Cachorro Enterrado Vivo, solo de Leonardo Fernandes, chega ao CCBB Brasília

Qual a diferença entre instinto e razão? A subjetividade não é uma especificidade dos homens - há crueldade e delicadeza em várias espécies. A memória não é uma especificidade humana – a noção de perda existe em várias espécies. Um cão e um homem que dividem uma vida dividem a mesma dor. Essas são as provocações que trouxeram à tona o texto Cachorro Enterrado Vivo, da dramaturga Daniela Pereira de Carvalho, concebido para ser o primeiro trabalho solo do ator Leonardo Fernandes.

Depois de temporada de sucesso em Belo Horizone e São Paulo, onde rendeu a Leonardo Fernandes o Prêmio APCA 2016 de Melhor Ator em São Paulo, o espetáculo estreia dia 12 de julho às 20h no CCBB Brasília – Teatro I.

Com direção de Marcelo do Vale, o texto mostra três monólogos em que diferentes personagens fazem parte da mesma situação: na tarde de uma quinta-feira qualquer, o vigia de um terreno recebe de um passante a proposta para cavar a cova e enterrar seu cachorro. Preço negociado, o homem sai para buscar o animal e retorna trazendo a seu lado um cão vivo. 

A estrutura do texto propõe a sobreposição e o embate entre três diferentes posicionamentos éticos diante de um evento cotidiano, penteando a contrapelo as convenções sociais. O que é animalesco? O que é humano?

Daniela Pereira de Carvalho
Dramaturga, formada em Teoria do Teatro pela UNIRIO e atriz pela CAL (Casa de Arte das Laranjeiras). Escreveu textos que lhe renderam diversos e importantes prêmios e reconhecimento da crítica como uma das mais importantes expoentes da nova dramaturgia brasileira. Indicada três vezes ao Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro e Premiada com o Prêmio Eletrobrás – APTR de Melhor Autora em 2006.

Marcelo do Valle
Diretor e ator formado pelo Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado – CEFAR. Traz em seu currículo diversas montagens, prêmios e indicações em sua trajetória. Foi diretor dos clássicos do teatro como “Esperando Godot” e “Dois perdidos numa noite suja”. Em Minas Gerais foi indicado em 2009 e 2013 ao Prêmio de Melhor Diretor.

Leonardo Fernandes
Ator formado pelo Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado – CEFAR. Considerado um dos grandes atores de sua geração, sendo reconhecido nacionalmente. Recentemente ganhou o Prêmio APCA de Melhor Ator 2016, em São Paulo. Leo Fernandes leva em sua trajetória grandes montagens, prêmios e indicações, como por exemplo: Horácio, com Direção de Carlos Gradim; Esperando Godot com Direção de Marcelo do Vale; Nossa Cidade e Flicts com direção de Wilson Oliveira. Três Prêmios de Melhor Ator em Minas Gerais e três indicações a categoria de Melhor Ator.


Ficha Técnica
Texto: Daniela Pereira de Carvalho
Direção: Marcelo do Vale
Atuação: Leonardo Fernandes
Preparação corporal: Eliatrice Gischewski
Trilha sonora original: Márcio Monteiro
Criação de luz: Wladimir Medeiros
Cenário e figurino: Cícero Miranda
Técnico de luz: Daniel Hazan
Operação de som: Airon Gischewski
Projeto Gráfico: Lu Gondim
Fotografia: Guto Muniz e Suzana Latini
Cenotécnico: Ronaldo de Deus
Produção local: CHANG Produções
Assessoria de Imprensa: Juana Miranda
Coordenação do projeto: Tríplice Cultural
Realização e produção executiva: Leonardo Fernandes


SERVIÇO
Local: Teatro I do Centro Cultural Banco do Brasil Brasília
Data: De 12 a 30 de julho (exceto dias 14, 22 e 29)
Horários: 20h
Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)
Classificação Indicativa: 14 anos
Informações: (61) 3108.7600
Duração: 60 minutos
Capacidade: 327 lugares

==> Foto: Suzana Latini

0 comentários:

Postar um comentário