GUILHERME TORRES WORKS STRONGER COLLECTION

Guilherme Torres não opera com clichês sob hipótese alguma. A mesma originalidade vista em sua arquitetura e nos móveis que desenha passeia do prólogo ao epílogo nas mais de 1.000 páginas que compõem seu novo projeto, Guilherme Torres Works – Stronger Collection: um registro de duas décadas de carreira que, no caso dele, jamais poderiam ser representadas por um portfólio convencional. Nesta obra, dividida em três volumes que não propõem cronologias, organogramas ou quaisquer outros padrões convencionais, o arquiteto assume a retórica e toda a direção criativa, estabelecendo uma narrativa pessoal e intransferível inédita no segmento. O arquiteto paranaense radicado em São Paulo optou por revelar, numa viagem em primeira pessoa, diferentes aspectos de seu trabalho – os textos são bilíngues, considerando a expressividade do profissional no exterior e a distribuição internacional da obra.

THE ENDLESS BOOK, o primeiro volume da trilogia, resume o eterno ciclo da criação, que não tem fim. Por ali o autor aborda sua arquitetura, compartimentada em capítulos que desfilam imagens das suas obras mais icônicas classificadas por similaridades. São imagens que descortinam a verdade dos materiais e a engenhosidade das estruturas, em que os recortes gráficos incidem sobre as fotografias para revelar processos construtivos ou fazer os volumes saltarem aos olhos em sua plenitude. O tratamento visual em preto e branco foi cuidadosamente elaborado "para que apenas a arquitetura prevalecesse", nas palavras de GT.

COLOR ME revela um colorista corajoso, que sempre soube fazer uso das paletas sem extravagâncias ou alegorias. O conteúdo sai da monumentalidade da arquitetura apresentada no primeiro volume para adentrar os interiores projetados com personalidade e referências das mais ricas e variadas. Desse modo, fica estabelecida que a cartela de cores acionada por Guilherme Torres orbita muito além do preto no branco, com espaço para amarelos, verdes, azuis, lilases e toda uma gama de matizes em seu universo particular.

BAD IDEAS carrega no título o humor do arquiteto que sempre deixa a sisudez do lado de fora dos croquis. Aqui ele revela seus processos criativos – que de uma forma geral, surgem de epifanias e intuições. Apenas neste caso, a organização temporal é ativada como ponto de partida para uma narrativa que compreende o desenvolvimento estético do profissional – que opera em escalas antagônicas, partindo desde o design de objetos até um edifício - para ele, "é apenas uma questão de escala".

Guilherme Torres Works - Stronger Collection
960 páginas, editora Acácia Cultural
The Endless Book (320 páginas)
Color Me (320 páginas)
Bad Ideas (320 páginas)

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário