Todos os Sons com João Bosco, Hamilton de Holanda e outras atrações - 24 e 25/08 no CCBB

O convite é irresistível: desfrutar do pôr do sol, no gramado do Centro Cultural Banco do Brasil Brasília, cercado de música da melhor qualidade, excelente serviço de bar e food trucks com ofertas variadas. Assim é o projeto TODOS OS SONS, um encontro com o melhor da música brasileira em dois concertos ao ar livre, nos dias 24 e 25 de agosto. A partir das 16h do sábado e do domingo, os jardins do Centro Cultural Banco do Brasil Brasília irão acolher shows de artistas como João Bosco, Hamilton de Holanda, Mariana Aydar, André Gonzales, num grande passeio pelos diversos estilos da música popular brasileira, em palcos montados ao ar livre e com entrada franca.

Quem já teve oportunidade de participar de alguma edição do projeto TODOS OS SONS sabe: são shows que ficam para sempre na memória. O projeto nasceu dentro do CCBB Brasília, em 2007, e desde então soma 11 edições, com mais de 800 artistas participantes e um público total estimado em 150 mil pessoas. Pelo palco do TODOS OS SONS já passaram estrelas como a beninense Angelique Kidjo, o sérvio Goran Bregovic, o congolês Ray Lema, os portugueses Maria João e Mário Laginha, a cubana Yusa, nomes de primeira grandeza da música internacional, além de alguns dos maiores talentos da cena musical nacional, como Tom Zé, Criolo, Otto, Baby do Brasil, Rosa Passos e muitos outros. TODOS OS SONS se propõe a ser uma grande vitrine de gêneros musicais, contemplando público de diferentes idades e gostos. A coordenação geral e a curadoria são de Guilherme Reis, produção de Michele Milani e realização do Banco do Brasil.

Em 2019, o projeto acontecerá em dois dias seguidos. No sábado, dia 24 de agosto, a música começará com o talento e a poesia do cantor, compositor e instrumentista Túlio Borges, um artista que coleciona prêmios nacionais de composição, e dois convidados: Rodrigo Bezerra (instrumentista) e Luíza Borges (cantora), com quem Túlio tem dividido o palco seguidas vezes. Logo depois, o som ogirinal da banda Gypsy Jazz Club, que acaba de ganhar 17º Independent Music Awards (IMA), um dos maiores prêmios de música independente do mundo. E fechando o dia todo o talento e virtuosidade de Hamilton de Holanda Trio, premiado com o Grammy Latino, tendo como convidada especial a cantora Mariana Aydar.

No domingo, 25 de agosto, o som começa com a batida afro-brasileira e toda a vibração da cantora, compositora e instrumentista Nãnan Matos. Em seguida, um passeio pela memória musical brasileira com a criatividade da Sr. Gonzales Serenata Orquestra. Liderada pelo cantor André Gonzales (ex-vocalista da banda Móveis Coloniais de Acaju), a Orquestra convida o público a dançar de rostinho de colado, apresentando clássicos da MPB, em ritmos que lembram as radionovelas do passado e o clima dos bailes de salão. E, encerrando o projeto, a música original e elegante do cantor e compositor João Bosco, um dos grandes violonistas brasileiros e, certamente, um dos grandes nomes da música no País que, com seu novo disco, Mano Que Zuera, recupera o melhor de sua carreira. Um programa para juntar famílias, amigos, ouvindo o melhor da música brasileira, em finais de tarde ensolarados.

SÁBADO, 24 DE AGOSTO, ÀS 16H
Túlio Borges
Gypsy Jazz Club
Hamilton de Holanda Trio convida Mariana Aydar

DOMINGO, 25 DE AGOSTO, ÀS 16H
Nãnan Matos
Sr. Gonzales Serenata Orquestra
João Bosco


TÚLIO BORGES CONVIDA RODRIGO BEZERRA E LUÍZA BORGES
Cantor e compositor brasileiro com três álbuns gravados, Túlio Borges é presença constante em lista de melhores lançamentos da música brasileira. Passeando pelo seu repertório de canções compostas ao violão, mescla a poesia popular nordestina à sofisticação da canção brasileira. Túlio Borges coleciona prêmios nacionais de composição e tem três alguns gravados. No show, convida dois grandes parceiros com quem tem dividido o palco recentemente.

RODRIGO BEZERRA
Instrumentista, produtor e arranjador, graduado em música pela Universidade de Brasília e primeiro aluno formado em guitarra elétrica pela Escola de Música de Brasília; tem vários CDS lançados.

LUÍZA BORGES
Cantora carioca (“brasiliense de coração”, como costuma afirmar), com quem Tulio Borges tem se apresentado em shows pelo Brasil, apresentando canções compostas em parceria dos dois artistas. Luíza é também poeta, autora de “Silêncio Absoluto” (2016), e prepara para este ano publicação de novo livro.

GYPSY JAZZ CLUB
O Gypsy Jazz Club é um grupo formado pelos músicos brasilienses Victor Angeleas, (bandolim e violão tenor), Pedro Vasconcellos (cavaquinho), Igor Diniz (contrabaixo acústico) e Eduardo Souza (violão manouche), que se caracteriza por mesclar o jazz manouche com a música brasileira. O grupo surgiu em 2013 com o violinista Ted Falcon na formação original. Após a mudança de Ted para os EUA em 2016, Victor entrou no grupo como solista. Em junho de 2019, o grupo Gypsy Jazz Club venceu o 17º Independent Music Awards (IMA), um dos maiores prêmios de música independente do mundo que tem premiação em Nova York, na categoria Melhor Álbum Instrumental, com o disco autoral Menestrel. Ganhou também, em 2018, o Prêmio de Melhor Intérprete no Festival da Rádio Nacional. Em Todos os Sons, o grupo vai apresentar músicas clássicas do gênero jazz manouche (com uma roupagem brasileira) e músicas do repertório brasileiro (com uma linguagem mais jazzística), de compositores como Ary Barroso e Pixinguinha.

HAMILTON DE HOLANDA TRIO CONVIDA MARIANA AYDAR
Virtuoso, brilhante e único são alguns dos adjetivos que acompanham a vida deste músico que contagia plateias em turnês pelo mundo afora. Com técnica soberba e brasilidade absoluta, Hamilton tira o fôlego com suas interpretações e performances cheias de emoção. Com o Hamilton de Holanda Trio – formado por Hamilton de Holanda (Bandolim 10 cordas), Thiago da Serrinha (Percussão) e Guto Wirtti (Baixo acústico) – lançou em 2013 o disco Trio, que ganhou o 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria “melhor instrumental: solista”. Em 2016, Samba de Chico foi Vencedor do Latin Grammy de melhor disco instrumental e recebeu o Prêmio da Música Brasileira de melhor disco e melhor solista para Hamilton de Holanda. Agora, o trio prepara o lançamento de Jacob 10ZZ, em homenagem a Jacob do Bandolim. Hamilton de Holanda tem 43 anos, dos quais 38 são dedicados à música.

MARIANA AYDAR
O forró é a influência musical mais marcante no som de Mariana Aydar, cantora e compositora paulistana que alia sofisticação e contemporaneidade às suas raízes da música nordestina. Com cinco discos e um documentário lançados e prestes a completar 15 anos de carreira, a artista amplia sua atuação: em 2016, inaugurou a produtora de trilha sonora Brisa, lançou marca de óculos escuros e criou o bloco Forrozin, que há dois anos arrasta multidões no carnaval de rua paulista. Mariana Aydar acaba de lançar o EP Veia Nordestina II, que celebra a tradição das festas juninas no Nordeste. O EP faz parte de um projeto maior, intitulado Veia nordestina, que chegará ao mercado na forma de álbum, em outubro, e inclui um minidocumentário, a ser exibido em quatro episódios com os temas: A Chegada do Forró em São Paulo, Mulheres no Forró, A Nova Dança do Novo Forró e A Relação entre os Antigos e Novos Compositores.

