JOGOS OLÍMPICOS: Alison e Bruno batem dupla campeã olímpica e vão à semifinal

O Brasil brigará por medalha também no torneio masculino do vôlei de praia. Após as classificações de Larissa/Talita e Ágatha/Bárbara às semifinais, no último domingo (14.08), foi a vez de Alison e Bruno Schmidt alcançarem a fase que garante briga por medalha. Eles venceram os norte-americanos Dalhausser e Lucena na tarde desta segunda-feira (15.08), por 2 sets a 1 (21/14, 12/21, 15/9), em 49 minutos de jogo.
 

A semifinal acontece já nesta terça-feira, às 17h (de Brasília), contra os holandeses Brouwer/Meeuwsen, campeões mundiais em 2013 e que superaram os compatriotas Nummerdor e Varenhorst por 2 sets a 0, também nesta segunda. Os brasileiros possuem cinco vitórias em sete jogos contra o time da Holanda. As finais do torneio masculino estão programadas para a próxima quinta-feira (18.08).
 

Além de superar o campeão olímpico Dalhausser, ouro nos Jogos de Pequim-2008, e seu parceiro Nick Lucena, os brasileiros também tiveram outro desafio. O vento forte dificultou levantamentos e alguns ataques, atrapalhando os dois times. Os brasileiros, porém, souberam lidar melhor com as rajadas de até 84 km/h.
 
VEJA A GALERIAS DE FOTOS DA PARTIDA
 

Agora os brasileiros lideram o confronto contra a dupla norte-americana. Três vitórias de Alison/Bruno Schmidt contra duas de Dalhausser/Lucena. Na partida desta segunda, destaque para o domínio de Alison na rede, somando seis pontos em bloqueios contra dois de Dalhausser. A dupla também conseguiu mais aces: 4 contra 3 dos norte-americanos.
 

Bruno Schmidt falou sobre como os atletas foram surpreendidos pelo vento forte e tiveram que ajustar os movimentos.
 

"Pouco antes do jogo praticamente não ventava. Bastou entrarmos no corredor e as rajadas ficaram fortes. Mas isso é vôlei de praia. Sol, chuva, vento forte, pouco vento. Temos que estar preparados sempre, é uma habilidade. Quem se adapta mais rápido, leva vantagem. Fizemos um jogo consistente, focado, estamos prontos para mais uma 'final'", disse Bruno Schmidt.
 

Alison comentou a sequência de grandes adversários que os brasileiros estão encarando em busca da medalha de ouro.
 

"Enfrentamos o time campeão europeu (Herrera/Gavira), enfrentamos o campeão olímpico de 2008 (Dalhausser). Agora teremos o campeão mundial de 2013 (Brouwer/Meeuwsen) ou o vice-campeão mundial de 2015 (Varenhorst/Nummerdor). Nossa chave é isso, e isso é uma olimpíada, só grandes equipes. Não dá para escolher adversário nunca", disse Mamute, que também elogiou o bloqueador norte-americano.
 

"Dalhausser é um atleta exemplar, aprendi muito perdendo contra ele. É um jogador da minha geração, ganhou muito de mim e me fez evoluir, o tenho como exemplo. Quando toca no bloqueio ele avisa, quando a bola vai para fora. Gosta de jogar um voleibol limpo. É um cara que merece o que conquistou
 
O Jogo
Os dois times foram cumprindo seu papel no início, virando as bolas no ataque sem erros. O primeiro contra-ataque veio com Bruno Schmidt. No lance seguinte, erro de Lucena no ataque e o Brasil já abria 8 a 5 no placar. Dalhausser conseguiu bons saques, mas os brasileiros foram para o tempo técnico vencendo por 11 a 10, alternando boas largadas e paralelas potentes.

 

O conjunto de saque e bloqueio funcionava bem para o Brasil. Bruno Schmidt dificultava a recepção e Alison fechava a porta no bloqueio. Quando placar chegou a 14 a 10, os norte-americanos pediram tempo. O Brasil não caiu de rendimento, manteve as viradas no ataque e foi mantendo ao menos três pontos de frente. Dominantes, fecharam em dois bloqueios seguidos de Alison: 21 a 14 na primeira parcial.
 

O Brasil não começou bem na segunda parcial. Três ataques para fora e um bloqueio de Dalhausser fizeram o time brasileiro pedir tempo. Alison e Bruno foram buscando e voltaram ao jogo. Em ponto de saque do defensor brasileiro, a vantagem norte-americana caiu para dois pontos. Na parada técnica, Dalhausser e Lucena venciam por 12 a 9.
 

O Brasil enfrentou algumas dificuldades na virada de bola e os norte-americanos aproveitaram. Abriram 16 a 11 e tornaram a missão da virada no set complicada. Lucena, inspirado, conseguiu um ponto importante em contra-ataque, anotando 19 a 12. Um erro de Bruno Schmidt e um desafio vencido pelos norte-americanos encerrou o set: 21 a 12. Jogo no tie-break.
 

O tie-break começou com ponto de saque de Bruno Schmidt e ataque para fora de Dalhausser. No lance seguinte, bloqueio de Alison e três pontos de vantagem dos brasileiros. Os norte-americanos voltaram para o jogo, mas pouco depois, em erro na largadinha de Lucena, novamente vantagem de três pontos ao Brasil: 8 a 5 no placar.
 

Dois pontos deram muita moral ao Brasil. Uma jogada com duas defesas incríveis, uma de Alison, no fundo da quadra, e outra de Bruno, atrás da placa, finalizada com ataque potente de Mamute. Na jogada seguinte, ponto de saque de Bruno Schmidt e vantagem de cinco pontos. Os norte-americanos sentiram e a arena virou um caldeirão.
 

Dalhausser errou um saque importante e deixou a vitória mais próxima: 13 a 8. No lance seguinte, lindo bloqueio de Alison, com tempo de bola perfeito e match point para o Brasil. Lucena salvou o primeiro, anotando 9 a 14, mas na sequência Alison fechou com uma bomba na diagonal, anotando 15 a 9 e fechando a partida.

==> Foto: Inovafoto / CBV

0 comentários:

Postar um comentário