JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016 - INFORMAÇÕES DE ALGUMAS COMPETIÇÕES DO DIA 10 DE AGOSTO

Seleção masculina de futebol goleia a Dinamarca e avança às quartas de final

Com uma ótima exibição, a seleção brasileira masculina de futebol goleou a Dinamarca por 4 a 0, nesta quarta-feira, 10 de agosto, na Fonte Nova, em Salvador (BA), deixou a má impressão dos primeiros jogos para trás e avançou para as quartas de final dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Primeiro lugar do grupo A, no próximo sábado, dia 13, em São Paulo, o Brasil enfrentará a Colômbia.

Logo aos 20 segundos de jogo, um pique de Neymar atrás da bola foi o cartão de visitas de que, ao menos, não iria faltar garra na seleção brasileira. Mas foi bem mais do que isso. Se nos dois empates sem gols contra África do Sul e Iraque, a seleção brasileira deixou muito a desejar, contra a Dinamarca foi bem diferente: um time com raça, técnica apurada e pontaria certeira.

No primeiro tempo, a equipe ainda parecia um pouco nervosa, tendo em vista a obrigação da vitória para poder se classificar. Gabriel Jesus, aos 23, perdeu uma chance clara. Mas, três minutos depois, Gabriel marcou o primeiro gol da seleção nos Jogos e abriu o placar. Aos 39, foi a vez de Gabriel Jesus marcar o seu e a equipe verde e amarela foi para o intervalo com a tranquilidade de quem estava com o jogo sob controle.

A vantagem fez muito bem à seleção brasileira, que voltou mais leve para o segundo tempo. As tabelas e trocas de passes entre os jogadores saíam com facilidade. Numa delas, Luan marcou o terceiro, aos quatro minutos, após ótimo passe de Neymar para Douglas Santos, e deste para Luan.

A partir daí, muitas oportunidades perdidas até Gabriel, aos 35, fazer seu segundo gol na partida, o quarto do Brasil e dar números finais ao jogo.


Brasil derrota a tetracampeã mundial Sérvia no polo aquático: 6 a 5

A seleção brasileira masculina de polo aquático fez história na noite desta quarta-feira, 10 de agosto, no Centro Aquático Maria Lenk. Comandada pelo pivô Josip Vrlic, a equipe derrotou a tetracampeã mundial Sérvia por 6 a 5 e garantiu sua classificação à próxima fase da competição. Líder do grupo A, com seis pontos, o Brasil ainda encara a Grécia (sexta) e a Hungria (domingo).

Com cânticos do futebol, a torcida apoiou a seleção brasileira do início ao fim, e os atletas mostraram superação dentro da piscina. O placar chegou a estar 3 a 1 para os sérvios, mas o Brasil conseguiu a virada. Vrlic (dois), Felipe Perrone, Adrià, Bernardo Gomes e Grummy fizeram os gols da vitória.

O técnico croata Ratko Rudic, seis vezes medalhista olímpico, disse que o time soube neutralizar os melhores jogadores da Sérvia. Ele também exaltou a importância da defesa brasileira: “este é o tipo de jogo em que é preciso estar bem física e psicologicamente. E foi assim que nossa equipe se apresentou. Isso nos dá a expectativa que possamos jogar dessa forma contra seleções desse nível”.

Para Felipe Silva, a defesa brasileira foi o ponto alto do time. Além da torcida, é claro. “Sabemos que a Sérvia é o melhor time do mundo, mas nós trabalhamos e treinamos duro para o jogo de hoje. Fizemos história e gostaríamos de agradecer o carinho da torcida, que fez toda a diferença”.


Seleção feminina de vôlei faz 3 a 0 no Japão e mantém 100% de aproveitamento

Em noite inspirada, o Brasil derrotou o Japão por 3 sets a 0 (25/18, 25/18 e 25/22) e alcançou sua terceira vitória nos Jogos Olímpicos Rio 2016. A ponteira Natália anotou 16 pontos e foi a principal pontuadora do jogo, que teve duração de apenas 1h08m, no Maracanãzinho. Além de manter os 100% de aproveitamento na competição, a seleção feminina ainda garantiu vaga nas quartas de final.

“Nos preparamos bem. As japonesas têm a defesa como qualidade, mas também conseguimos dar um volume de defesa muito bom e isso facilitou bastante. Um dos nossos objetivos é estarmos sempre focadas, ficando atentas do primeiro ao último adversário”, disse a ponteira Fernanda Garay.

O técnico José Roberto Guimarães elogiou a atuação de sua equipe: “o time mostrou bastante disposição. As meninas se apresentaram bem, sem dar chances ao Japão. Essa é a dinâmica, daí para mais. Postura, seriedade e foco têm sido a tônica do time”.

A seleção brasileira volta a entrar em quadra nesta sexta-feira, 12 de agosto, às 22h35 (horário de Brasília), contra a Coreia do Sul, em partida válida pela quarta rodada do Grupo A.


Sérgio Sasaki termina em nono e conquista melhor posição da história no individual geral

Em 10 de agosto de 2015, Sérgio Sasaki passava por um momento de angústia: a segunda cirurgia da temporada. Após operar o joelho direito em janeiro, chegava a vez do ombro direito. Mesmo com a longa recuperação, o ginasta não desistiu de seu sonho: conquistar a vaga olímpica. Na base da superação, o atleta garantiu vaga na equipe brasileira e, em 10 de agosto de 2016, foi recompensado. Com a nona colocação no individual geral, Sasaki conquistou a melhor colocação do país na história da ginástica artística, superando em uma posição o resultado obtido em Londres 2012.

Na soma dos seis aparelhos, Sasaki terminou a competição com 89.198 pontos. Já Arthur Nory, outro representante do Brasil na final, ficou em 17º (87.331).

“O nono lugar é uma boa posição, mas o mais importante é que treinei muito e consegui dar 100%. Fiz exatamente o que treinei. Isso é o que me deixa mais feliz. A posição é uma coisa difícil de falar, pois não tenho o controle se me deram mais ou menos nota, e se os árbitros foram justos ou não. Ganhar uma posição é uma alegria enorme. A minha felicidade é maior que a do Oleg Verniaiev, da Ucrânia, que ficou em segundo lugar e poderia ter vencido. Felicidade não se mede”.

A melhor nota de Sasaki foi obtida no salto. Ele foi o quarto atleta mais bem colocado entre os 24 participantes, somando 15.200 pontos. Seus outros resultados foram: cavalo com alças (14.766), argolas (14.433), paralelas (14.966), barra fixa (15.000) e solo (14.833).

Além de relembrar as dificuldades enfrentadas na temporada pré-olímpica, Sasaki confessou que as dores voltaram a incomodá-lo durante os Jogos: “desde o primeiro dia que estou sentindo o joelho. Não quis falar para ninguém porque não cabia no momento. Ia fazer um salto novo, acabei forçando um pouco mais. A dor foi aumentando a cada dia. Fico feliz por ter me superado”.

A excelente campanha serve também de motivação para as metas que estão por vir: “sou novo e tenho vontade. Essa é a melhor coisa que uma pessoa pode ter. Meu sonho não acaba e quero continuar treinando, dando o meu máximo. Quero disputar os Jogos Olímpicos novamente, enquanto o meu corpo deixar. Não é uma lesão que vai me fazer desistir do meu sonho, que é me superar”.

Arthur Nory, por sua vez, teve as seguintes pontuações: no cavalo com alças (13.400), nas argolas (14.133), salto (14.766), nas paralelas (14.633), na barra fixa (15.266) e no solo (15.133).

“Sabia que tinha total condições de disputar uma final olímpica. Vim muito focado na barra fixa, dificultei a série esse ano para disputar uma medalha. Hoje eu quis mostrar que esse é o meu aparelho, que ia buscar uma boa nota”, disse Nory.

==> Foto: Lucas Figueiredo (MoWa Press); Divulgação; Alexandre Loureiro; e, Flavio Florido / Exemplus / COB

0 comentários:

Postar um comentário