FLOR DO MOINHO: Documentário brasiliense estreia no Cine Brasília

Florentina Pereira dos Santos ou simplesmente Dona Flor. Ela teve 18 filhos e adotou outros 28. Realizou o parto de 310 crianças. Além de parteira e raizeira, já foi também garimpeira, tropeira, quitandeira, tecelã e agente de saúde. Agora, sua história será contada no documentário Flor do Moinho, que estreia dia 22 de abril, às 18h, no Cine Brasília, com entrada franca. A exibição é parte da programação do Lobo Fest: Festival Internacional de Curtíssimos. A sessão será seguida de debate com a diretora Érika Bauer.

O filme foi idealizado e realizado por duas moradoras de Brasília. A ideia de levar para os cinemas a história de Dona Flor surgiu em 2010, após a cineasta Érika Bauer, diretora do documentário, e a produtora Flor do Santos visitarem o Povoado do Moinho, próximo a Alto Paraíso, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Elas, que inicialmente pretendiam documentar diversas raizeiras pelo Brasil, se encantaram com Dona Flor e com as pessoas que ali viviam. Voltaram convictas de que naquele povoado estava toda a história que procuravam para contar. Assim, surgiu o documentário Flor do Moinho.

Diante das dificuldades para encontrar um meio de bancar a produção, procuraram editais para executar o projeto e buscaram orientações e apoios de amigos. Cogitaram até mesmo levar para as TVs. Mas o lugar de Dona Flor era nas telonas e, em março de 2015, depois de firmar parceria com uma produtora de vídeo, lançaram uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Catarse com a pretensão de arrecadar R$ 50 mil.

Admiradores, gente que se encantou com a história, amigos da produção, mães que tiveram os partos realizados por Dona Flor e os filhos dessas mulheres surgiram de todas as partes do país e do exterior e logo depois do primeiro mês a meta foi alcançada. No entanto, as contribuições não paravam de chegar. A campanha terminou com R$ 85.165,00, ou seja, 70% a mais do que a expectativa inicial.

Publicado na página do documentário no facebook, o trailer do filme já foi visto por mais de 500 mil pessoas. A primeira exibição de Flor do Moinho aconteceu para os próprios moradores do Moinho e para Dona Flor, na quadra de esportes do povoado. A sessão no Cine Brasília será a estreia para o grande público.

Debate – Após a sessão, a diretora de Flor do Moinho, Érika Bauer, participará de um debate com o público onde falará sobre a experiência de filmar com uma personagem tão emblemática. A entrada é franca. 

Sobre a Diretora
Érika Bauer é cineasta mineira de Belo Horizonte. É professora de Audiovisual do Curso de Comunicação da Universidade de Brasília. Graduada em Cinema e Televisão pela Escola Superior de Cinema e Televisão de Munique, em 1994. De volta ao Brasil, dirigiu vários vídeos e curtas, dentre eles “Bom Dia, Senhoras” (1998). Em 2006, estreou em longa com o documentário “Dom Hélder Câmara – O Santo Rebelde”, em que refaz a trajetória do religioso que marcou para sempre a história do Brasil, recebendo vários prêmios, incluindo Melhor Roteiro e Melhor Edição no Cine Ceará. Em 2006, lança o longa “E a Terra se Fez Verbo”, que registra a luta e resistência da comunidade da região da Prelazia de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, e seu principal personagem, Dom Pedro Casaldáliga.


SERVIÇO

Estreia FLOR DO MOINHO
Data: 22/04, às 18h. Sessão seguida de debate.
Local: Cine Brasília
EQS 106/107 - Asa Sul - Brasília, DF, 70345-400
Tel.: (61) 3244-1660
Entrada franca.
Classificação livre.

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário