Madrugada Olímpica, com direito a medalha inédita para o tênis brasileiro

BRONZE: Luisa Stefani e Laura Pigossi entram para a história do tênis brasileiro
A história do tênis brasileiro ganhou um capítulo especial neste sábado. Luisa Stefani e Laura Pigossi colocaram as digitais na biografia do esporte brasileiro ao vencerem as russas Veronika Kudermetova e Elena Vesnina, conquistando a primeira medalha do país na modalidade nos Jogos Olímpicos. O bronze representa a consagração da parceria que brilhou em Tóquio-2020.

A trajetória até a medalha olímpica não foi fácil. Pelo caminho as brasileiras tiveram de superar atletas da elite do circuito internacional, campeãs e finalistas de Grand Slams nos últimos anos. O primeiro triunfo foi sobre as canadenses Sharon Fichman/Gabriela Dabrowski. Depois veio a vitória sobre as tchecas Marketa Vondrousova/Karolina Pliskova. Nas quartas de final, um desafio ainda mais difícil contra as norte-americanas Bethanie Mattek-Sands/Jessica Pegula. E nem mesmo a derrota na semifinal para as suíças Belind Bencic/Viktorija Golubic foi capaz de tirar o brilho desta façanha do esporte nacional.

"Ainda não caiu a ficha do quanto isso é importante. Entramos na competição de última hora, aos 45 do segundo tempo, e fizemos valer à pena. Aproveitamos cada momento, cada partida, para representar o tênis brasileiro da melhor maneira e estamos muito felizes de trazer a medalha para casa", comemora Luisa Stefani.

"Nós nunca deixamos de acreditar que podíamos. Desde que recebemos a confirmação da classificação, sabíamos que poderíamos jogar de igual para igual contra todas que estão aqui. A derrota na semifinal foi muito dura, mas tivemos forças para reorganizar, juntar energias e defender as cores do Brasil da melhor maneira", completa Laura Pigossi.

A partida decisiva pela medalha seguiu o roteiro traçado pelas brasileiras durante toda a competição, com requintes de resiliência e determinação. Depois de um primeiro set em que começaram pior e precisaram lutar para equilibrar o duelo, Laura e Luisa viram as russas vencerem a primeira parcial por 6/4. Mas a reação brasileira não foi interrompida e, depois da quebra no primeiro serviço das rivais no segundo set, devolveram a parcial de 6/4 para levar a decisão para o super tie-break.

O terceiro set foi ainda mais emocionante. Stefani/Pigossi chegaram a ficar 5-9 atrás no placar, com quatro match points para as atletas do Comitê Olímpico Russo. Além de salvarem as quatro chances, elas mantiveram o ritmo para fechar em 11-9 e confirmar o bronze histórico. O duelo no Ariake Tennis Park tede duração de 2h11min.

Até hoje, a melhor participação brasileira nos Jogos Olímpicos havia sido o quarto lugar de Fernando Meligeni em Atlanta-1996. Luisa Stefani e Laura Pigossi escreveram um novo capítulo não apenas para o esporte do país, mas também da América do Sul. Apenas duas vezes na história atletas do continente subiram no pódio feminino da competição, com as argentinas Gabriela Sabatini (prata em Seul-1988) e Paola Suarez/Patricia Tarabini (bronze em Atenas-2004).

"Esse é um sentimento muito especial, por tudo que a gente trabalhou. Só de estar aqui, vivendo esse sonho juntas, é algo único para se compartilhar. Queremos deixar o exemplo para que os tenistas do Brasil acreditem e trabalhem muito, trabalhem duro e com amor, pois o resultado é uma consequência", destaca Stefani. "Você pode até não ser favorito, mas acreditar até o fim vale à pena", finaliza Pigossi.

Vôlei de Praia: Ana Patrícia/Rebecca avança para as oitavas como melhor terceiro
A primeira fase do vôlei de praia dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 chegou ao final para as duplas brasileiras na noite desta sexta-feira (30.07). A última parceria verde e amarela a entrar em quadra foi Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE) que acabou superada por Kelly Claes e Sarah Sponcil, dos Estados Unidos, por 2 sets a 1 (21/17, 19/21 e 11/15).

Na estreia olímpica Ana e Rebecca venceram Makhoka/Khadambi, do Quênia. E, na rodada seguinte, foram superadas por Graudina/Kravcenok, da Letônia. Mesmo com o revés desta sexta-feira, a dupla do Brasil ainda segue firma na disputa olímpica. Os resultados da fase de grupos deixaram as brasileiras como melhor terceiro lugar.

O confronto entre duplas do Brasil e dos Estados Unidos no vôlei de praia é sempre permeado de muita rivalidade. Ana Patrícia comentou sobre a expectativa antes do duelo contra as estadunidenses.

Com a classificação de Ana Patrícia e Rebecca como melhor terceiro lugar, o Brasil continua na busca por medalhas com as quatro duplas. Aliso/Álvaro Filho ficou com a primeira posição do grupo D, enquanto Evandro e Bruno Schmidt conquistaram a liderança no grupo E. Ágatha e Duda ficaram em segundo no grupo C feminino.

Seleção Feminina de Vôlei: Brasil vence Sérvia e mantém a invencibilidade
No aniversário do treinador José Roberto Guimarães, a seleção brasileira feminina de vôlei venceu, neste sábado (31.07), a Sérvia por 3 sets a 1 (25/20, 25/16, 23/25 e 25/19), na Ariake Arena, no Japão. Com o resultado, o time verde e amarelo manteve a invencibilidade nos Jogos de Tóquio. Foram quatro jogos e quatro vitórias na competição.

No grupo A, o Brasil aparece na liderança, com 11 pontos (quatro vitórias). A Sérvia está em segundo, com nove, a Coréia do Sul em terceiro, com cinco, e a República Dominicana em quarto, também com cinco, mas com um saldo de sets pior que as coreanas.

Na partida deste sábado destaque para a oposta Tandara, maior pontuadora entre as brasileiras, com 19 acertos. A ponteira Fernanda Garay também teve boa pontuação, com 17 pontos. Apesar da derrota, a Sérvia teve a maior pontuadora do confronto, a oposta Boskovic, com 32 pontos.

A oposta Tandara comentou sobre a atuação das brasileiras e destacou a importância do resultado. “Estamos mostrando como o nosso grupo é forte. Tenho que agradecer as jogadoras por todo o apoio que tenho recebido. A Olimpíada é um campeonato de tiro curto e precisamos de todas as 12 jogadoras. Treinei muito para esse momento e hoje joguei mais confiante. Agora é pensar nos próximos desafios”, disse Tandara.

A levantadora Roberta, que substituiu a titular Macris (lesão no tornozelo direito), destacou o acolhimento do grupo brasileiro na vitória contra a Sérvia.

O Brasil encerrará a participação na primeira fase dos Jogos de Tóquio contra o Quênia. O time verde e amarelo duelará com as quenianas a às 9h45 deste segunda-feira (02.08).

Na última edição dos Jogos, no Rio, em 2016, a seleção feminina ficou em quinto lugar. O Brasil tem dois ouros e dois bronzes no feminino nos Jogos Olímpicos.

==> Foto: Face Oficial CBT

0 comentários:

Postar um comentário