ZÉ CELSO E TEAT(R)O OFICINA UZYNA UZONA ABREM TEMPORADA NA CAIXA CULTURAL BRASÍLIA

A peça Pra dar um fim no juízo de deus, da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, entra em cartaz na CAIXA Cultural Brasília nesta quinta-feira (14/04), às 20h. Dirigida por Zé Celso, a peça radiofônica de Antonin Artaud ganha vida com o Tyazo do Oficina e fica em cartaz até 24 de abril, sempre de quinta a domingo. Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10 (meia), e estão sendo vendidos na bilheteria do Teatro da CAIXA Cultural Brasília.

Um dos mais recentes sucessos da companhia de teatro – a montagem esteve em cartaz, em 2015, no próprio Teat(r)o Oficina, na capital paulista –, a peça que chega à Brasília foi encenada pela primeira vez no Brasil há 20 anos. Em 90 minutos de enorme intensidade poética, o francês Antonin Artaud (1896-1948), criador do que hoje se nomeia como “teatro da crueldade”, coloca em causa o Juízo Final, afirmando a vitória da carne sobre deus.

De volta à cidade depois de seis anos – o grupo apresentou o projeto Dionisíacas em viagem em 2010 –, a Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona levanta vários questionamentos: o que é a consciência? O que é o infinito? O que é crueldade? Deus é um ser?

Em cena, isso vai sendo respondido por diversos Artauds, que ganham corpo na carne dos atores. Pascoal da Conceição é Artaud Marat; Marcelo Drummond é Artaud Monge Massieu; Camila Mota e Sylvia Prado são Artaud Beatrice Cenci; Zé Celso é Artaud Momo; e, Roderick Himeros é Artaud Heliogabalo Tutuguri. Junto a eles está o Coro de Artauds despedaçados, formado por Joana Medeiros, Nash Laila, Daniel Fagundes, Rodrigo Andreolli e Leon Oliveira.

Todos estão envoltos na polifonia sonora executada por Gustavo Lemos (som) com a banda formada por Carina Iglesias (percussão xamânica), Ito Alves (percussão xamânica) e Felipe Massumi (cello e canto). A direção e a dramaturgia contam com a escuta sensível da poeta Catherine Hirsch. A arquitetura cênica é assinada por Marília Gallmeister e Carila Matzembacher, e o cinema ao vivo tem Igor Marotti e Pedro Salim no comando. A montagem tem ainda direção de cena de Otto Barros, coreografia de Daniel Kairoz e produção executiva de Anderson Puchetti.

Ficha técnica
Direção: José Celso Martinez Corrêa
Elenco: Marcelo Drummond, Pascoal da Conceição, Camila Mota, Zé Celso, Roderick Himeros, Sylvia Prado, Joana Medeiros, Nash Laila, Daniel Fagundes, Rodrigo Andreoli e Leon Oliveira.
Ficha Técnica completa: http://teatroficina.com.br/menus/45/posts/971


SERVIÇO

Pra dar um fim no juízo de Deus, de Antonin Artaud
Local: Teatro da CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4)
Dias: 14 a 24 de abril de 2016
Hora: quintas a sábados, às 20h; domingos, às 19h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)
Meia-entrada: estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de 1 quilo de alimento não perecível.
Bilheteria: de terça a sexta e domingo, das 13h às 21h, e sábado, das 9h às 21h. Contato: (61) 3206-6456 | Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Classificação Indicativa: não recomendado para menores de 18 anos
Duração: 90 minutos
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal

==> Foto: Jennifer Glass

0 comentários:

Postar um comentário