NÃNAN MATOS
Cantora, compositora, pesquisadora de dança afro, instrumentista de Djembê (tipo de tambor originário do Guiné), Nãnan Matos é uma artista de carisma extraordinário, com forte atuação na promoção da cultura negra. Sua música vem construindo pontes entre o Brasil e a África, entre a dança e o canto, o canto e o batuque. A ex-participante do The Voice Brasil pesquisa músicas que vêm de sua raiz africana, trazendo temas atuais para as suas performances. Nãnan tem forte presença de palco e, em apresentações dançantes e atraentes, faz de seus shows uma festa envolvente para qualquer tipo de público. A artista prepara o lançamento do EP Gbé (transportar ou encontrar em iorubá).

SR. GONZALES SERENATA ORQUESTRA
Encabeçada pelo ex-vocalista da banda Móveis Coloniais de Acaju, André Gonzales, a Sr. Gonzales Serenata Orquestra é um projeto que resgata músicas de época de maneira criativa e acessível, provocando a memória dos mais vividos e propondo a novidade do repertório para as pessoas mais novas. O grupo é formado por músicos de primeira linha do cenário musical de Brasília: Esdras Nogueira (sax e flauta), Fernando Jatobá (guitarra e baixo) – ambos, ex-companheiros no grupo Móveis Coloniais de Acaju -, e Gustavo Dreher (produção musical, teclados e sintetizadores). As apresentações seguem a linha do inusitado, usando a linguagem das rádios novelas e os ritmos da dança de salão como a valsa, bolero, salsa, soltinho, samba, forró. Na trilha estão canções que foram imortalizadas por nomes como Carlos Galhardo, Ângela Maria, Francisco Alves, Nelson Gonçalves, Rita Lee, Maria Bethânia, entre outros grandes artistas brasileiros. São músicas pra dançar e cantar junto, como Eu sonhei que tu estavas tão linda, Desculpe o Auê, Besame Mucho, Nunca, Menina Dança, Banho de Lua, Estupido Cupido, Naquela Mesa e Meu sangue ferve por você, apresentadas com muito talento e bom umor.

JOÃO BOSCO QUARTETO
Cantor, compositor e violonista mineiro com quase 50 anos de uma carreira de imenso sucesso, João Bosco é um artista de estilo original e inconfundível. Seu compromisso com a canção popular é marcado pela firmeza de uma obra que atravessa as décadas preocupando-se fundamentalmente com o próprio fazer da canção: melodia, ritmo, harmonia, letra, canto – a grande tradição da canção popular brasileira. Depois de ficar oito anos sem lançar um álbum com músicas inéditas, recentemente o artista chegou ao mercado com o CD Mano Que Zuera, que inclui parcerias com Francisco Bosco (Onde estiver, Fim, Nenhum Futuro e Quatro Rios), com Chico Buarque (Sinhá), a volta da célebre parceria com Aldir Blanc (Duro na queda) e com uma aguardada parceria com Arnaldo Antunes (Ultra leve), dentre outras. No show, além de apresentar as canções dessa nova safra, Bosco passeia por seus grandes e inesquecíveis sucessos de carreira, que fazem parte da trilha sonora do povo brasileiro há mais de 45 anos, acompanhado pelos músicos Guto Wirtti (baixo), Ricardo Silveira (guitarra) e Kiko Freitas (bateria). No repertório, sucessos como O ronco da cuíca, Jade, Incompatibilidade de gênios, O bêbado e a equilibrista e Papel Machê.


SERVIÇO:

Todos os Sons
Data: 24 e 25 de agosto
Hora: 16h às 19h30
Classificação indicativa: Livre
Entrada franca

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário