CENA CONTEMPORÂNEA completa 20 anos apostando na diversidade de linguagens

Passado, presente e futuro em reflexões sobre arte, identidade e tudo aquilo que nos singulariza e distingue. Dramaturgias originais se somam a releituras de clássicos num grande e diverso panorama das artes cênicas contemporâneas. Esta é a promessa do CENA CONTEMPORÂNEA – Festival Internacional de Teatro de Brasília que, em 2019, celebra sua vigésima edição em seus 24 anos de existência. Na programação, espetáculos premiados no Brasil e no exterior ao lado de encenações que fazem sua estreia durante o festival. Para a abertura, apresentação única do celebrado “Antígona”, monólogo de Andréa Beltrão, sob a direção de Amir Haddad, no dia 20 de agosto, no Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil. O 20º CENA CONTEMPORÂNEA é uma realização da Cena Promoções, sob a direção de Guilherme Reis, e conta com o patrocínio exclusivo do Banco do Brasil.

CENA CONTEMPORÂNEA é um dos cinco maiores festivais internacionais de artes cênicas do Brasil e o maior da região central do país. Desde 1995, tem sido responsável por apresentar, na capital brasileira, o que se produz de mais original e inovador no teatro e na dança mundiais. Com a apresentação de espetáculos e atividades paralelas como encontros e oficinas, o festival provoca a circulação de ideias, desperta reflexões, instiga a renovação de linguagens, estimula a produção cênica e gera parcerias internacionais.

Em 2019, ano em que celebra a 20ª edição, o festival contará com 17 espetáculos - dois deles internacionais -, além de duas leituras dramáticas, uma delas dirigida pelo premiado encenador Márcio Abreu e de performance inédita criada durante o evento, com o grupo ATA – Agrupação Teatral Amacaca, sob a orientação do espanhol David Climent (integrante do celebrado grupo loscorderos.sc, de Barcelona). O CENA ainda promoverá oficinas gratuitas, com temas como dramaturgia e desenho de iluminação.

Os espetáculos poderão ser vistos no Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil, no Teatro Galpão, na Sala Multiuso e no Teatro de Bolso Robson Graia do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul, no Teatro SESC Garagem, no Teatro SESC Newton Rossi Ceilândia, Teatro SESC Paulo Gracindo Gama, em um edifício inacabado no Paranoá e no Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília. Os ingressos custam R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia) e clientes Ourocard Banco do Brasil terão desconto de 50% no valor da inteira.

O FESTIVAL
Releituras de mitos gregos se juntam a criações coletivas e narrativas contemporâneas na programação do 20º CENA CONTEMPORÂNEA. São encenações que propõem reflexões sobre amor, morte, identidade, raízes, como “O Desmanche das Musas”, espetáculo que reflete sobre a passagem do tempo, trazendo o trabalho do consagrado grupo La Zaranda, um dos mais estáveis da Espanha. Ou “Antígona”, o monólogo que rendeu a Andréa Beltrão, sob a direção do grande Amir Haddad, o prêmio de melhor atriz pela APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte. Também “A Ira de Narciso”, espetáculo com atuação sublime do premiado ator Gilberto Gawronsky, com direção de Yara de Novaes e texto do uruguaio Sergio Blanco; e “A Invenção do Nordeste”, com toda a criatividade do Grupo Carmim, do Rio Grande do Norte, refletindo sobre a identidade do nordestino. Além do belo “Sonhos na Areia”, da francesa Lorène Bihorel, escolhido como a melhor encenação pelo público do Festival de Avignon Off e “Para não Morrer”, com a atriz Nena Inoue, premiada com o Shell de melhor atriz de 2019, tratando sobre o resgate da memória.

A programação também reserva várias estreias. É o caso de “Furacão Carmen”, com texto do dramaturgo argentino Santiago Serrano especialmente escrito para os atores Murilo Grossi, de Brasília, e António Revez, de Portugal. Também “Prometea – Abutres, Carcaças e Carniças”, a mais nova direção do prestigiado encenador Hugo Rodas, com atualização do mito grego Prometeu como motor de uma reflexão sobre a importância da imaginação para a construção de novos paradigmas. “Festa de Inauguração” é o novo trabalho do celebrado Teatro do Concreto, com direção de Francis Wilker, e parte de um fato real: o achado de frases escritas no passado, pelos construtores do prédio do Congresso Nacional, dentro das paredes, com votos de tempos melhores para o Brasil. E “Sonhares” é título da nova encenação do Teatro do Instante, um dos grupos mais estáveis do Distrito Federal, com direção de Rita Castro.

Na grade de programação estão ainda espetáculos como “Os Saltimbancos”, remontagem do clássico musicado por Chico Buarque, com direção de Hugo Rodas - o texto encenado na década de 1970 por Hugo tornou-se o primeiro grande sucesso de público do teatro de Brasília. Em 2019, o diretor brasileiro-uruguaio volta à história inspirada em conto dos Irmãos Grimm, dirigindo o ATA – Agrupação Teatral Amacaca. “Invenções de Mundos” é um trabalho que parte de indagações sobre leveza, criatividade, contato humano para chegar ao movimento. E ainda “Mosh”, espetáculo que alia dança, teatro, poesia e música para tratar temas como a violência urbana, sob a direção do coreógrafo, bailarino, professor praticante de parkour e acrobata paulistano Diogo Granato.

NOVA DRAMATURGIA FRANCESA E BRASILEIRA - Além dos espetáculos, o CENA receberá, em primeira mão, a leitura dramática do texto “Pulverizados” (Pulvérisés), de Alexandra Badea, com tradução e direção do encenador Márcio Abreu. A leitura - com atores de Brasília selecionados pelo diretor - faz parte do projeto “A Nova Dramaturgia Francesa e Brasileira”, criado em parceria entre o Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil, La Comédie de Saint-Étienne, Instituto Francês e Embaixada da França no Brasil. A iniciativa prevê duas etapas: na primeira, oito textos de autores franceses contemporâneos estão sendo traduzidos por diretores-autores brasileiros, serão publicados pela Editora Cobogó e encenados nos festivais que compõem o Núcleo. Em 2020, os autores brasileiros terão seus trabalhos traduzidos e publicados na França e encenados no Théâtre National de La Colline, em Paris, no Festival Actoral, em Marselha, e na Comédie de Saint-Étienne.

PROGRAMAÇÃO

Terça, 20.08
20h – Antígona – Andréa Beltrão (RJ) - Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil

Quarta, 21.08
18h30 – Leitura dramática - Dulcina Me Disse - Raissa Gregori (DF) - Sala Conchita - FBT
20h – Para não Morrer – com Nena Inoue (PR) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul

Quinta, 22.08
19h - Tropeço - Tato Criação Cênica (PR/DF) - Teatro de Bolso Robson Graia do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – O Desmanche das Musas – La Zaranda (Espanha) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Para não Morrer – com Nena Inoue (PR) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Prometea, Abutres, Carcaças e Carniças – Grupo Desvio e Hugo Rodas (DF) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Newton Rossi - Ceilândia

Sexta, 23.08
19h - Tropeço - Tato Criação Cênica (PR/DF) - Teatro de Bolso Robson Graia do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – O Desmanche das Musas – La Zaranda (Espanha) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Para não Morrer – com Nena Inoue (PR) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Prometea, Abutres, Carcaças e Carniças – Grupo Desvio e Hugo Rodas (DF) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
20h – Sonhares – Teatro do Instante (DF) - Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília
20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Newton Rossi - Ceilândia

Sábado, 24.08
19h - Tropeço - Tato Criação Cênica (PR/DF) - Teatro de Bolso Robson Graia do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – A Invenção do Nordeste – Grupo Carmim (RN) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Newton Rossi - Ceilândia
20h – Mosh – Diogo Granato (DF) – Teatro SESC Garagem (913 sul)
20h – Sonhares – Teatro do Instante (DF) - Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília
20h – Sambada do Boi de Chuva no Terreiro do Mundo – Cia Lua no Meio do Céu (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Os Saltimbancos – ATA Agrupação Cultural Amacaca, direção Hugo Rodas (DF) - Teatro SESC Paulo Gracindo (Gama)

Domingo, 25.08
18h - Tropeço - Tato Criação Cênica (PR/DF) - Teatro de Bolso Robson Graia do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – A Invenção do Nordeste – Grupo Carmim (RN) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Newton Rossi - Ceilândia
20h – Sonhares – Teatro do Instante (DF) - Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília
20h – Mosh – Diogo Granato (DF) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
19h – Sambada do Boi de Chuva no Terreiro do Mundo – Cia Lua no Meio do Céu (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Os Saltimbancos – ATA Agrupação Cultural Amacaca, direção Hugo Rodas (DF) - Teatro SESC Paulo Gracindo (Gama)

