Diálogos Contemporâneos traz Ignácio de Loyola Brandão para debate no Museu

O projeto Diálogos Contemporâneos prossegue com sua temporada de palestras gratuitas com grandes personalidades, filósofos e intelectuais brasileiros, no dia 29 de maio (terça-feira), no Museu Nacional, às 19h. O convidado da vez é o escritor Ignácio de Loyola Brandão. Ele apresentará o tema “A cultura do descarte, a sociedade de consumo e a tragédia do meio ambiente”. A entrada é franca.

Um dos maiores dilemas da sociedade contemporânea está na grave crise ambiental que o mundo já está vivendo. Já não se sabe o que fazer com a quantidade e os tipos de lixos produzidos, lixo que está sendo devolvido pela natureza aos mesmos que o produzem, comprometendo a vida humana especialmente nas cidades. Começa a faltar água, mineral que poderá ser em breve a mais cara das comódites. Diante disso, grandes conglomerados privados buscam meios de se apossar das principais reservas. Os hábitos da sociedade, onde o estímulo ao consumismo desenfreado determina que tudo é descartável, apresenta desafios jamais vistos para a vida humana no planeta.

O escritor Ignácio de Loyola Brandão (Araraquara, 31 de julho de 1936) é atualmente cronista do jornal O Estado de São Paulo. Possui vasta produção, parte dela traduzida para diversas línguas.Entre seus livros mais famosos estão "Não Verás País Nenhum", "O Verde Violentou o Muro", "Zero" e "Manifesto Verde". É ganhador do Prêmio Jabuti 2008 pelo livro “O Menino que Vendia Palavras”.

DIÁLOGOS CONTEMPORÂNEOS
O que esperar do Brasil do futuro? Quais os obstáculos para se criar um país mais inclusivo, que respeite as diferenças e onde todos tenham acesso à educação de qualidade? Como lidar com a solidão nas grandes cidades e frear o avanço da depressão na população brasileira?

Por meio de uma série de dez conferências, os Diálogos Contemporâneos bus cam debater essas e outras questões que envolvem a complexidade, os problemas e a diversidade do Brasil atual. O evento será realizado Museu Nacional de Brasília, até 12 de junho. Algumas das palestras serão realizadas, também, na Universidade de Brasília (UnB). A entrada é franca e sujeita a lotação.

A proposta do projeto Diálogos Contemporâneo s é despertar o pensamento crítico sobre o país e levar o público a refletir sobre o país dentro de seu contexto histórico, social, político e cultural. Para isso, foram convidados intelectuais, artistas e especialistas em diversas áreas para palestras com uma hora de duração, seguidas de debates com o público presente. "A cultura é o reflexo daquilo que nossa sociedade construiu, desde a violência que assola o país, até as nossas criações artísticas e cientificas. Os tempos de crise exigem diálogos para planilhar novos caminhos”, afirma Nilson Rodrigues, idealizador e diretor geral da iniciativa.

O QUE VEM POR AÍ:
As dificuldades de ascensão social serão discutidas na palestra “Mobilidade social e empreendedorismo - o estado, o mercado e as possibilidades de superação das desigualdades e de ascensão social na sociedade brasileira”, proferida pelo jornalista Luís Nassif no dia 5 de junho.

Diálogos Contemporâneos encerr a suas atividades no dia 12 de junho lançando luzes sobre duas das condições humanas mais preocupantes do século XXI: a depressão e a solidão com a palestra “O Espaço do Amor e da Afetividade nas Grandes Cidades” pela antropóloga Mirian Goldemberger.

Após a realização, as palestras ficarão disponíveis no site para ampliar o alcance da diversidade de pensamentos proposta pelo programa e democratizar o acesso da população em geral a debates sobre temas que afetam diretamente a vida individualmente e, principalmente, em sociedade. Diálogos Contemporâ neos acontece simultaneamente em Campo Grande (MS), onde serão promovidas oito conferências.


SERVIÇO:

Diálogos Contemporâneos com Ignácio de Loyola Brandão
Dia 29 de maio (terça-feira)
Às 19:00 horas
No Museu Nacional da República
Entrada Franca
Programação completa e mais informações: www.dialogoscontemporaneos.com

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário