RECO DO BANDOLIM e GRUPO CHORO LIVRE NO CLUBE DO CHORO DE BRASÍLIA

Antes da turnê na Europa, neste mês de março, onde participarão do 14º Festival do Choro em Paris (França), no Museu do Fado, em Lisboa (Portugal), e no Festival de Roterdã (Holanda), Reco do Bandolim & Grupo Choro Livre apresentam no Clube do Choro um repertório de clássicos da MPB que exaltam o Brasil e o povo brasileiro. São músicas que integram o "set list" dos shows internacionais da banda.
         
Henrique Lima Santos Filho, o Reco do Bandolim, é baiano de Salvador. Chegou a Brasília ainda adolescente e participou de bandas de rock, nos primórdios do movimento musical que projetaria a cidade na década de 80. Mas a descoberta do bandolim e os discos do mestre Jacob Bittencourt despertaram uma paixão definitiva pelo Choro, e a guitarra foi definitivamente colocada de lado.
         
Participou do grupo de fundadores do Clube do Choro de Brasília, em 1978, e forjou seu estilo em rodas musicais ao lado dos mestres Waldyr Azevedo, Avena de Castro, Alencar 7 cordas, Armandinho Macedo e Pernambuco do Pandeiro. Presidente do Clube do Choro de Brasília e fundador da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, Reco do Bandolim é ainda jornalista profissional e radialista.
         
Dono de um estilo refinado, de interpretações elaboradas, onde a emoção e a sensibilidade convivem com o requinte e o virtuosismo, Reco se declara eterno discípulo de Jacob do Bandolim e Armandinho Macedo. Tem quatro discos gravados, dois pelo setor de pesquisas do Banco do Brasil e dois independentes, entre os quais se destaca o "Reco do Bandolim& Choro Livre", com mais de cinco mil cópias vendidas. Aliás, a versão de "Retratos – Pixinguinha", do mestre Radamés Gnatalli, constante desse CD, foi escolhida para figurar num disco que reúne as dez maiores interpretações de bandolinistas brasileiros.
         
Filho dileto do Clube do Choro de Brasília, o regional Choro Livre tem no seu batismo a tradução de como vê e toca o gênero: criativo e aberto a novas influências. Fiel à raiz, mas sem medo de dogmas, o conjunto "sacode a poeira e dá a volta por cima", fazendo uma leitura contemporânea dos clássicos do Choro e complementando o repertório com novos autores e composições próprias.
         
O Choro Livre já atuou ou dividiu o palco com monstros sagrados da MPB, de Nelson Cavaquinho a Clementina de Jesus, de Moraes Moreira a Armandinho, de Abel Ferreira a Paulo Sérgio Santos, de Raul de Barros a Dona Ivone de Lara, de Waldir Azevedo a Paulinho da Viola, de Hermeto Paschoal a Sivuca.
         
Grupo de base de todos os projetos apresentados pelo Clube do Choro de Brasília nas últimas dez temporadas, o Choro Livre acompanhou apresentações inesquecíveis de Altamiro Carrilho, Oswaldinho do Acordeon, Dominguinhos, João Donato, Época de Ouro, Cristóvão Bastos, Guinga, Wagner Tiso, Paulo Moura e outros bambas da nossa música popular.
         
Reco do Bandolim & Choro Livre já excursionaram pela Europa, Ásia, África, América do Sul, Caribe e América do Norte. Participaram de festivais de música e fizeram shows nos Estados Unidos, China, Canadá, Áustria, Espanha, Itália, Portugal, França, Alemanha, República Tcheca, Tunísia, Emirados Árabes, Argentina, Peru, Uruguai, Chile, Suriname e Cuba.
         
O grupo é formado por Reco do Bandolim (bandolim), Fernando César (violão 7 cordas), George Costa (violão 6 cordas), Marcio Marinho (cavaquinho) e Valério Xavier (pandeiro).

As apresentações acontecem nos dias 15 e 16 de Março de 2018 – quinta e sexta-feira a partir das 21:00 horas. Ingressos: R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00 (inteira)

Informações: Tel.: 3224.0599. Ingressos: Clube do Choro de Brasília – SDC BLOCO “G” - Funcionamento da bilheteria: 18:00 horas as 21:30 horas, ou através do site: www.clubedochoro.com.br                                      

O Clube do Choro de Brasília fica entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário.
Não recomendado para menores de 14 anos

==> Foto: Mauro Araújo

0 comentários:

Postar um comentário