Segunda, 26.08
17h e 20h – Invenções de Mundos – Coisazul (DF) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
16h – Os Saltimbancos – ATA Agrupação Cultural Amacaca, direção Hugo Rodas (DF) - Teatro SESC Paulo Gracindo (Gama)
19h – Lançamento do livro e leitura dramática do texto Pulverizados (Pulvérisés), sob direção de Márcio Abreu (PR) - Sala Multiuso do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul

Terça, 27.08
17h e 20h – Invenções de Mundos – Coisazul (DF) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
20h – A Ira de Narciso – Gilberto Gawronsky (RJ) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Festa de Inauguração – Teatro do Concreto (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul

Quarta, 28,08
20h – A Ira de Narciso – Gilberto Gawronsky (RJ) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Festa de Inauguração – Teatro do Concreto (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Mosh – Diogo Granato (DF) – Teatro SESC Newton Rossi Ceilândia

Quinta, 29.08
20h – Festa de Inauguração – Teatro do Concreto (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
20h – Mosh – Diogo Granato (DF) – Teatro SESC Newton Rossi – Ceilândia
16h – Teorema 21 - Grupo XIX de Teatro (SP) - Qd 33 Área especial S/N - Paranoá

Sexta, 30.08
17h e 20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
17h e 20h – Invenções de Mundos – Coisazul (DF) – Teatro SESC Newton Rossi - Ceilândia
20h – Festa de Inauguração – Teatro do Concreto (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Sonhos na Areia – Lorène Bihorel (França) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Sonhares – Teatro do Instante (DF) - Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília
16h – Teorema 21 - Grupo XIX de Teatro (SP) - Qd 33 Área especial S/N - Paranoá

Sábado, 31.08
11h e 16h – Canto do Medo – IV Festival Primeiro Olhar (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
17h e 20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
20h – Sonhos na Areia – Lorène Bihorel (França) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Performance ATA – Agrupação Teatral Amacaca (DF), direção de José Celso Martinez Correa (SP) e David Climent (Espanha) – Sala Multiuso do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
20h – Sonhares – Teatro do Instante (DF) - Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília
20h – Mosh – Diogo Granato (DF) – Teatro SESC Paulo Gracindo - Gama

Domingo, 01.09
11h e 16h – Canto do Medo – IV Festival Primeiro Olhar (DF) – Teatro Galpão do Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul
16h – Os Saltimbancos – ATA – Agrupação Teatral Amacaca, direção Hugo Rodas – Teatro SESC Newton Rossi - Ceilândia
17h e 20h – Furacão Carmen – António Revez e Murilo Grossi (Portugal/Brasil) – Teatro SESC Garagem - 913 sul
20h – Sonhos na Areia – Lorène Bihorel (França) – Teatro do Centro Cultural Banco do Brasil
20h – Sonhares – Teatro do Instante (DF) - Centro de Excelência do Cerrado do Jardim Botânico de Brasília
20h – Mosh – Diogo Granato (DF) – Teatro SESC Paulo Gracindo – Gama

Ficha Técnica:
Direção geral e curadoria: Guilherme Reis
Coordenação de produção: Michele Milani
Coordenação de logística: Clara Nugoli
Coordenação de atividades paralelas: Sérgio Maggio
Coordenação técnica: Moises Vasconcellos
Produção: Chico Sant’anna, Rose Nugoli, Ana Celina
Assessoria de imprensa: Objeto Sim
Design gráfico: Juliano Moraes
Coordenação administrativa: Ana Celina


SERVIÇO:

Cena Comtemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília
Espaços:
· Centro Cultural Banco do Brasil (SCES Trecho 2 – Brasília/DF)
· Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul – Teatro Galpão, Espaço Multiuso e Teatro de Bolso Robson Graia (CRS 508, Bloco A (entrada pela W-3 ou W-2))
· Teatro SESC Garagem (W4 Sul Quadra 713/91)
· Teatro SESC Paulo Gracindo (Setor Leste Industrial QI 1 Lotes 620 a 680, Gama)
· Teatro SESC Newton Rossi (QNN 27 Área Especial Lote B, Ceilândia Norte)
· Jardim Botânico de Brasília - Centro de Excelência do Cerrado (Setor de Mansões Dom Bosco, Área Especial, Lago Sul)
· Paranoá (para apresentação de Teorema 21- Qd 33 Área especial S/N - Paranoá)

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia - Lei e Clientes Ourocard)
Local de Vendas: no site eventim.com.br, na bilheteria do CCBB (de terça a domingo, das 9h às 21h), no Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul e no ponto de venda da Eventim no Brasília Shopping

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário