Camboatá na Rua: duo brasiliense leva música poesia e teatro a feiras e praças do DF

Representatividade, empoderamento e acesso à cultura são parte do processo que compõe o projeto “Camboatá na Rua”. Encabeçada pelo Duo Camboatá, a circulação chega a diferentes praças e feiras do Distrito Federal em cinco apresentações gratuitas que acontecerão durante o mês de fevereiro. Formado pelas cantoras Naiara Lira e Maboh, o duo desenvolve suas apresentações no contexto do processo de se entender enquanto mulher, se descobrir negra, e se encontrar na capoeira - mostrando as influências e implicações que esses assuntos exercem na infância, vida adulta e velhice de cada indivíduo. Com duração de cerca de 40 minutos, os shows intercalam momentos de dança, música, poesia e teatro, alternando no público emoções como tristeza, alegria, revolta, euforia e saudade.

Uma realização da Lira Produções, com incentivo do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF), o projeto que louva a mulher, a africanidade e a capoeira começa sua peregrinação no dia 15 de fevereiro, na praça do Acampamento Pacheco Fernandes, na Vila Planalto, sempre com o encerramento do grupo Beribazu ou do grupo Nzinga, representantes de peso da capoeira local. Na abertura, o Duo Camboatá receberá o grupo Beribazu. No domingo, dia 17 de fevereiro, o projeto segue para a Feira Permanente do Núcleo Bandeira, com encerramento do grupo Nzinga. A agenda continua no dia 22, na Vila Telebrasília, com Beribazu, e no dia 23, na Feira Permanente da Candangolândia com o grupo Nzinga. O encerramento será domingo, 24 de fevereiro, na Feira Permanente do Cruzeiro, com o grupo Beribazu. Nos dias 17 e 22, as apresentações do Duo Camboatá vão contar com a participação especial da cantora Zila Siquet.

Sobre o Duo Camboatá
Em 2014 em visita à Sérvia, a diretora musical do projeto, Naiara Lira, foi convidada a cantar em roda de capoeira de um grupo sérvio que visitava. Assim que a cantora iniciou seu canto, os jogadores sentaram e ninguém mais jogou, as pessoas passaram a escutar de olhos fechados a brasileira numa reação inédita para a cantora. Em novembro do mesmo ano, de volta ao Brasil, Naiara foi convidada a cantar na formatura de um mestre do grupo de capoeira a que pertence. Na ocasião, a cantora compôs uma cantiga especial e fez calar o auditório de mais de 300 pessoas que ainda se acomodavam nos assentos. “Cantar a capoeira para capoeiristas é diferente de fazer um show de samba, por exemplo.

Quando eu faço um show, é como se eu convidasse as pessoas para a minha casa e cantasse pra elas. Cantar cantigas para capoeiristas é chegar na casa de cada um e fazer uma serenata na hora que a pessoa abre a porta. Agora, vê, isso não é mágico?”, diz a cantora.

Em 2015, juntamente com as cantoras Débora Valente e Marielhe Borges (Maboh), Naiara criou o grupo “Camboatá”, que estreou em Sydney (Austrália), no evento Brazilian Day, em setembro do mesmo ano. Composto por três cantoras negras, o grupo acrescentou as temáticas mulher e negritude à da capoeira - já extensamente cantada e retratada. Ao regressar, o grupo sofreu alterações com a saída da cantora Débora Valente, e fez algumas apresentações, o que incluiu o Clube do Choro de Brasília, e como não podia ser diferente, uma legião de capoeiristas inundou o espaço que terminou com uma roda enorme de capoeira no estacionamento do espaço.

O grupo “Camboatá” vem com o objetivo de ajudar a sanar esse desejo. A capoeira é caracterizada pela coesão entre seus/suas praticantes, e o grupo já provou ter um público cativo em vários lugares, como a rádio capoeira (www.radiocapoeira.com.br), que já toca cantigas gravadas pelas três.

Para além da capoeira, o grupo traz assuntos como racismo, estupro, relacionamentos abusivos; tudo isso misturados ao bom humor das cantigas de lavadeira. É um espetáculo forte, provocativo e conscientizador.

Sobre as cantoras

Maboh (Marielhe Borges)
Em atividade desde 1997, a cantora Mabô tem uma carreira marcada pela versatilidade. Seja nos gêneros musicais que interpreta, indo do hip-hop ao erudito, nas várias áreas em que atua como: locução, direção musical, backing-vocal, banda de baile, teatro musical, composição e produção musical ou ainda na sua circulação pelo meio artístico, tendo trabalhado com nomes como GOG, Natiruts, Maestro Silvio Barbato e Sérgio Maggio entre muitos outros. Em seus mais recentes trabalhos estão a direção vocal da peça "Eu vou tirar você deste lugar", construída com canções de Odair José, com a ilustre voz de Maria Alcina e premiada nacionalmente (2014), a entrada no trio Camboatá que realizou seu show de estréia no Brazilian Day em Sydney na Austrália (2015) e o convite para integrar o grupo SetBlack, um dos vencedores do concurso "Acapella" do "Domingão do Faustão" (2016).

Naiara Lira
Naiara Lira teve seu primeiro contato com a música aos 5 anos de idade, quando começou a estudar piano erudito. Aos 17, incentivada pelo grupo de teatro amador do qual fazia parte, entrou para o núcleo de Canto Popular da Escola de Música de Brasília. Já dividiu o palco com músicos renomados do cenário brasiliense, e mesmo brasileiro, como Bibi Ferreira, Myrlla Muniz, Maurício Carrilho e Jorge Mautner. Em janeiro de 2012 lançou sua carreira no exterior com o show “Um pouquinho de Brasil” nas cidades de Rotterdam e Schiedam, Holanda, a convite da ex prefeita jovem da cidade a brasileira Andrea Moreira acompanhada pelo “CLAN”, constituído pelos instrumentistas Cairo Vitor, Leandro Barcelos e Andressa Ferreira sob a produção de Raí Marques. Além de tocar em bares e restaurantes o grupo participou do Festival de Cinema de Rotterdam. Em meados de 2012 a cantora alterou seu nome artístico de Naiara Morena para Naiara Lira e iniciou as gravações de seu primeiro álbum chamado “Retalhos”. O CD é composto de 10 faixas autorais onde a cantora e compositora brasiliense canta sua cidade, seus amores e descobertas. Em setembro de 2015 a convite do BRACCA (Brazilian Community Council of Australia) a cantora estreou “Camboatá”, show de sua autoria que apresenta com as cantoras Debora Valente e Mabô. O grupo, de nome homônimo, se apresentou durante o “Brazilian Day” de Sydney, Austrália.

Saiba mais sobre os grupos de capoeira

Nzinga
O grupo Nzinga volta-se à preservação dos valores tradicionais da Capoeira Angola e da cultura de matriz africana a partir de pesquisas, treinos, rodas, publicações, debates, produção artística e ativismo social. Os ensinamentos das mestras e mestres buscam dar continuidade aos ensinamentos da linhagem do seu maior expoente, Mestre Pastinha (Vicente Ferreira Pastinha, 1889-1981). Além das atividades no Distrito Federal, o grupo tem núcleos no Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e em países como Alemanha, Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Japão, México e Moçambique.

Beribazu
Fundado pelo Mestre Zulu em 1972, o grupo Beribazu teve sua primeira sede no Colégio Agrícola de Brasília, localizado na cidade de Planaltina (DF). Fundamentando sua filosofia e suas ações no binômio “arte-luta”, o grupo congrega as características da capoeira como manifestação de origem popular, expressão artística e modalidade de luta. Internacionalmente reconhecido por seu pioneirismo nas pesquisas sobre a capoeira, sua história, seus fundamentos pedagógicos e suas tradições, o Beribazu atua tanto em espaços de educação formal como escolas e universidades e também, na educação não-formal como academias, clubes, condomínios, associações comunitárias e projetos sociais.


SERVIÇO:

Camboatá na Rua
Dia 15 de fevereiro (sexta-feira), às 20h, na Vila Planalto (praça do Acampamento Pacheco Fernandes), com encerramento do grupo Beribazu.

Dia 17 de fevereiro (domingo), às 10h30, na Feira Permanente do Núcleo Bandeirante (praça Padre Roque Projeção 09, 3ª Avenida), com participação especial de Zila Siquet e encerramento com o grupo Nzinga.

Dia 22 de fevereiro (sexta-feira), às 12h, na Vila Telebrasília, com participação especial de Zila Siquet e encerramento com o grupo Beribazu.

Dia 23 de fevereiro (sábado), às 10h30, na Feira Permanente da Candangolândia (QR 1), com encerramento do grupo Nzinga.

Dia 24 de fevereiro (domingo), às 10h30, na Feira Permanente do Cruzeiro (Quadra 811, Cruzeiro Novo), com encerramento do grupo Beribazu.

Entrada gratuita
Classificação indicativa livre
Realização: Lira Produções
Produção: Mariwô Produções
Realizado com incentivo do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC-DF)

Links redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/triocamboata
Instagram: @duocamboata

Vídeos:
https://www.facebook.com/triocamboata/videos/1095802340531280/
https://www.facebook.com/triocamboata/videos/909319012512948/
https://www.facebook.com/triocamboata/videos/873410452770471/

Gravações:
https://soundcloud.com/camboat/chamado-de-angola-camboata
https://soundcloud.com/camboat/camboata

==> Foto: Jacqueline Lisboa

0 comentários:

Postar um comentário