Sarau Chatô festeja França e Rio de Janeiro

Vanguarda na literatura, na música, no cinema, na moda e em tantas outras manifestações, a França será celebrada na 22ª edição do Sarau Chatô, que também homenageia a brasilidade irreverente da arte com raízes no Rio de Janeiro. A festa multicultural recebe o músico francês Nicola Són, um parisiense apaixonado pela expressividade brasileira que vem fazendo fusões sonoras com clássicos dos dois países. Són canta canções francesas com ritmos do Brasil e sucessos brasileiros embalados em francês. E como a música tem o poder de transportar, o palco do Sarau também apresenta Luciana Luppy cantando nos dois idiomas. Para celebrar o Rio, Reco do Bandolim & Grupo Choro Livre com chorinho, Marcelo Amorim com um show de gafieira e a escola de samba Aruc com passistas e muito samba. O encontro será no dia 19 de outubro, a partir das 19h, no Hípica Hall. O evento é promovido pela Fundação Assis Chateaubriand e tem o patrocínio da Petrobras.

O diretor cultural da Fundação, Márcio Cotrim, revela que a alegria será a marca da 22ª edição do Sarau. “A cultura, principalmente a música e a dança, sempre uniram Brasil e França. Nossa festa irá trazer a essência desse elo para os brasilienses. Os dois países têm muito em comum e o intercâmbio cultural entre as duas nações vem se intensificando nos últimos anos”, pontua. O músico Nicola Són é um exemplo. Ele escolheu o Brasil para viver e trabalhar e mora em São Paulo desde 2013. Três anos antes, porém, fez uma imersão na Lapa, símbolo da boemia carioca e berço do samba. Por lá, encontrou músicos, compôs e adaptou em francês clássicos da MPB. Foi assim que nasceu o primeiro álbum do elo entre Són e o Brasil, o Parioca, disco que recebeu um entusiástico retorno de crítica e de público, que ficaram curiosos e maravilhados com o jovem francês. Atualmente, o parisiense está na estrada com seu terceiro trabalho, Sampathique – contração de Sampa e Sympathique, no francês. O álbum encerra a trilogia de Són sobre a música brasileira – Parioca, lançado em 2010, é voltado para o samba, enquanto Nord Destin (2013) enfoca a música nordestina. Neste terceiro trabalho é a vez de mesclar a canção francesa os sons urbanos de São Paulo, cidade que adotou no Brasil. Són estará no Sarau com todo esse repertório, que tem como marca uma variedade de ritmos e de sons que passa pelo samba-rock, groove, MPB, eletro e afrobeat abrasileirado, sempre com certa ligação à tradição.

Quem também canta e encanta no Sarau é Luciana Luppy, intérprete brasiliense que tem o coração carioca e a alma francesa. “Vamos emocionar o público com canções francesas e clássicos bilíngues como Porto Solidão, Corcovado e Tigresa. Luppy é reverenciada pelo público franco-brasileiro que reconhece a impressionante performance vocal e os gestos quase teatrais vindos de uma artista criativa, versátil e audaciosa. No repertório, há ainda um mix com ícones bem conhecidos, uma composição própria e caprichadas e variadas interpretações de canções como Ne Me Quitte Pas, La Vie En Rose E La Bohème.

Um pouquinho de Brasil
O chorinho de Reco do Bandolim & Grupo Choro Livre, a gafieira de Marcelo Amorim e o samba da Aruc chegam com toda a brasilidade no Sarau. No repertório de Reco e companhia, clássicos da MPB que exaltam o Brasil. “São músicas que integram o set list dos shows internacionais da banda”, revela Henrique Lima Santos Filho, o Reco do Bandolim. Baiano de Salvador, ele chegou a Brasília ainda adolescente e participou de bandas de rock, na década de 80. Mas a descoberta do bandolim e os discos do mestre Jacob Bittencourt despertaram uma paixão definitiva pelo choro, e a guitarra foi definitivamente colocada de lado. Reco foi um dos fundadores do Clube do Choro de Brasília, em 1978. Dono de um estilo refinado, de interpretações elaboradas, e ao lado do Choro Livre - que também é filho do Clube do Choro, Reco tem levado o chorinho ao mundo.

A trupe é a tradução de como vê e toca o gênero, sempre criativa e aberta a novas influências. “Fiel à raiz, mas sem medo de dogmas, o conjunto faz uma leitura contemporânea dos clássicos do choro e complementa o repertório com novos autores e composições próprias. Reco do Bandolim & Choro Livre já excursionaram por todas as partes do mundo, participaram de festivais de música e fizeram shows nos Estados Unidos, China, Canadá, Áustria, Espanha, Itália, Portugal, França, Alemanha, República Tcheca, Tunísia, Emirados Árabes, Argentina, Peru, Uruguai, Chile, Suriname e Cuba.

O palco do Sarau Chatô também recebe Marcelo Amorim para um show de samba de gafieira. O dançarino mais famoso da cidade sempre leva o público ao delírio dançando ao som desse ritmo que tem origem em melodias de raízes africanas. O samba da Aruc também chega para arrebatar com passistas e muito brilho. Imperdível! Quem gosta de artes plásticas poderá apreciar a exposição da artista Sandra Uga, carioca que mora em Brasília desde 1962 e que, ao longo de 30 anos dedicados à arte, realizou inúmeras exposições na capital. E como a gastronomia sempre marca presença no Sarau Chatô, as comidas típicas do país homenageado despertarão o apetite com cheiros e sabores da festa. Crepes não podem faltar e estarão no cardápio.

O projeto - Iniciado em dezembro de 2011, o Sarau Chatô consiste em uma série de eventos multiculturais gratuitos que reúnem no mesmo espaço as mais variadas manifestações artísticas, como música, dança, teatro, artes plásticas e cinema. A cada edição, são homenageados um estado brasileiro e um país com embaixada em Brasília. A realização é da Fundação Assis Chateaubriand e o patrocínio, da Petrobras.

27 anos de história – Instituída em fevereiro de 1989, a Fundação Assis Chateaubriand (FAC) é uma entidade sem fins lucrativos que atua nas áreas de cultura, educação, esporte, saúde e turismo. Seus programas, projetos e ações oferecem oportunidades que utilizam o poder do conhecimento para contribuir com o desenvolvimento social e humano de comunidades localizadas prioritariamente nas regiões onde os Diários Associados estão presentes. Por acreditar que uma sociedade melhor é feita com a participação de todos, a FAC trabalha em parceria com organizações públicas, privadas e do terceiro setor.


SERVIÇO

22º Sarau Chatô
Data: 19 de outubro
Horário: 19h
Local: Hípica Hall - Setor Hípico Sul, Área Especial, lote 8 (ao lado da Sociedade Hípica de Brasília – próximo ao Zoológico de Brasília)
Entrada: Gratuita mediante doação de 1kg de alimento não perecível.
Classificação indicativa: Livre
Informações: 3214-1508

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário