Bullying: prevenção desde cedo na escola

Um dos fatos mais chocantes envolvendo o bullying ocorreu recentemente em um colégio de Ensino Fundamental em Goiânia (GO). Um adolescente de 14 anos abriu fogo contra colegas de sala de aula, matando dois e deixando quatro feridos. Ele alegou que realizou o ataque porque era vítima de agressões intencionais dos outros alunos. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão ou brigão. Esta é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais estudantes contra um ou mais colegas.

A tragédia reacendeu a discussão sobre como e quando abordar o tema na escola. A instituição de Educação Infantil Ceav Jr. decidiu abordar desde cedo o polêmico tema, para que os alunos já compreendam valores como respeito, caráter, diferenças, aceitação e tolerância uns com os outros. Um dos métodos de abordagem é a contação de histórias.

“Temos que ter em mente que a criança aprende a todo o momento, e esse aprendizado acaba sendo muito mais proveitoso se ela ver e interagir com o que está sendo abordado. Percebemos que o trabalho de aprimoramento da relação entre as pessoas tem efeito potencializado quando tratado por meio da dramatização”, explica a professora Verônica Silva.

 “Falar sobre respeito, sobre convivência, sobre o espaço que cada ser humano tem no mundo deve começar cedo nas escolas. Desta forma, cada vez mais o aluno convive com esses temas, tão importantes na formação da cidadania”, afirma a diretora pedagógica do Ceav Jr., Silvana Emília.

Por mais simples ou básica que a contação de história possa parecer, a mensagem é passada, e de uma forma que a criança consegue compreender.

“Não adianta somente falar com a criança de uma forma distanciada do mundinho dela. A ideia, portanto, é que o aluno possa vivenciar e levar para o dia a dia dela os conceitos de respeito, de solidariedade, de boa convivência com as outras pessoas”, explica Verônica, que aposta nas histórias mais interativas para a assimilação dos alunos.

==> Foto: Ceav Jr.

0 comentários:

Postar um comentário