Os novos tons de Litieh

A cantora e compositora lança seu segundo álbum solo, “Komòva”, dia 19 de dezembro, às 21 horas, no Clube do Choro de Brasília.

Litieh tem em sua voz a força de um delicado olhar. Flutuante e densa, seu riso e performance é que entregam o poder de suas mensagens sobre amor próprio e críticas sociais. Artista nascida no interior de Goiás, Brasília é terra ávida de sons de todo o mundo. Influenciada por Elis Regina, Ella, Esperanza, Gil, Djavan e Dominguinhos, Clara Nunes e Cazuza; a tradição de matriz africana é respeitosamente referência em tudo o que vive.

Dividiu o palco com Moraes Moreira e Mestrinho. Komòva é areia, mar, e a inquietude. Com composições de Litieh, o disco toca delicadamente e de forma persuasiva. É amor rápido e lento. Mais sobre o Komòva: O nome, Komòva, surgiu num encontro de águas numa cachoeira. É a união de movimentos, de águas transpositoras, é um momento de enxergar na neblina ou onde for, de abrir o peito, e se entregar a força do encontro e do amor.

Komòva é um grito de guerra recheado de poesia, é a própria poesia. É também a reunião de toda essa música da vida numa só, é o eu (mò), se encontrando, se equilibrando através da verdade que existe na visão e ação da comunhão. É o atravessar das águas e a chegada do equilíbrio através da força de Xangô. Um álbum que vai mexer com você de várias formas. Os estímulos e inspirações são diversas. Musicalmente falando o disco abordou diversas fases musicais da artista, até conseguir envolver e criar um jeito novo de misturar e modernizar a linguagem musical.

Com influências musicais de artistas como Elis Regina, Milton Nascimento, Ivan Lins, Tom Jobim passeando na música popular tradicional brasileira em seus primeiros suspiros de força e modernidade à época, traz também pitadas do rock brasileiro que viveu a artista, como Cazuza, Barão, Marina Lima e Rita Lee. O forró de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Marinês presentou a cantora com mais força e alegria.

A influência da música de matriz africana é nítida no seu cantar, na sua composição, no seu olhar e no seu sentir o universo que é a arte, trazendo um lugar de força, estabelecimento e conexão com a raíz. Os sons da música moderna, do jazz e da música instrumental são fascínio dentro desse pulso que faz Litieh seguir cantando.

Artistas como Esperanza Spalding e Hiatus Kayote tem uma influência gigante na composição deste disco. Bem como artistas da nova música moderna, da luta pelas mulheres, negros e lgbts trazem um sentimento de esperança contagiante e emocionante nas criações e performances (Mariana Aydar, Xênia França, Luedji Luna).

Litieh (voz e violão) será acompanhada pelos músicos Luiz Ungarelli (percussões), Rafael Cruz (baixo e pedais), Renato Galvão (bateria), Zé Krishna (guitarra e pedais), Caetano Bartholo (sanfona e teclados).

A apresentação acontece dia 19 de Dezembro de 2018 – quarta-feira a partir das 21:00 horas. Ingressos: R$ 30,00 (meia) e R$ 15,00 (inteira)

Informações: Tel.: 3224.0599. Ingressos: Clube do Choro de Brasília – SDC BLOCO “G” - Funcionamento da bilheteria: 2ª a 6ª feira: 10:00 às 22:00 horas. Sábado a partir de 19:00 as 21:30 horas, ou através do site: www.clubedochoro.com.br

O Clube do Choro de Brasília fica entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário.
Não recomendado para menores de 14 anos

==> Foto: Anna Luiza Laurito

0 comentários:

Postar um comentário