Glória Bomfim: O canto primitivo do samba na Caixa Cultural Brasília

A sambista baiana Glória Bomfim é a próxima atração do projeto Samba de Bamba, e se apresenta na terça-feira, dia 13 de setembro, às 20 horas, no Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 - Edifício anexo à matriz da Caixa). Na ocasião a cantora virá acompanhada por um quinteto musical e vai apresentar ao público brasiliense as músicas de seu disco Anel de Aço (lançado pelo selo Quitanda – de Maria Bethânia), sobre temas do candomblé, compostas por Paulo César Pinheiro – seu grande entusiasta. Dona de uma voz potente, o canto primitivo de Glória é comparado ao de Clementina de Jesus e sua obra dá continuidade a uma vertente pouco divulgada da cultura brasileira: a música de santo.

“A palma da palmeira”, “Bambueiro”, “Cavalo de santo”, “Senhor da justiça”, “Gameleira branca” e “Encanteria”, que deu título a um álbum de Maria Bethânia, são algumas das canções reunidas no repertório do show em Brasília. Bethânia conheceu Glória por ocasião da primeira edição do disco, ainda pelo selo Acari, de Luciana Rabello, e ficou encantada com o que ouviu. “Espero que as pessoas se emocionem com a voz, a qualidade musical, a alegria e o prazer nítido com que todos participaram. A Quitanda está em festa”, declarou.

A musicista Luciana Rabello, que decidiu lançar Gloria em 2007, conta mais sobre ela: “A Yalorixá Glória Bomfim é uma das mais expressivas e autênticas vozes que conheço. Seu canto primitivo, forte, verdadeiro, despretensioso e absolutamente intuitivo é um diamante bruto que representa, de forma emocionada, a cultura dos terreiros de candomblé, trazida pelos negros africanos e mantida aqui pelos mestiços brasileiros”. A aposta de Luciana deu certo. A cantora já ganhou o concurso Novos Bambas do Velho Samba (categoria Melhor Intérprete - 2013) promovido pelo bar Carioca da Gema, na Lapa, tradicional reduto boêmio do Rio de Janeiro e tem realizado shows no eixo Rio/São Paulo, com grande presença do público jovem, novos admiradores de seu trabalho.

A história dessa baiana é comovente e cinematográfica. Nascida em Areal, um pequeno povoado no interior da Bahia, Glória era requisitada desde menina pra cantar em festas de casamento, batizados, etc. O destino acabou fazendo com que ela fosse para o Rio de Janeiro aos 14 anos. Na década de 1980 frequentou as rodas de samba na quadra da Portela, onde, a pedidos de Mestre Marçal, sempre interpretava sambas de João Nogueira, Mauro Duarte, Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro – para quem começou a trabalhar como cozinheira e logo foi incentivada a trilhar pela carreira musical.

A próxima atração do Samba de Bamba é o grupo mineiro Zé da Guiomar, dia 18 de outubro. 

Serviço: Samba de Bamba – show com a cantora baiana Glória Bomfim
Dia 13 de setembro, terça-feira, às 20 horas.
Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 - Edifício anexo à matriz da Caixa)
Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia entrada). Estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos, doadores de item solicitado no mês e assinantes do Correio Braziliense.
Duração: 1h30
Classificação indicativa: 12 anos
Lotação: 406 lugares

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário