Nova temporada de Clarice Lispector em Movimentos, em setembro

Após lotar as salas da Caixa Cultural e do Teatro Sesc Garagem entre março e abril deste ano, o grupo Azzo Dança retorna para curta temporada do espetáculo de dança Clarice Lispector em Movimentos, desta vez no Teatro Plínio Marcos do Complexo Cultural Funarte. Os brasilienses que não conseguiram assistir à montagem e os que já viram e querem rever podem comprar desde já os ingressos antecipados para as apresentações dos dias 22, 23 e 24 de setembro na loja Bilheteria Digital do Conjunto Nacional ou nosite www.bilheteriadigital.com.

O universo feminino, a traição e outros temas psicológicos da autora Clarice Lispector (1920-1977) ganharam vida e novas cores nos tablados com a adaptação de Jana Marques, diretora carioca radicada em Brasília. Com movimentos fortes e cenários impactantes, ela resignificou, através da dança, uma seleção de obras da escritora. Uma mulher que, em pleno século 20, revolucionou a literatura e as artes, em geral, ao falar de temas delicados para época, mas essenciais e mais atuais do que nunca.

À frente dos 16 bailarinos de sua companhia, Jana mostra um bailado particular de Lispector. Ela resgata, pela dança, textos fortes ainda pouco conhecidos daquela que virou uma das maiores referências da literatura brasileira. “Eu quis sair do comum. Quando comecei a pesquisar a escritora, vi que existem muitos contos seus ainda pouco conhecidos. Foram estes contos que quis trazer para a dança, para os palcos”, relata a coreógrafa e diretora Jana Marques.

Letras ganham movimentos
Em dois atos, o público poderá imergir e viajar nas crônicas recitadas, no cenário, nos bailados, na poesia e nos trechos da emblemática entrevista que Clarice Lispector concedeu em 1977 e que só foi divulgada após sua morte, 10 meses depois da gravação.

A diretora optou por trazer no primeiro atoo feminino, as relações familiares nas décadas de 40 e 50 e a submissão da mulher perante a sociedade. Os temas serão encenados e mostrados em ações que valem-se, por exemplo, de objetos como uma mesa, pratos giratórios em analogia ao tempo e outros acessórios que enaltecem os costumes da época. Na pele de Lispector, a atriz e bailarina Juana Miranda vai, além de dançar, recitar Clarice.

Já no segundo ato, o foco serão três contos ainda pouco conhecidos da escritora. Um deles é Onde Estivestes de Noite, do livro homônimo, que fala do ser andrógino, do ritual da noite e dos prazeres da carne. Neste momento, uma dança andrógina tomará conta do palco. Já na sequência, a obra A Via Crucis do Corpo vai tomar forma através de interpretações de contos que englobam O Homem que Apareceu, Ele Me Bebeu e O Corpo. De uma maneira densa, crítica e crua, o corpo em ação falará do bígamo e de sua aceitação seguida de punição pelas próprias mulheres. Ainda, o espelho, considerado por Lispector um reflexo da beleza natura das mulheres, terá um papel importante nos tablados. “Clarice gostava muito de trabalhar o espelho, neste sentido de se perceber, se ver, da aceitação como somos. Já no Ele Me Bebeu falamos da trapaça, do ato de passar a perna”, explica Jana Marques.

Jana Marques e a cia AzzoDança
Carioca radicada em Brasília desde os 11 anos, Jana Marques iniciou sua carreira na década de 1980, na capital federal. Foi bailarina profissional dos grupos Bossa e Atos Cia. de Dança.Em 1990, criou o grupo de dança contemporânea Azzo Dança, o qual dirige e coreografa há mais de 25 anos. Participou dos Festivais de Dança de Uberlândia (MG), Joinville (SC), Rio de Janeiro (RJ), Campo Grande (MS) e Bento Gonçalves (RS) obtendo, em todos, premiações.

Ministrou vários cursos de Dança Contemporânea em Brasília. Participou, como jurada, em eventos como Taguatinga Dança, Desfiles das Escolas de Samba de Brasília e audições de grupos de dança.Coreografou ainda espetáculos como Terra Vermelha - Tributo a Jorge Amado, para o Grupo Dançarte. Agora, ela estreia o inédito espetáculo Clarice Lispector em Movimentos

Sobre Clarice Lispector
Clarice Lispector (Chechelnyk, 10 de dezembro de 1920 — Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977) foi uma escritora e jornalista nascida na Ucrânia e naturalizada brasileira — e declarava, quanto a sua brasilidade, ser pernambucana. Autora de romances, contos e ensaios, é considerada uma das escritoras brasileiras mais importantes do século 20 e a maior escritora judia desde Franz Kafka. Sua obra está repleta de cenas cotidianas simples e tramas psicológicas, sendo considerada uma de suas principais características a epifania de personagens comuns em momentos do cotidiano. Ela foi batizada de Haia, significado de vida. Dentre suas obras, os romances: Perto do Coração Selvagem (1943) , O Lustre (1946), A Cidade Sitiada (1949), A Maçã no Escuro (1961), A Paixão Segundo G. H. (1964), Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres (1969), Água Viva (1973), Um Sopro de Vida (1978); Novela: A Hora da Estrela (1977). Contos; Laços de Família (1960), A Legião Estrangeira (1964), Felicidade Clandestina (1971), Onde Estivestes de Noite? (1974), A Via Crucis do Corpo (1974), O Ovo e a Galinha (1977), A Bela e a Fera (1979); Literatura infantil: O Mistério do Coelho Pensante (1967), A Mulher que Matou os Peixes (1968), A Vida Íntima de Laura (1974), Quase de Verdade (1978), Como Nasceram as Estrelas (1987); Crônicas: Para Não Esquecer (1978), A Descoberta do Mundo (1984); Correspondências: Correspondências (2002), Minhas Queridas (2007);Entrevistas: Entrevistas (2007); Artigos de Jornais: Outros Escritos (2005), Correio Feminino (2006), Só Para Mulheres (2006). Clarice faleceu um dia antes de completar 57 anos, no dia 9 de dezembro de 1977, devido a um câncer de ovário.

Ficha Técnica:
Diretora e coreógrafa: Jana Marques
Produção: CHANG Produções
Fotografia: Humberto Araújo
Figurinista: Felipe Vasques
Cenógrafa: Jana Marques
Elenco: Carlos Guerreiro, Catherine Zilá, Fernanda Vasques, Gisela Zaccari, Juana Miranda, Júlia Cintra, Kelly Yamamoto, Luíza Caldas, Marcos Vinicius Magalhães, Marcus Reis, Maurício Peixoto, Pamela Germano, Paola Luduvice, Paulo de Lucca, Pedro Martins, Wally Fernandes.


SERVIÇO:

Espetáculo: Clarice Lispector em Movimentos
Dias: 22 e 23 de setembro (sexta e sábado), às 20h, e 24 (domingo), às 19h.
Local: Teatro Plínio Marcos do Complexo Cultural Funarte (Eixo Monumental - Setor de Divulgação Cultural, Lt 2 - (Entre a Torre de TV e o Clube do Choro)

Ingressos: R$ 20 (meia-entrada) – venda antecipada no site Bilheteria Digital (https://www.bilheteriadigital .com/) ou na loja Bilheteria Digital do Conjunto Nacional.

Informações: (61) 98428-9999.
Não recomendado para menores de 14 anos.

==> Foto: Humberto Araújo

0 comentários:

Postar um comentário