Divas do Samba homenageia Dona Ivone Lara

O samba pede passagem na Capital Federal! A segunda edição do projeto Divas do Samba, um projeto da Beco da Coruja e Maria Maria Produções, chega rendendo tributo a uma de suas grandes damas. “Dona Ivone Lara, a Rainha do Samba” será interpretada por mulheres de diversas partes do país.

Na sexta (19), Anna Christina (DF), Juliana Ribeiro (BA) e Dhi Ribeiro (DF) revezam-se na área externa do Museu da República. No sábado (20), é a vez de Fabiana Cozza (SP), Karynna Spineli (PE) e Cris Pereira (DF). Em cada noite, as intérpretes serão acompanhadas por uma banda de Brasília.

Com músicas e histórias da vida de Dona Ivone, o projeto quer ressaltar a importância da sambista e compositora para a cultura brasileira. “Ela foi um ícone, numa época onde a mulher não tinha espaço e tão pouco ocupava as rodas de samba do país”, conta Ellen Oliveira, idealizadora do projeto. “Também cantar a força das mulheres, ocupar cada vez mais um espaço que é delas. Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive fazendo samba”, acrescenta.

Além dos shows, o festival investe em ações de acessibilidade. Para o público surdo, um palco com as caixas de sub-graves posicionadas na frente do palco para que possam sentir a vibração da música e uma área reservada com palco suspenso para as pessoas com deficiência visual, idosos e pessoas com mobilidade reduzida. Haverá ainda interpretação em libras e audiodescrição durante os shows.

O Divas do Samba é realizado com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal e do BRB (Banco Regional de Brasília).


19 de julho - Sexta-feira

Anna Christina (DF)
Uma das maiores representantes do Samba brasiliense. A Anna tem uma versatilidade incrível, versa do axé ao pop rock, passa pela bossa-nova, mas tem um domínio incrível quando fala de samba. Com 26 de carreira, já rodou o Brasil e o mundo cantando samba. Em Salvador e no Rio de Janeiro, cantou nas principais casas de samba, sempre com casa cheia e aclamada pela crítica musical. Já dividiu o palco com grandes nomes como Jorge Aragão, Dona Ivone Lara, Monarco, Zé Luiz do Império, Toninho Geraes, Tia Surica e Zeca Pagodinho.

Juliana Ribeiro (BA)
Essa baiana arretada é um dos maiores nomes do samba em Salvador. Quem já ouviu a voz dessa mulher garante que ela é dona de uma dos timbres mais lindos que se tem notícia. Com forte influência dos ritmos africanos, o repertório da Juliana vem com muito Lundu, o Jongo, o Maxixe, os Sembas Angolanos, o Batuque e os Sambas-de-Roda. De quebra, ela ainda é historiadora e mestre em Cultura e Sociedade, com pesquisas que desnudam a história do samba. E claro, todo esse conhecimento ela traz para o palco, com um show que resgata as origens do samba!

Dhi Ribeiro (DF)
Quem já respirou em uma roda de samba em Brasília, conhece o trabalho dessa mulher! Uma das vozes mais marcantes do samba brasiliense não podia ficar de fora do Divas do Samba. Com 31 anos dedicados à música, Dhi Ribeiro é uma das maiores representantes do samba no DF. Com domínio de um repertório que passa por várias vertentes do samba, no seu último DVD focou no tema afro, com inspiração na diáspora negra. Dhi canta o sincretismo religioso, sambas de romance, sambas de roda, tudo tratado com as cores da mulher moderna e empoderada.

Banda de Brasília: Victor Angeleas, Márcio Marinho, Paula Zimbres, Larissa Umaytá e Yara Alvarenga.


20 de julho - Sabádo

Fabiana Cozza (SP)
Gente, vocês não tem noção do que é a VOZ dessa mulher. É de uma potência absurda. Não por acaso essa paulistana é apontada críticos e público como uma das importantes
intérpretes da música brasileira contemporânea. Se você ainda não viu um show da Fabiana, eu garanto que está perdendo uma oportunidade única. Ela é MUITO incrível, só vendo pra crer. A Fabiana já venceu DUAS vezes o Prêmio da Música Brasileira, em 2012 e 2018, respectivamente “Melhor cantora de samba” e “Melhor CD de língua estrangeira”. Além do samba, manda super bem no jazz, e já foi convidada pelas maiores Big Bands europeiras para se apresentar em festivais do gênero na Europa e Ásia.

Karynna Spinelli (PE)
Uma das maiores vozes do samba pernambucano, Karina interpreta grandes mulheres negras do Samba e da Cultura Popular Brasileira. Ela canta a resistência da mulher na história do Samba relembrando as canções de Ivone Lara, Leci Brandão, Alcione, Lia de Itamaracá, Jovelina Pérola Negra, Clementina de Jesus e Tia Ciata. Além da forte percussão que marca o seu trabalho, Karynna traz nas canções a louvação a divindades femininas do candomblé. No repertório ela vai misturar samba, ciranda, batuque e macumba, para celebrar o empoderamento da mulher!

Cris Pereira (DF)
Mais uma das maiores representantes do samba brasiliense! Dona de uma voz suave, Cris Pereira está com as raízes fincadas no samba, mas passeia por outros estilos da Música Popular Brasileira. No repertório, não faltam canções que abordam a questão racial, tema que sempre chamou a atenção da artista. Finalista do Prêmio Sesc de Música Tom Jobim (2009) e do Prêmio da Música Popular Brasileira (2010) na categoria Ivone Lara, Cris também é idealizadora e integrante dos projetos “Nós Negras”.

Banda de Brasília: Rodrigo Dantas, Mariana Sardinha, Gabi Tunes, Eddie Jhorge, Kadu Nascimento, Larissa Umayta, Guto Martins e Vinícius de Oliveira


SERVIÇO:

Divas do Samba
Dias: 19 e 20 de Julho
Horário: a partir de 20H
Local: Museu Nacional da República
Livre para todas as idades
Entrada Gratuita

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário