Homenagem ao maior nome da literatura brasileira

Em 21 de junho de 1839, nascia na cidade do Rio de Janeiro o cronista, dramaturgo, contista, poeta, jornalista, romancista, novelista, ensaísta e crítico Joaquim Maria Machado de Assis. Suas contribuições para praticamente todos os gêneros literários fizeram com que fosse unanimemente considerado o maior nome da literatura nacional.

Um gênio, considerado por muitos, amargo, Machado veio de família pobre, nunca frequentou uma universidade e mesmo assim foi um considerável narrador dos eventos políticos-sociais de sua época que lutou pela independência da literatura. Fundou a Academia Brasileira de Letras e, entre suas principais obras, destacam-se Memórias póstumas de Brás Cubas (1881), Quincas Borba (1891) e a célebre Dom Casmurro (1899).

Para comemorar a data, a Editora Unesp elenca alguns títulos de seu catálogo sobre a trajetória e os trabalhos do escritor. Até 23 de junho, todos os títulos estão com 20% de desconto:

Organizadoras: Sílvia Maria Azevedo, Adriana Dusilek e Daniela Mantarro Callipo | 728 páginas | De R$ 82,00 por R$ 65,60
Machado de Assis esteve na vanguarda da crítica literária brasileira numa época em que ainda não se estabelecera um cânone literário nacional. Este volume reúne textos de sua obra crítica extraídos de jornais da época, revistas e primeiras edições, muitos deles nunca publicados em livro.


Autora: Rosa Belluzzo | 156 páginas | De R$ 90,00 por R$ 72,00
O Rio de Janeiro da virada do século XIX é o cenário deste livro de Rosa Belluzzo, que nos convida a um passeio pela obra de Machado de Assis e suas referências gastronômicas. Arguto observador de sua época, o fundador da Academia Brasileira de Letras vivenciou as grandes metamorfoses da sociedade fluminense. As inovações geradas durante o Segundo Império e a nascente República foram acompanhadas pelo florescimento de cafés, restaurantes e confeitarias. Uma nova sociabilidade urbana se insinuava, com saraus, teatros e clubes sociais, em meio ao ranço patriarcal rural de outrora. Machado participava ativamente dessa vida cultural incipiente, da qual não falta um cintilante avanço da sofisticação gastronômica. Não por acaso, despontam na obra do cronista os novos hábitos culinários, como o serviço de mesa à francesa, registrado no conto “As bodas de Luís Duarte”, ou a presença de estrangeiros contratados como cozinheiros, observada em Quincas Borba.A partir dos textos de Machado, de comentaristas e de historiadores, Rosa Belluzzo revisita as impressões e os sabores que o escritor experimentou. Com o auxílio de farta iconografia da época e de receitas então apreciadas, a obra avança no conhecimento da história cultural dos tempos machadianos. Assim, permite vislumbrar algo desse período e, no autor genial, o ser humano que partilhou dores e prazeres (inclusive culinários).

Organizadoras: Márcia Lígia Guidin, Lúcia Granja e Francine Weiss Ricieri | 336 páginas | De R$ 54,00 por R$ 43,20 
Machado de Assis: ensaios da crítica contemporânea foi concebido para ser mais que uma reunião de ensaios sobre a obra de Machado de Assis. Oferece uma visão plural, variada e representativa das abordagens pelas quais o escritor vem sendo pensado pela crítica contemporânea.Sem assumir qualquer "obrigatoriedade" em adotar esta ou aquela linha interpretiva já consagrada, o presente conjunto de ensaios empenha-se em contribuir com a intricada tarefa de manter o debate de ideias em torno da produção machadiana em um grau de complexidade que, enfim, possa pretender homenagear o alcance obtido pela produção intelectual do escritor.
Organizadores: Benedito Antunes e Sérgio Vicente Motta | 280 páginas | De R$ 50,00 por R$ 40,00
Ao reunir visões de especialistas de diversos países sobre o legado de Machado de Assis, este livro mostra a abrangência atual dessa linhagem critica, assim como a multiplicidade de abordagens que o mestre permite e estimula. Poeta, romancista, dramaturgo, contista, jornalista, cronista e teatrólogo, Machado evoca diálogo cada vez mais intenso, sofisticado e sem fronteiras.

Autor: Jean-Michel Massa | 584 páginas | De R$ 88,00 por R$ 70,40
Considerado pelo crítico literário Antonio Candido um dos mais importantes livros que já se escreveram sobre temas da literatura brasileira, esta obra de Jean-Michel Massa, quase 40 anos depois de sua primeira edição, tem o grande mérito de mostrar como é indispensável conhecer as fases iniciais do escritor carioca e não se concentrar de maneira excessiva e exclusiva em sua maturidade. Este ensaio modelar de biografia intelectual apresenta, por meio de uma exploração meticulosa, a produção dispersa do jovem Machado. Enfoca o período entre 1839 e 1870 e o reavalia sem reforçar estereótipos habituais.

Organizadora: Silvia Maria Azevedo | 224 páginas | De R$ 52,00 por R$ 41,60
Ao reunir crônicas da Seção “História de quinze dias”, posteriormente rebatizada “História de trinta dias”, da revista Ilustração Brasileira, esta edição traz ao público a amostra vivenciada de um Império tropical obcecado pelos padrões culturais e intelectuais europeus. A genialidade do Machado de Assis cronista constrói retrato poderoso desse país peculiar, oscilante entre os esforços modernizadores e a incipiência cultural e econômica.

Autora: Daniela Mantarro Callipo | 264 páginas | De R$ 48,00 por R$ 38,40
Com seguro conhecimento da língua e da literatura francesa, Daniela Mantarro Callipo insere este livro numa das linhas de pesquisa comparatista que se acentuou nas últimas décadas: o confronto entre textos de sistemas literários distintos que buscam explicitar não somente o que eles têm em comum, mas, em especial, as diferenças que apresentam. Consciente de que a citação não é periférica nas atividades de leitura e de escritura – antes representa um mecanismo capital de toda prática de linguagem –, a autora discute a presença da poética de Victor Hugo nas crônicas de Machado de Assis. Cada capítulo é organizado em torno das crônicas machadianas em que foram identificadas a relação intertextual com a poesia hugoana. Seja sob a forma de citação explícita seja como paródia, essa presença do intertexto é concebida como uma força em que põe em ação o diálogo do escritor brasileiro com a obra do poeta francês.
Autor: Luiz Roncari | 304 páginas | De R$ 54,00 por R$ 43,20
O grande desafio deste livro está na habilidade de realizar análises críticas de três dos principais escritores em língua portuguesa de todos os tempos: Guimarães Rosa, Machado de Assis e Carlos Drummond de Andrade. Os elementos comuns estudados incluem a crítica à sociedade patriarcal nacional e, acima de tudo, uma ponte constante, com idas e voltas, entre a história e a literatura.
Roncari consegue desvendar caminhos interpretativos com base na leitura atenta de descrições de cenas e paisagens, além de verificar como a escrita se comunica com o poder econômico e social. Texto e contexto são assim relacionados com extrema competência, mostrando como instabilidades de ordem social presentes no sistema capitalista encontram reflexo na literatura e vice-versa.

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário