Alaya Dança apresenta “Imagens Poéticas, Exposição Performance”, de 4 a 13 de outubro

Prestes a completar três décadas, a Cia/ Núcleo Alaya Dança revisita sua trajetória com o projeto multilinguagem Imagens PoéticasExposição Performance - Alaya Dança 30 anos, que reúne performance, palestra e exposição construídos com inspiração em recortes do acervo de imagens, cenografias, trilhas sonoras e repertório que marcaram a história da companhia. 

Imagens poéticas tem visitação da exposição do acervo da companhia, de 4 a 13 de outubro, no Centro de Dança do Distrito Federal. A curadoria da exposição propõe ao público um mergulho nas emoções, sensações e imagens que são ícones da memória da companhia.

Na noite de abertura (4), às 19h, será ministrada a palestra “Alaya, Pedagogia e criação em processo”, com Cássia Navas,  escritora e ensaísta, professora-pesquisadora Instituto de Arte/UNICAMP, São Paulo. Em processo de 30 anos, a Alaya Cia. De Dança é duplamente território e fronteira entre territórios, base na e pela qual se mesclam ensino, criação , difusão, num reticulado de temas, textos e contextos,  artistas e gentes, teatros e cidade. A palestra propõe-se como uma travessia por este território Alaya, com foco no ensinar e criar, que são ética e estética se entrelaçando.  Navas é parceira e orientadora de Lenora Lobo, diretora e fundadora da companhia, na sistematização do método Teatro do Movimento, publicado em um DVD e dois livros.

Nos dias 5 e 6, às 20h, Imagens Poéticas traz performance da companhia, fazendo uso da exposição como cenário dramático para a apresentação.  Encenado por nove bailarinos, com dança, canto e algumas interações com o público,  é uma criação inspirada em trechos de seis das mais significativas  coreografias da Alaya Dança ao longo da sua história.  

A direção artística de  Imagens Poéticas é assinada por Lenora Lobo, a direção cênica e coreográfica por  Andrea Horta e a concepção visual e cenários concebidos por Ione Coelho.  Ao adentrar o Centro de Dança, o público vivencia uma imersão no universo criado pela companhia. A ideia é que o espectador possa ter a oportunidade de acompanhar e interagir com a dança em alguns momentos, além de observar de perto as montagens do acervo multimídia da companhia.

“A partir de todos os processos de pesquisa, criação de um repertório comprometido com brasilidade e identidade e produção de conhecimentos empreendidos pela companhia, a iniciativa de compartilhamento desta Exposição Performance é fundamental para estimular novos criadores e deleitar apreciadores da arte. A história da Alaya Dança abrange boa parte da história de Brasília. Realizar o projeto Alaya Dança Manutenção, em 2018 e 2019, significa, para nós, contribuir com a formação crítica no estado, tornar a apreciação da arte coreográfica mais vasta e reforçar a identidade cultural do DF”, explica a diretora Lenora Lobo.

A Exposição Performance Imagens Poéticas encerra, em 2019, o segundo ano do projeto Alaya Dança Manutenção com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal. A proposta do primeiro ano, 2018, se manteve em dar continuidade às atividades do núcleo artístico no desenvolvimento de oficinas, capacitação, atualização de acervo, pesquisas, ensaios, aulas-espetáculos, visibilizou processos criativos e didáticos.  Sua proposição abriu espaço para residentes; jovens engajados com a arte do movimento.  O projeto cumpriu seu formato, via inclusão de profissionais que ancoraram o objeto de necessidades com processos positivos, são eles, artistas e professores: Van Porath, Eliana Carneiro, o músico João de Bruço, artista plástica Ione Coelho e a Interprete Criadora Aida Cruz. 

Sobre a Cia Alaya Dança 
Composta por intérpretes criadores voltados para a pesquisa em dança, foi criada em 1989 pela coreógrafa e diretora Lenora Lobo. Após décadas no mercado, a companhia inova no mercado da dança no Distrito Federal, destacando-se desde 2003 por ter sua própria proposta pedagógica sistematizada no Método Teatro do Movimento, criado por Lenora Lobo e pela pesquisadora e professora PhD. Cássia Navas. Desde então, a Cia Alaya participa da formação, pesquisa e instauração de uma arte coreográfica brasileira. A Alaya Cia de Dança transita entre os palcos e o núcleo de pesquisa e colabora atualmente com a formação de intérpretes criadores e educadores no Distrito Federal e no Brasil. A companhia acolhe, no contexto da diversidade, diferentes artistas e múltiplas linguagens e métodos expressivos.

Ficha Técnica:
Direção geral: Alaya Arte do Movimento Companhia de Dança
Direção de arte: Lenora Lobo / Ato de Comunicação
Direção cênica, concepção e dramaturgia: Andrea Horta
Assistente de direção: Cleani Calazans
Interpretes criadores – Bailarinos: Hilton Gonçalves, Cleani Calazans, Christiane Lapa,
Marcilma Carvalho, Alexandre Nascimento, Andrea Horta.
Participação especial: Aida Marise
Interpretes criadores convidados: Melina Calazans e Jorge Dupan
Atriz convidada: Julia Horta
Músico convidado: Thiago Ribeiro
Palestrante: Cassia Navas
Concepção visual e cenografia da exposição: Ione Coelho
Assessoria de comunicação e design gráfico: Pato Sardá
Coordenação de produção e administrativa: Fernanda Oliveira / Arteviva Produções
Produção executiva: Alaor Rosa / Arteviva Produções
Iluminador: Moises Vasconcellos
Assessoria de Imprensa: Tato Comunicação
Fotos vídeos e edições do projeto: Ato de Comunicaçao/ Dmitri Valença
Fotografo estagiário projeto: Lucas Oliveira
Fotos do Acervo exposição: Mila Pertrilo e Sátiro Valença
Videos Exposição: Ato de Comunicação/ Satiro e Dmitri Valença


SERVIÇO:

Imagens Poéticas, Exposição Performance - Alaya Dança 30 anos
Projeto de Manutenção da Cia/Núcleo Alaya Dança

Exposição do acervo da Alaya Dança
De 04 a 13 de outubro - de 9hs às 21hs

Palestra de abertura
“Alaya, Pedagogia e criação em processo”
Ministrada pela professora PhD Cássia Navas (Unicamp-SP)
Dia 04 de outubro, às 19h

Performances
Dias 05 e 06 de outubro – às 20h

Centro de Dança do Distrito Federal
(SAN, quadra 1 Via N2 – Brasília DF)
Classificação indicativa livre
Entrada gratuita

==> Foto: José Lucas

0 comentários:

Postar um comentário