"Canto do medo" - Espetáculo direcionado para a primeira infância tem o medo como tema

Montagem inédita, Canto do medo é um espetáculo musical na linguagem de teatro de objetos, dedicado a crianças de zero a seis anos, e abordo o tema domedo. A canção de ninar pode ser considerada um dos primeiros objetos culturais a que o ser humano é exposto. O medo da morte (perdas, despedidas, separações), presente nos cuidados maternos, paternos e de outros adultos com as crianças pequenas, especialmente com os recém-nascidos, aparece nas canções de ninar em diferentes culturas, expressando-se em vários elementos.

Nesta criação, a atriz/cantora Clarice Cardell, fundadora da Cia. La Casa Incierta (companhia referência no campo das artes e da primeira infância), junto ao músico e percussionista Lupa Marques, conta com direção da prestigiosa Sandra Vargas, diretora teatral do Grupo Sobrevento, de São Paulo, especialista na linguagem de teatro de objetos.

A montagem busca aproximar o jovem público do universo mágico das artes. Os pais que levarem seus filhos ao teatro, por sua vez, estarão diante de uma reflexão sobre os mistérios das relações humanas e dos fios invisíveis dos nossos medos. Num grande vestido azul, a mãe conversa sobre seus medos e receios. À noite, uma criança entre o sono e a vigília sonha com um lobo, monstros, com o mar... Diferentes medos que atravessam esse mundo do binômio mãe e filho são cantados e contados através de sombras, objetos e canções.

Realizado com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Cultura do Distrito Federal, Canto do medo será apresentado para crianças da Creche Cantinho do Girassol (Ceilândia), em 13 e 14 de março, e também para o público familiar – com entrada franca –, no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul), nos dias 16, 17, 23 e 24 de março, às 11h e às 16h.

La Casa Incierta
Pioneira no campo das artes cênicas para a primeira infância, La Casa Incierta é uma companhia de teatro hispano-brasileira criada em 2000 pelo diretor teatral espanhol Carlos Laredo e pela atriz brasiliense Clarice Cardell. Ao longo dos anos, a companhia produziu um repertório de inúmeras criações e atividades artística, além de conferências e workshops para crianças, adolescentes, pais e professores. Em sua trajetória, La Casa Incierta tem trabalhado e pesquisado uma linguagem poética em busca das capacidades infinitas com que nascem os seres humanos. Seus espetáculos foram apresentados em países como França, Espanha, Itália, Bélgica, Holanda, Martinica, Portugal, Israel, Finlândia e em diversas cidades do Brasil.

Residente em Brasília desde 2013, a companhia desenvolve uma série de projetos inovadores no campo das artes e da primeira infância. Realiza a curadoria e produção do Festival Primeiro Olhar – Arte pela primeira infância, coordena o GT Cultura na Rede Nacional pela Primeira Infância e colaborou na coordenação do 1º Encontro Cultura e Primeira Infância, realizado em 2015 em parceria com o Ministério da Cultura. Em 2017, recebeu em Washington (EUA), o prâmio internacional ALAS BID (Banco Interamericano Mundial), concedido como iniciativa inovadora para a primeira infância.

Clarice Cardell
Fundadora da companhia teatral La Casa Incierta, a atriz brasiliense Clarice Cardell trabalha há mais de 15 anos na pesquisa e criação de teatro para a primeira infância, sendo uma das mais experientes atrizes brasileiras na atuação para crianças de zero a três anos. Criou mais de 12 espetáculos para este público específico e realizou na última década mais de 1.500 apresentações no mundo.

Sandra Vargas
Atriz, diretora, dramaturga e uma das fundadoras do grupo Sobrevento, um dos mais importante do país, e que em 2019 completa 30 anos. Sandra Vargas foi indicada, como melhor atriz e revelação de melhor atriz para os Prêmios Mambembe e Coca-Cola e, em 2000, ganhou o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor atriz. Apresentou-se com o Sobrevento em 23 estados brasileiros e em países de quatro continentes. Além das apresentações de seus espetáculos, desenvolve com o grupo diversas atividades no campo do teatro de bonecos e de animação para adultos e crianças. Atualmente é curadora do Primeiro Festival Internacional de Teatro de Objetos – FITO.

Lupa Marques
Estudou com Marco Vidal, timpanista da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro e participou de diversas oficinas e workshops com músicos nacionais e internacionais, como Vera Figueiredo, Carlos Balla, Márcio Bahia, Billy Cobham, Greg Bissonete, Dom Famularo, entre outros. Desde 1993, dedica-se ao estudo e pesquisa de ritmos populares brasileiros. Foi percussionista do GPCS – Grupo de Percussão Cláudio Santoro, da Orquestra Jovem e da Orquestra Filarmônica de Brasília. Começou a trabalhar fazendo trilha para teatro em 1993, com o grupo Esquadrão da Vida, depois trabalhou com diversos grupos e diretores – dentre eles, destacam-se Tribo Cia de Teatro, Piramundo Cia Teatral, José Regino, Ricardo Guti, André Amaro, Viração da Cia Italiana de Teatro Ladrão. Com experiência internacional, apresentou-se nos Estados Unidos, França, Peru, Uruguai, Ilhas Canárias, Espanha, Bélgica, Holanda e Grécia. Tocou com o grupo Casa de Farinha, com o qual ganhou o prêmio Tim de melhor grupo regional em 2007. Também ganhou os prêmios de melhor Trilha Sonora com o espetáculo Traços, de André Amaro, no 15° Festival de Monólogos de Teresina e no Prêmio Sesc do Teatro Candango. Trabalha com musicalização infantil desde 2006 e, desde 2014, desenvolve projetos de música experimental com o grupo Satanique Samba Trio, com o qual lançou, em 2015, o vinil 10” intitulado Mó bad.

Claudia Leal
Produtora executiva, Claudia Leal é artista de Brasília com longa trajetória no campo das artes e da infância, pois vem colaborando ativamente nos últimos cinco anos com a companhia La Casa Incierta e, há sete anos, com a companhia Burlesca. Desde 1980, trabalha com criação e produção de diversas obras, em atuações nacionais e internacionais realizadas com outras companhias de teatro para a infância.

CANTO DO MEDO
Dias 16, 17, 23 e 24 de março, às 11h e às 16h, no Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul). Entrada Franca. Distribuição de senhas a partir de uma hora antes da sessão. 24 de março, às 11h e às 16h: apresentação para crianças deficientes visuais. Classificação indicativa: zero a seis anos.

13 e 14 de março, às 9h e às 11h: apresentação para crianças da Creche Cantinho do Girassol (Ceilândia).

Ficha artística:
Uma criação de La Casa Incierta
Direção: Sandra Vargas
Dramaturgia: Clarice Cardell e Sandra Vargas
Coordenação de produção: Claudia Leal
Intérprete: Clarice Cardell
Trilha sonora e execução musical: Lupa Marques
Produção musical: Jota Dale
Iluminação: Marcelo Linhos
Figurino: Val Barreto
Desenho gráfico e mídias sociais: Gabriel Guirá
Assistência de iluminação: Herbert Lins
Assessoria de imprensa: Pedro Brandt
Fotografia e vídeo: Juliana Caribé
Consultoria musical: Lucilene Silva

==> Foto: Juliana Caribé

0 comentários:

Postar um comentário