Projeto Venha Dançar com a orquestra Passaport Dance

Na década de 1980, o saudoso Gran Circo Lar, recebia em seu picadeiro as maiores big bands nacionais e reunia uma legião de apaixonados pela dança no coração da capital federal. Era o projeto Venha Dançar... A partir do mês de abril os bailes estarão de volta em Brasília! Dessa vez, ao invés de receber as grandes orquestras brasileiras, o projeto, idealizado pelo produtor cultural Dilmar Mattos, apresenta sua própria orquestra, formada por músicos locais sob a batuta do maestro Fabiano Medeiros.

“Estava com o maestro Leonardo Bruno, que é meu amigo de infância, no bar Amarelinho, no Rio de Janeiro, quando começamos a discutir a retomada do projeto nos moldes do que foi feito na década de 1980 em Brasília. Na época, recebíamos grandes orquestras nacionais que vinham se apresentar na cidade, no Gran Circo Lar. Durante essa conversa Leonardo sugeriu que criássemos uma orquestra com músicos locais e me indicou o maestro Fabiano Medeiros para coordenar o trabalho”, relembra Dilmar.

Nominada “Passaport Dance”, a big band brasiliense começa suas atividades com shows quinzenais, (sempre as sextas-feiras), no Hotel Nacional.  A sugestão para o nome da nova orquestra também ficou a cargo do maestro carioca Leonardo Bruno, filho do grande clarinestista e compositor mineiro Abel Ferreira, um dos maiores nomes do choro no país. A inspiração veio do famoso whisky, que em 1975 contou com uma composição do maestro em uma de suas peças publicitárias, intitulada “Passport”, alcançando grande repercussão nacional. A música além de dar nome à orquestra brasiliense, ganhou um arranjo especial feito pelo maestro Fabiano Medeiros e será o tema dos bailes na capital, o prefixo dos shows da Passaport Dance.

A ideia da retomada do projeto, quase 30 anos depois, é produzir algo na contramão do que já existe. Atualmente, acontecem em Brasília bailes com  pequenas bandas que reúnem poucos músicos no palco e que nem de longe trazem o requinte musical dos antigos bailes da capital. Apesar disso, esses eventos estão sempre lotados o que reflete a demanda da cidade por espaços dedicados à dança.

“O cheiro, o traço e a cor desse projeto é a dança, e não existe nada parecido na cidade. É um trabalho duro, de conquista de espaço. Ao visitarmos outros projetos relacionados à bailes, vimos um público mais jovem que se reúne para dançar. Os bailes estão sempre lotados. É claro que existem pessoas que irão sentar e apreciar a orquestra, mas a predominância é de quem quer dançar. A ideia é fazer um cruzamento etário. Os bailes que eu visitei têm esse rosto, 80%  das pessoas estão acima dos 40 anos. A gente sabe que existe um grupo na cidade entre 25 e 40 anos que também gosta de dançar. Queremos atrair todas as faixas etárias. Acreditamos que será um  grande sucesso pelo vocacional desse público, que já existe, que gosta de dançar, e pelo ineditismo do projeto, que traz uma orquestra formada por músicos locais”, avalia Fabiano.

O maestro foi o responsável pela arregimentação dos músicos, que, em sua maioria, integram a conhecida Orquestra Marafreboi, vinculada à cultura popular e presença constante no carnaval de rua de Brasília, também coordenada por Fabiano Medeiros.

Os nipes da “Orquestra Passport Dance”trazem quatro saxofones (dois altos e dois tenores), três trombones, três trompetes, baixo, guitarra, três percussionistas e uma cantora. Ao todo, serão 16 músicos no palco. No repertório salsa, bolero, merengue, forró, clássicos da MPB, além de músicas vinculadas à orquestras tradicionais como a famosa Tabajara.

Um pouquinho de história
Criado em 1987, o projeto Venha Dançar... nasceu com o propósito de trazer grandes orquestras nacionais para a capital federal. Pelo palco do Gran Circo Lar passaram nomes de peso como a hoje octogenária Orquestra Tabajara - Patrimônio Imaterial do Estado do Rio de Janeiro -, maestro Cipó e Orquestra Valdir Calmon. O projeto se estendeu por três anos no local, com grande sucesso, e movimentou a cidade com uma série de bailes.

O Gran Circo Lar, tradicional espaço cultural da época, ficava localizado nas proximidades da Rodoviária do Plano Piloto, na Esplanada dos Ministérios. O “circo”, construído em alvenaria, era paramentado com suntuosos azulejos portugueses e trazia as paredes internas pintadas em cores definidas por Athos Bulcão.

“Comecei esse projeto no Grand Circo Lar. Era um circo. Eu conheci gente que saía do Gama, de ônibus para vir para cá dançar, que ficava a noite toda e depois voltava para casa na maior satisfação”, relembra Dilmar.

Demolido em 1999, para dar lugar ao Complexo Cultural da República, o Gran Circo Lar abrigou ainda grandes shows de rock e projetos sociais voltados à comunidade.

Serviço

Projeto Venha Dançar... com a Orquestra Passaport Dance
Quando? Dias 8 e 22 de abril às 21h
Onde? Hotel Nacional – Taboo Grill Restaurante (Setor Hoteleiro Sul, Qd. 1, Bloco A)
Quanto? 40,00
Estacionamento próprio
Informações e reservas: (61) 9108-4745 e (61) 8234-6675

==> Foto: Hugo Barreto

0 comentários:

Postar um comentário