças? Como não escamotear as dores reumáticas diante de um mercado que aposta na juventude eterna? Como não entrar nessa armadilha desses apelidos que inventaram pras pessoas velhas? Como ressignificar atitudes e conceitos em relação à velhice, para um possível reposicionamento das pessoas velhas diante da vida? Inclusive do meu, claro.” Pensa Ruth.

“E os jovens? Pensando em seduzi-los, também, para estas reflexões, o texto dialoga com essa geração y/z, jovens que já nasceram dentro do mundo digital e durante a encenação têm a oportunidade de refletirem sobre a necessidade e a importância do toque físico, vital à sobrevivência humana, para além do ‘touch screen’, ou seja, para além da tela. Como não tenho vocação para tragédias, muito menos para dramas, procuro trilhar um caminho poeticamente alegre e descontraído para estas reflexões.” Convida.

O diálogo franco em “Velhice Ponto G” poderá nos trazer, ao contrário dos discursos pessimistas ou de auto piedade, um avanço nas discussões sobre a humanidade, suas fragilidades, mas, sobretudo, sobre a velhice como espaço de resistência, de prazer, de dignidade e de ousadia. Onde a velhice não seja apenas um exemplo, mas sobretudo, um maravilhoso banquete, onde são servidas apetitosas histórias. Afinal, envelhecer é a grande chance de aprofundar o mapa pessoal e servir de guia para os jovens.

Sobre a atriz e autora:
Ruth Guimarães, 70 anos de idade, é arte educadora, atriz, diretora e produtora cultural, especializada em Linguagem Teatral e Arte Educação, pela Faculdade de Artes Dulcina de Moraes de Brasília D.F.

Sua atuação como atriz, se destaca nos seguintes espetáculos solos: “Até Que a Vida Nos Separe”, texto de Ricardo Guilherme e direção de Marcelo Alves – “As Idades Da Loba” e “ O Teatra”, ambos com texto e direção de Ricardo Guilherme – “Velhice Ponto G”, texto autoral, direção de Ruth Guimarães e Susy Élida.

Ficha Técnica:
Atuação e Texto: Ruth Guimarães
Consultoria de Texto: Susy Élida ( Fortaleza/Ce)
Direção: Ruth Guimarães e Susy Élida
Assistência de Direção: Cláudio Falcão
Cenotécnica: Sérgio Vianna
Fotografia: Thiago Sabino
Coordenação de divulgação: Ana Flávia Garcia
Identidade Visual: Gabriel Guirá
Assessoria de Imprensa: Renato Acha


SERVIÇO:

Velhice Ponto G, de Ruth Guimarães
Local: Sala Adolfo Celli do Teatro Goldoni (EQS 208/209 – Asa Sul)
Datas: 2/12 (sexta) 3/12 (sábado) 4/12 (domingo)
10/12 (sábado) e 11/12 (domingo)
Horário: Sempre às 20:30
Ingressos: R$ 40,00 e R$ 20,00
Observação: A doação de um material de limpeza, que será doado ao “Lar São Francisco”, também dará direito à meia-entrada.
Informações: (61) 3244-3333
Classificação indicativa : 16 anos.

==> Foto: Thiago Sabino

0 comentários:

Postar um comentário