CIRCUITO MUNDIAL: Duda é eleita melhor atleta do mundo e quebra recorde

A Federação Internacional de Voleibol (FIVB) divulgou nesta terça-feira (04.09) a lista das melhores atletas da temporada 2018 do Circuito Mundial de vôlei de praia. E pela sexta vez desde 2005, quando o prêmio foi criado, uma atleta brasileira foi escolhida a melhor do mundo. A sergipana Duda, 20 anos, venceu a principal categoria e ainda quebrou o recorde, se tornando a atleta mais jovem a conquistar o prêmio.

Duda também venceu outras duas categorias: ‘melhor jogadora ofensiva’ e ‘melhor ataque’. E sua parceira, a medalhista olímpica Ágatha, foi eleita ‘atleta mais inspiradora’ e ‘esportista do ano’. A votação é realizada por atletas, árbitros, técnicos e delegados oficiais da Federação Internacional.  Duda destacou a ajuda da comissão técnica nas conquistas e lembrou as mudanças recentes na vida pessoal para buscar os objetivos.

“Eu estou arrepiada. Passa um filme na cabeça. Estou muito feliz por esse reconhecimento. Só seria possível com o apoio da Ágatha, da nossa comissão técnica, e da minha mãe (Cida Lisboa), minha maior incentivadora e primeira treinadora. O principal foi acreditar sempre, saber que trabalhando, nada é impossível. Mudei de São Cristóvão (SE) para o Rio de Janeiro (RJ) muito jovem, são cidades completamente diferentes, e tudo isso valeu demais. Motiva ainda mais para buscar os próximos objetivos”, disse Duda.

Ágatha, medalhista olímpica e campeã mundial, também comentou as premiações recebidas na votação. A paranaense de 35 anos venceu o Circuito Mundial e o World Tour Finals da atual temporada junto de Duda, compartilhando experiência e os ‘atalhos’ da quadra com a parceira. Foram as primeiras premiações individuais no tour internacional.

“Durante toda minha carreira, sempre busquei ter uma relação legal com as outras atletas, árbitros. Sabemos quanto é difícil ser um jogador de alto nível, como precisamos nos dedicar e abdicar de muitas coisas. Por isso, faço muita festa no pódio, brinco com as meninas mais novas, tendo transmitir a elas quão importante é aproveitar esse momento da conquista, das medalhas. Acho sensacional receber um prêmio como esse, receber esse olhar de alguém que inspira os demais jogadores”, comentou Ágatha, que completou.

“Acompanhar esse crescimento da Duda também é muito gratificante. Sentir quanto ela cresceu e quanto ainda pode crescer, estar ao lado dela na quadra, tentando passar um pouco da minha experiência, ajudando e sendo ajudada. É o reflexo de muito comprometimento, do apoio que temos de uma comissão técnica muito profissional”.

Duda já havia vencido um prêmio em 2016, quando foi escolhida a novata da temporada. A dupla Ágatha/Duda venceu 75% dos jogos na temporada (45-15), tendo conquistado dois ouros (Itapema e Hamburgo), uma prata (Moscou) e um bronze (Varsóvia). O Brasil é o país com mais prêmios na pós-temporada, tendo vencido 118 categorias desde 2005.

PREMIAÇÃO COMPLETA
Melhor jogadora: Duda (BRA)
Melhor bloqueio: Brandie Wilkerson (CAN)
Jogadora que mais evoluiu: Artacho del Solar (AUS)
Melhor jogadora ofensiva: Duda (BRA)
Melhor ataque: Duda (BRA)
Melhor jogadora defensiva: Heather Bansley (CAN)
Melhor saque: Taliqua Clancy (AUS)
Melhor levantamento: Melissa Humana-Paredes (CAN)
Mais inspiradora: Ágatha (BRA)
Esportista do ano: Ágatha (BRA)
Melhor novata: Tina Graudina (LAT) e Svetlana Kholomina (RUS)

==> Foto: Divulgação / FIVB

0 comentários:

Postar um comentário