Jussara Silveira traz show inédito pelo projeto Samba de Bamba da Caixa Cultural

A cantora baiana Jussara Silveira é a quinta atração do projeto Samba de Bamba em Brasília. Ela se apresenta na segunda-feira, dia 11 de julho, às 20 horas, no Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 - Edifício anexo à matriz da Caixa). A cantora preparou especialmente para o projeto o show A Ordem é Samba – título, emprestado do samba homônimo de Jackson do Pandeiro, que ainda traz o subtítulo “a nova velha guarda do samba da Bahia”, para compor um roteiro esmerado, em que a graça e a leveza do samba se ajustam a letras e melodias significativas e harmonias apuradas.

Durante o show serão projetadas imagens da Bahia dos anos 50, registradas pelo cineasta Alexandre Robatto. No palco, Jussara será acompanhada por dois grandes músicos: o percussionista e baterista Marcelo Costa, produtor de três dos seus discos, e Muri Costa, violonista e mestre em arranjos vocais.

Jussara Silveira conta que a escolha do repertório foi feita a partir de sua própria discografia, sambas que gravou ao longo de sua carreira, ou cantou em shows. Esses sambas vão formar uma unidade que percorre composições desde Assis Valente a jovens compositores como Tiaganá Santana, Moreno Veloso, J. Velloso, Paquito, passando por Roque Ferreira, Batatinha e por Dorival Caymmi, com destaque para o samba “Lá vem a baiana”, gravado por ela no premiado álbum “Canções de Caymmi”, que faz parte da trilha hollywoodiana do filme The breack Up (“Separados pelo Casamento”) – com Jennifer Aniston e Vince Vaughn, pontuando a relação amorosa daquela comédia romântica.

A partir do disco de “Canções de Caymmi”, a cantora faz uma sutil ligação entre registros anteriores e sonoridades posteriores, mantendo a ponte entre nosso passado e nosso futuro, preservando os elementos utilizados por compositores de cada época, como a “caixa de fósforos” de Batatinha, ou o “prato” de Dona Edith, dando lastro ao seu canto com a justeza devida aos mestres e com a densidade e a leveza, propriedades interpretativas que lhe têm rendido um merecido reconhecimento.

O projeto Samba de Bamba é uma oportunidade única para a artista revisitar seu repertório e levar o público a se reconhecer no samba, na canção brasileira, pois deste trabalho parece emergir, em conjunto, todas as referências de uma Bahia Caymmiana, antiga e nova, onde o canto simplesmente evidencia o que os grandes compositores ensinaram ontem e ensinam agora.

Samba de Bamba

O coordenador e curador do Samba de Bamba, o jornalista e crítico musical Rodrigo Browne, comemora a terceira temporada do projeto que encerra o primeiro semestre apresentando ao público de Brasília grandes atrações. Browne adianta que na segunda metade do projeto vai apresentar na Caixa Cultural artistas que desenvolvem o autêntico samba brasileiro com seus vários sotaques. “O samba é o gênero brasileiro que agrega intérpretes maravilhosos em cada canto do país. Estamos apresentando as várias vertentes do samba e todos tem como compromisso apresentar no repertório composições que respeitam o nosso passado cultural e que, ao mesmo tempo, mostram que é possível renovar com qualidade”, finaliza.

A próxima atração do Samba de Bamba é a cantora e compositora carioca Karla da Silva, dia 09 de agosto.

Serviço: A Ordem é Samba – show com a cantora baiana Jussara Silveira no projeto Samba de Bamba
Data: 11 de julho de 2016 (segunda-feira)
Teatro da CAIXA (SBS Quadra 4 Lotes 3 e 4 - Edifício anexo à matriz da Caixa)
Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia entrada). Estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos, doadores de item solicitado no mês e assinantes do Correio Braziliense.
Duração: 1h30
Classificação indicativa: 12 anos
Lotação: 406 lugares

==> Foto: Ricardo Muñoz Garcia

0 comentários:

Postar um comentário