História dos homens no Brasil

A data passou a ser comemorada como o Dia Internacional contra a Homofobia, instituída no Brasil como Dia Nacional de Combate à Homofobia em 7 de junho de 2010 por decreto assinado pelo então presidente Lula às vésperas da XIV Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros).

A Editora Unesp selecionou, entre os títulos de seu catálogo, livros que permeiam essa questão ainda tão debatida por diversos âmbitos da sociedade. 

 

História dos homens no Brasil

Organizadoras: Mary Del Priore e Marcia Amantino | 416 páginas | R$ 82,00
Neste volume, 13 autores apresentam e avaliam as inúmeras facetas que estiveram e estão por trás do conceito de homem no Brasil desde o período colonial. Os artigos demonstram que a masculinidade do brasileiro não resulta de características 'naturais', mas foi edificada e adquiriu perfis variados, conforme as diferentes épocas, áreas geográficas e classes sociais, além de religião e orientação sexual de cada um.

Os artigos abordam o tema a partir de ângulos diversos, demonstrando que ser homem não garante vida fácil e lembrando que a história do gênero é marcada por tensões, dominação, violência, quase sempre relacionadas à pressão para corresponder ao estereótipo de 'machão' valente. Os textos acerca da ideia de masculinidade dos escravos vindos da África, dos jovens senhores e dos trabalhadores do período colonial, sugerem que elementos daqueles tempos ainda moldam o comportamento masculino no país.

O livro atravessa os séculos, avaliando assuntos como a busca pela modelagem e pelo adestramento do corpo e a figura do esportista como herói contemporâneo, a questão do celibato dos padres e o crescimento da prática de esportes de contato como o MMA no Brasil.

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário