Mary Del Priore e Angélica Müller examinam as raízes dos crimes e da violência no Brasil

“Em nossa sociedade, cresce a violência ou nossa sensibilidade em relação a ela?”, perguntam as historiadoras Mary Del Priore e Angélica Müller. O bombardeio constante dos meios de comunicação ou mesmo a vivência pessoal de cada um, imerso, de seu próprio jeito, na violência diária, não explicam as suas raízes. E é para mergulhar mais profundamente nesse obscuro universo que ambas reúnem uma densa reflexão na coletânea de ensaios História dos crimes e da violência no Brasil, lançamento da Editora Unesp.

O livro, organizado por ambas, nos ajuda a pensar sobre a permanência da violência e suas diversas faces. “Vários autores se reuniram para tentar definir um conjunto de fenômenos de violência físicas, sexuais, verbais e para tentar entender os mecanismos que os colocam em marcha”, anotam as organizadoras no prefácio. “Em História dos crimes e da violência no Brasil, historiadores, sociólogos, juristas, antropólogos e psicólogos apresentam vários casos ocorridos em nosso território ao longo dos séculos. O fio condutor está centrado na ideia de como o crime e o emprego da violência fizeram e fazem parte de nossa sociedade.”

Crime, na obra, será entendido numa amplitude terminológica maior, como “um tipo de infração grave, passível de punição pela lei ou pela moral e reprovado pela consciência”, do mesmo modo que a palavra ‘violência’ não está restrita às agressões físicas de uma pessoa a outra. “A violência está sendo considerada como força exercida por uma pessoa, um grupo, um Estado com o intuito de forçar alguém/algo para conseguir alguma coisa. Violência e crime são mais que sinônimos: são estágios diferentes, e às vezes complementares, de um mesmo processo”, escrevem Del Priore e Müller.

Ao longo de seus 16 capítulos, cada um deles composto por artigos independentes que orbitam o universo da violência, pretende-se mostrar às leitoras e aos leitores não uma cronologia de delitos e violências no Brasil, “mas também o convidar para a reflexão sobre as formas de infrações que fizeram e fazem parte de nosso cotidiano, na esperança de que nossa sociedade encontre novas formas de tolerância, convivência e solidariedade”.

Sobre as organizadoras

Mary Del Priore é doutora em História pela Universidade de São Paulo (USP). Lecionou História na Faculdade de Filoso­fia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro. Publicou, pela Editora Unesp, Ao sul do corpo (2009), História do esporte no Brasil (2009), História do corpo no Brasil (2011), História dos homens no Brasil (2013). Em 1998, recebeu os prêmios Jabuti e Casa Grande & Senzala pelo livro História das mulheres no Brasil (1997).

Angélica Müller é doutora em História pela Université de Paris I – Panthéon Sorbonne e em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). É professora do Instituto de História da Universidade Federal Fluminense (UFF) e pesquisadora-associada do Centre d’Histoire Sociale du XXème Siècle da Université de Paris I. Atuou como pesquisadora durante os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade (2012-2014). 

TítuloHistória dos crimes e da violência no Brasil 
Organizadoras: Mary del Priore e Angélica Müller
Número de páginas: 485
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 74,00
ISBN: 978-85-393-0699-2

Mary Del Priore concedeu entrevista sobre o livro, durante o Encontro com os escritores, evento promovido pela Universidade do Livro e realizado em 29 de novembro, com mediação do jornalista Manuel da Costa Pinto. Assista aqui:
https://www.youtube.com/watch?v=vDki7WKpHPU


==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário