Bruno Schmidt é eleito melhor jogador do mundo em 2016, e Brasil domina premiação

Bruno Schmidt, campeão olímpico dos Jogos do Rio de Janeiro, em agosto, foi eleito pelo segundo ano consecutivo o melhor jogador do Circuito Mundial. A premiação foi divulgada pela Federação Internacional de Voleibol nesta sexta-feira (21.10), referente à temporada 2016. O Brasil dominou com nove honrarias entre as 22 oferecidas aos atletas.

Além de Bruno Schmidt - que venceu três categorias -, também foram premiadas as brasileiras Duda (melhor novata), Larissa (melhor levantamento e melhor jogadora ofensiva), Guto (melhor novato), Evandro (melhor saque) e Alison (melhor ataque). Os votos são dados por atletas, treinadores, técnicos e diretores.

Bruno Schmidt se torna o quarto atleta a vencer o título de melhor jogador do mundo de maneira consecutiva. O brasiliense também venceu como melhor jogador defensivo pela quarta vez, igualando-se ao norte-americano Todd Rogers em números de conquista na posição. O brasileiro, porém, venceu de maneira seguida.

"Fizemos uma temporada muito boa em 2015, mas estávamos com os Jogos Olímpicos na cabeça, pensando que 2016 precisaria ser um ano ainda melhor. E passou, conquistamos nosso objetivo e agora posso saborear ainda mais esses resultados. Divido isso com todos da minha equipe, todos, sem exceção. Eles querem o nosso melhor todos os dias, nos exigem ao máximo para o nosso próprio bem", disse Bruno, eleito ainda ‘esportista do ano’.

"O bacana desse prêmio é ter o reconhecimento dos meus companheiros de trabalho, atletas, técnicos. O meu parceiro também é outro grande responsável. Se fui melhor jogador e defensor, é porque o Alison foi metade disso. Estou saboreando mais do que no ano passado, ainda mais sendo o quarto a conquistar de maneira seguida. Mostra a reviravolta daquele paradigma de atletas altos, é um esporte democrático", completou.

Ainda entre os homens, Alison, parceiro de Bruno Schmidt e campeão olímpico no Rio, venceu o prêmio de melhor ataque da temporada. O carioca Evandro ficou com o título de melhor saque pela segunda temporada seguida e também comemorou.

"Fico muito feliz com esse prêmio pelo segundo ano seguido. Agradeço minha comissão técnica e meu parceiro. Isso é fruto de um grande trabalho. Espero manter o saque como grande diferencial e evoluir cada vez mais, buscar outros prêmios também", disse Evandro.

Guto Carvalhaes, vencedor do Open de Cincinnati (EUA) e vice-campeão do Major Series Klagenfurt (Áustria), além de bronze em Maceió (Brasil) e Olsztyn (Polônia), foi eleito o ‘novato do ano’. O carioca de 23 anos agradeceu aos seus formadores pelo título.

"Fico muito feliz em receber este reconhecimento das pessoas envolvidas no Circuito Mundial. Este prêmio é fruto de muita dedicação e do trabalho feito ao longo da minha carreira, agradeço a todos os técnicos com quem já trabalhei e à minha comissão técnica. Acredito que isso aumenta a minha motivação para a próxima temporada, e, quem sabe, conquistar outros títulos, por exemplo de melhor defensor (risos)".

Entre as mulheres, destaque para Larissa, que ano após ano quebra marcas. Ela foi eleita melhor levantadora pela nona vez, vencendo também como melhor jogadora ofensiva pelo segundo ano seguido. Soma 18 prêmios individuais do tour internacional.

"É incrível. É um orgulho muito grande saber que estou conseguindo fazer o meu trabalho com excelência e ser indicada como melhor em alguns fundamentos. É recompensador e motivante para continuarmos nessa batalha que é ser atleta de alto rendimento", disse a capixaba.

Duda Lisboa, de apenas 18 anos, foi eleita a ‘novata do ano’ e vem escrevendo seu nome na história do tour. Única tricampeã mundial Sub-19 da história, a jovem também venceu em 2016 o Mundial Sub-21 e duas etapas ‘adultas’ do Circuito Mundial: os Opens de Maceió (AL) e Fortaleza (CE). Em 2017 ela jogará ao lado da vice-campeã olímpica Ágatha.

"Fico muito feliz pelo reconhecimento. Esta eleição é feita pelo voto dos próprios atletas e significa que estou no caminho certo. Agora a responsabilidade vai aumentar para o próximo ano. A parceria com a Ágatha vai trazer outra energia, ela também fez uma grande temporada e iremos rodar o circuito todo. É bom saber que meu trabalho está sendo reconhecido", disse a sergipana de apenas 18 anos, completados em agosto.

Os prêmios são uma extensão da bela campanha brasileira na temporada. Foram 26 medalhas nos dois naipes, sendo 11 de ouro, 10 de prata e cinco de bronze. Além disso, o país conquistou o ouro olímpico com Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) e a prata com Ágatha/Bárbara Seixas.

PREMIAÇÕES DO CIRCUITO MUNDIAL 2016 - FEMININO:
Melhor jogadora - Laura Ludwig (Alemanha)
Melhor ataque - Kerri Walsh (EUAl)
Melhor bloqueio - Kira Walkenhorst (Alemanha)
Melhor jogadora defensiva - Heather Bansley (Canadá)
Melhor jogadora ofensiva - Larissa França (Brasil)
Melhor levantamento - Larissa França (Brasil)
Melhor saque - April Ross (EUA)
Novata do ano - Duda Lisboa (Brasil)
Jogadora mais inspiradora - Nadine Zumkehr (Suíça)
Jogadora que mais evoluiu - Joana Heidrich (Suíça)
Esportista do ano - Laura Ludwig (Alemanha)

PREMIAÇÕES DO CIRCUITO MUNDIAL 2016 - MASCULINO:
Melhor jogador - Bruno Schmidt (Brasil)
Melhor ataque - Alison Ceruti (Brasil)
Melhor bloqueio - Paolo Nicolai (Itália)
Melhor jogador defensivo - Bruno Schmidt (Brasil)
Melhor jogador ofensivo - Janis Smedins (Letônia)
Melhor levantamento - Phil Dalhausser (EUA)
Melhor saque - Evandro Gonçalves (Brasil)
Novato do ano - Guto Carvalhaes (Brasil)
Jogador mais inspirador - Reinder Nummerdor (Holanda)
Jogador que mais evoluiu - Piotr Kantor (Polônia)
Esportista do ano - Bruno Schmidt (Brasil)

==> Foto: Inovafoto / CBV

0 comentários:

Postar um comentário