Fundação Brasil Meu Amor traz para Brasília exposição "O Silêncio que Grita"

A Secretaria de Cultura DF, o Museu Nacional e a Fundação Brasil Meu Amor (FBMA) trazem para Brasília a exposição "O Silêncio que Grita", de 15 de junho a 29 de julho. A mostra foi inspirada no universo de Juscelino Kubitschek e traz imagens que unem os povos e grandes sonhadores, apagando a linha imaginária do tempo.

A exposição estará aberta no Museu Nacional de terça a domingo, das 9h às 18h30, na Galeria do Térreo do Museu Nacional da República. As imagens e frases contarão a história do mundo desde o Iluminismo até a fundação de Brasília, incluindo retratos do universo indígena, dos candangos que construíram a Capital Federal e de Juscelino Kubitschek contracenando com todos.

"De olhos abertos, perdemos o limite do chão. Esta viagem é também um grito de alerta: O Brasil livre, sonhado por JK e tantos outros, precisa de todos nós, novos candangos para cumprir o destino de ser o melhor país de mundo", afirma Jean Obray, presidente da FBMA e autor do livro que leva o mesmo nome da mostra "O Silêncio que Grita", e que será lançado no dia 28 de junho, dentro da exposição.

Espetáculo "JK Um Reencontro com o Brasil" e lançamento do livro
Além da exposição, a Fundação Brasil Meu Amor traz para o berço da inspiração da obra de Juscelino Kubitschek o espetáculo "JK: Um Reencontro com o Brasil". A Capital Federal terá três apresentações do espetáculo: nos dias 28, 29 e 30 de junho, às 20h, no Auditório 1 do Museu Nacional da República.

O espetáculo retrata através de projeções e canções como "Um Índio" (Caetano Veloso), "Lamento Sertanejo" (Gilberto Gil, Dominguinhos) e "Daqui Pra Frente" (Glaucia Nasser, Tiago Vianna, A. Lemos), entre outras obras consagradas da MPB, interpretadas pela cantora e cofundadora da FBMA, Glaucia Nasser, a trajetória, a obra e o amor de JK pelo Brasil.

A entrada para o espetáculo é 1kg de alimento não perecível e a classificação indicativa é livre. O espetáculo tem início às 20h, no Auditório 1 do Museu Nacional da República (Setor Cultural Sul, Lote 02, Brasília). Os ingressos serão distribuídos a partir das 18h, na entrada térrea.

Em conjunto com o espetáculo e a exposição, a Fundação lançará o livro que inspirou e leva o mesmo nome da mostra: "O silêncio que grita", de autoria de Jean Obry. O coquetel que apresentará o livro será realizado no dia 28 de junho, às 18h30. O autor vai autografar sua obra a partir das 16h, também na Galeria do Térreo do Museu Nacional da República. Nos dias 29 e 30 de junho, no mesmo local, também haverá tarde de autógrafos a partir das 16h.

A obra, que tinha como ponto de partida contar a história de um homem, Juscelino Kubitschek de Oliveira, se multiplicou. O autor, que esteve presente no sepultamento de JK, se debruçou por mais de 15 anos em pesquisas e percebeu que a alma de Juscelino se mescla e fica totalmente incorporada à vida de seu país; um homem completamente apaixonado e integralmente dedicado a valorizar o seu povo, suas instituições e a sua história.

Sem intenção de criar um novo mito sobre Juscelino, Jean Obry afirma que, antes, pretende "livrá-lo do mito injusto que lhe foi imposto, e que prejudica essencialmente o nosso Brasil moderno, para restituir enfim o seu valor como um homem que se dispôs a servir seu País e que por isso tem seu lugar verdadeiro e marcante."

Entre os assuntos retratados no livro, o autor refuta uma série de imputações feitas a JK: "Sofreu acusações de ser a quinta maior fortuna do planeta, de ser corrupto, de ter as contas do País mascaradas, de ter falido o Brasil e muitas outras inépcias. As CPIs, as diferentes pesquisas reforçaram o tempo toda a inexistência de qualquer embasamento elementar, mesmo que sutil, em todas essas acusações", escreve Jean Obry em um trecho de "O silêncio que grita".

Jean Obry é humanista, um experimentador da vida, com uma formação bastante eclética e ampla, que lhe permitiu se aprofundar em diversos campos do conhecimento, dentre os quais Psicossomática, Grafologia, Psicanálise e Sociologia. Atualmente, preside a Federação Brasileira de Grafologia Crepièux-Jamin e é o Presidente da Fundação BRASIL MEU AMOR, da qual foi idealizador e criador.

Ficha Técnica:
Espetáculo: "JK Um Reencontro com o Brasil"
Iniciativa e Direção Geral: Fundação Brasil Meu Amor - FBMA
Cantora, Intérprete e Compositora: Glaucia Nasser
Direção Musical e Arranjos: Paulinho Dáfilin
Banda: Fernando Nunes (baixo), Pedro Cunha (teclados e acordeon), Chrys Galante e Leandrinho Vieira (percussão), Thiago Gomes (bateria), Guiza Ribeiro (guitarra e violões), Jonas Moncaio (violoncelo) e Paulo Dáfilin (violões).
Direção Artística e Técnica, Cenografia e Figurino: Julio Cesarini
Vídeo Cenógrafos: Carlos Pedreanez, Lucca Del Carlo e Rodrigo Gava
Iluminação: Marcela Katzin e Renan Bock
VJ: Rodrigo Gava
Operação de Luz: Marcela Katzin
Operação de Som (Monitor): Waltão Silva
Operação de Som (PA): Fernando Leite
Roadie: Renan Andrade
Cenotécnicos: Wanderley Silva e Fernando Zimolo
Assistente de Produção: Matheus Rezante
Produção: Amanda Leones – Versa Cultural
Assessoria de Imprensa: eComunica


SERVIÇO:

Exposição "O Silêncio que Grita"
Data: de 15 de junho a 29 de julho de 2018
Horário: 09:00 às 18:00
Local: Galeria Térrea do Museu Nacional da República (Setor Cultural Sul, Lote 02, Brasília)
Ingresso: Entrada franca (1 quilo de alimento não perecível)
Classificação indicativa: Livre


Lançamento do Livro "O Silêncio que grita", de Jean Obry
Data: 28, 29 e 30 de junho
Horário: às 16h, com coquetel de lançamento dia 28, às 18h30
Local: Galeria Térrea do Museu Nacional da República (Setor Cultural Sul, Lote 02, Brasília)
Ingresso: Entrada franca (1 quilo de alimento não perecível)
Classificação indicativa: Livre


Espetáculo "JK, Um Reencontro com o Brasil"
Data: 28, 29 e 30 de junho
Horário:20h | Duração: 1h20 min
Local: Auditório 1 do Museu Nacional da República (Setor Cultural Sul, Lote 02, Brasília)
Ingresso: Entrada franca (1 quilo de alimento não perecível). Distribuição de ingressos a partir das 18h, na entrada térrea do museu.
Classificação indicativa: Livre

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário