Reginaldo Moraes investiga as alterações no mercado de trabalho e sua aprendizagem

As rápidas metamorfoses no mundo do trabalho contemporâneo e as novas habilidades necessárias para a codificação das tarefas são alguns dos temas que abordados pelo pesquisador Reginaldo C. Moraes em Ensino Superior e formação para o trabalho: reflexões sobre a experiência norte-americana, lançamento da Editora Unesp, que visa analisar as transformações nos métodos de aprendizado laboral na graduação. “Queria entender, além das raízes do estímulo a programas de workforce development [desenvolvimento de força de trabalho] envolvendo community colleges [universidade comunitárias], suas dificuldades e seus resultados, bem como o impacto dessas iniciativas no debate já antigo sobre o “ensino vocacional”, seus métodos, públicos e conteúdos”.

Analisando o caso dos Estados Unidos e as tensões e contradições relacionadas às exigências e especificidades cada vez mais visíveis em seu mercado de trabalho, Moraes revela o funcionamento dos community colleges e a relação que a educação pode, quando a serviço de forças conservadoras, prestar um serviço contrário à ideia que se tem dela no senso comum: ao invés de incluir e promover a igualdade, aprofundaria a exclusão e a desigualdade.

Ao longo de 16 capítulos, divididos em quatro partes, o autor analisa a relação entre as principais transformações no mundo do trabalho (geradas, principalmente, pela revolução tecnológica) e as propostas de adequação dos programas vocacionais. Em seguida, focaliza especificamente na estratégia pedagógica da apprenticeship, a aprendizagem ativa e dual inspirada no modelo alemão. Discute ainda os limites não escolares das reformas educativas, fatores nem sempre considerados nos debates correntes. Por fim, observa mais de perto o impacto nos community colleges e suas formas alternativas ao bacharelado.

“Os community colleges oferecem cursos mais baratos, de matrícula aberta e flexíveis, também buscam locais alternativos, como centros comunitários, associações, igrejas, o que colabora para que sejam espaço natural na recepção de imigrantes”, pontua Moraes. “O lado menos luminoso desse filão – a noncredit education [cursos focados em interesses pessoais e profissionais, que não oferecem certificação formal] – é que, na maioria dos estados, ela tem financiamento precário, bem menor do que a educação convencional.” Além disso, existe a questão do status: os programas acadêmicos que conferem diplomas têm, desde muito tempo, o prestígio do “andar de cima”.

Sobre o autor – Reginaldo C. Moraes (1950-2019), doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), foi professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Autor: Reginaldo C. Moraes
Número de páginas: 144
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 32,00
ISBN: 978-85-393-0816-3

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário