“O BRASIL de JOHN GRAZ”, obras inéditas com temas relacionados a um país modernista

A Exposição O Brasil de John Graz apresenta o Brasil sob a ótica de John Louis Graz (Suíça 1891 - São Paulo 1980) terra que o artista plástico, designer e arquiteto escolheu para viver. A mostra tem curadoria de Sérgio Pizoli, e reúne cerca de 180 trabalhos inéditos do artista.

Desenhos e uma tela, em grande dimensão, todos com temática brasileira, apresentam vários estilos e meios de produção do artista. Dentre os trabalhos inéditos selecionados pela curadoria, estão desenhos realizados pelo artista entre 1920 – ano de sua chegada ao Brasil – e 1980. O visitante terá contato com estudos, cadernos de viagem e esboços, com várias visões do Brasil, através do desenho modernista de John Graz. Os temas escolhidos são arquitetura brasileira; viagens, festas e paisagens; flora e fauna;  o homem e o trabalho.
  
Para o curador Sérgio Pizoli, a mostra pretende transmitir aos visitantes “o conceito de ‘artista total’, já que John Graz foi capaz de unir arte, arquitetura e design numa única linguagem plástica”. Pizoli acrescenta ainda que Graz “fez do desenho artístico uma atividade permanente, elaborando séries de estudos que, muitas vezes, não chegaram a ser executados em tela ou mural, mas têm o requinte formal de obra acabada. Seu trabalho plástico retoma o desenho clássico, incorpora a iconografia brasileira, assume e difunde as influências modernistas”.

Ainda, segundo o curador, outro traço marcante no trabalho de John Graz é a sua relação com o movimento. “Seus personagens raramente são surpreendidos em pose: os índios caçam, pescam, os cavalos galopam ou lutam, os meninos e as mulheres trabalham, os homens guerreiam, navegam ou simplesmente agem”.

John Graz traz para o cenário das artes brasileiras as influências renovadoras dos movimentos europeus do século XX. Após sua formação artística na Escola de Belas Artes de Genebra, onde cursou Arquitetura, Decoração e Desenho, viaja para Espanha. Suas obras lá produzidas impressionam Oswald de Andrade que o convida a participar da Semana de Arte Moderna de 22, ao lado de nomes como Anitta Malfatti, Brecheret, Di Cavalcanti e Vicente do Rego Monteiro. É um dos fundadores da Sociedade Pró Arte Moderna (SPAM) e participa do Clube dos Artistas Modernos (CAM). Em 1925, inicia suas atividades como arquiteto e designer de interiores, dedicando-se por quase quarenta anos a este segmento profissional. Graz faleceu em 1980, aos 89 anos, deixando um acervo, ainda hoje inédito, com desenhos, estudos, plantas baixas, cadernos de viagem e de anotações, aos cuidados de Annie Graz, sua segunda esposa. Este acervo encontra-se, atualmente, sob a guarda do Instituto John Graz, presidido por Annie Graz e Claudia Taddei. 

SERVIÇO:

CAIXA Cultural Brasília
Endereço SBS Qd. 4 Lote 3/4, Ed. Anexo à Matriz da CAIXA Cultural
Temporada até 12/01/2014
Visitação de terça a domingo, das 9h às 21h.
Entrada franca
Classificação livre para todos os públicos
Informações 61 3206.9443 ou 9449

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário