Dez vezes Brasil! Seleção feminina de handebol vence a Argentina e leva seu 10º troféu no Pan

É ouro! Vinte anos após o primeiro título, o Brasil conquistou, neste domingo (25), seu décimo troféu do Campeonato Pan-Americano Feminino Adulto de Handebol. E o gosto foi especial. A seleção derrotou a Argentina por 38 a 20 (18 a 8 no primeiro tempo) na casa das adversárias, em Buenos Aires, no ginásio Sociedad Alemana de Gimnasia de Villa Ballester.

A medalha, alcançada com seis vitórias em seis jogos (EUA, Colômbia, Paraguai e Porto Rico na fase de grupos e Uruguai na semifinal, além da Argentina), vem para consolidar esse momento de renovação da equipe brasileira. O time que competiu no Pan conta com atletas campeãs mundiais em 2013 e jovens talentos, que prometem continuar dando muitas alegrias para seu País. O treinador Sérgio Graciano comemorou a conquista.

“Muito feliz. Quem acompanha o handebol feminino, já pôde notar alguma mudança. São meninas muito experientes, que vieram querendo ganhar esse título. Mas elas compraram a ideia de uma filosofia nova, diferente... nem melhor, nem pior..só diferente. Jogaram bem soltas e determinadas. Defensivamente, foram monstras. Ninguém entrou na linha de 9 metros sem ter contato. Absorveram muito rápido o que a comissão técnica pediu."

Capitã, a goleira Babi elogiou as companheiras. "Algumas pessoas duvidaram de como seria esse grupo. Estou muito feliz. Todas tiveram seu tempo em quadra, mostramos que temos muito potencial para chegar longe. O trabalho foi como tinha que ser e o título é muito merecido."

O jogo
As brasileiras não deram chances às rivais desde os segundos iniciais. O primeiro ataque argentino parou na defesa do Brasil. Babi saiu com a bola em velocidade, lançando direto para a ponta Samira abrir o placar. Com dificuldade para atacar, as donas da casa não conseguiam usar as pontas, forçavam pelo meio e erravam arremessos em sequência.

Do outro lado, o Brasil roubava as bolas e saia em contra-ataques rápidos. Ana Paula, muito bem no jogo, encontrava espacços onde não tinha e ultrapassava a forte marcação. Deonise fez o primeiro gol do segundo tempo e Jéssica substituiu Babi no gol, mantendo o ótimo desempenho da companheira, com uma defesa atrás da outra.

Quatro jogadoras do Brasil foram escolhidas para a seleção do torneio: Babi, Duda, Jéssica Quintino e Samira, que também ganhou o troféu de melhor jogadora. E Babi protagonizou um momento emocionante: cedeu seu prêmio de melhor goleira à companheira de traves Jéssica. "Para mim, foi uma competição difícil, fisicamente. E ela, quando precisou, defendeu muito. Dei meu lugar na premiação porque não acho que a melhor fui eu."

Gols do Brasil: Samira Rocha (6); Tamires Araújo (2); Ana Paula (6); Jéssica Quintino (3); Tamires Costa (1); Duda (artilheira do jogo, com 7); Amanda Caetano (2); Mayra Fier (1); Dayane Pires (2); Deonise (5); Mariana Costa (2); Patrícia Silva (1).

20 anos atrás...
Esse caminho de ouro no torneio continental começou a ser trilhado em 1997. Naquele ano, depois de três bronzes, o Brasil conquistou seu primeiro título no Campeonato Pan-Americano Feminino Adulto de Handebol, na edição disputada em casa, em Poços de Calda (Minas Gerais).

Zezé Sales, uma das maiores jogadoras de handebol do Brasil na história, estava na equipe que levantou o troféu há 20 anos. Hoje, é integrante do Comitê Esportivo de Apoio ao Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), representando a categoria dos ex-atletas. Ainda vive do handebol e, agora, se emociona com mais esta conquista de seu País.

“Fico muito feliz vendo, hoje, o quanto o handebol brasileiro cresceu. Plantar é muito importante, mas regar e fazer o melhor para colher é ainda mais. É uma emoção maravilhosa relembrar momentos marcantes e comemorar o título de hoje. Ainda vivo do handebol e sinto todos como se fossem meus", comemorou a ex-armadora.

O Brasil tem domínio absoluto na história do Pan-Americano, que teve sua primeira edição disputada em 1986. Além dos dez títulos, tem, também, uma medalha de prata e três de bronze, enquanto a Argentina conquistou apenas um ouro no torneio continental até hoje e soma, agora, seis pratas pratas e dois bronzes.

Seleção Brasileira Feminina de Handebol
Goleiras - Bárbara Arenhart (Vaci NKSE-Hungria), Jéssica Silva de Oliveira (São Bernardo-SP)

Armadoras - Amanda de Souza Caetano (Abluhand/FURB-SC), Bruna de Paula (Fleury Loiret Handball-França), Deonise Fachinello (HC Odense-Dinamarca), Eduarda Amorim (Gyor Audi ETO-Hungria) e Patrícia Batista da Silva (Kastamonu Genclik SK-Turquia).

Centrais - Ana Paula Rodrigues Belo (Rostov-Rússia), Danielle Cristina Joia (EC Pinheiros-SP) e Mayara Fier de Moura (EC Pinheiros-SP).

Pontas - Dayane Pires da Rocha (São Bernardo-SP), Jéssica Quintino (HC Odense-Dinamarca), Mariana Costa (Nykobing HandboldKub-Dinamarca) e Samira Rocha (Kisvarda Master Good SE-Macedônia).

Pivôs - Tamires Anselmo Costa (EC Pinheiros-SP) e Tamires Morena de Araújo (CDB Cercle Dijon Bourgogne-França).

Comissão técnica
Técnico: Sérgio Luiz Graciano
Assistente técnico: Daniel Suarez (Cubano)
Assistente técnico : Cristiano Rocha
Médica: Pauline Bittencourt
Fisioterapeuta: Marina Calister
Nutricionista: Júlia do Valle Bargieri
Massoterapeuta: Aparecida Rocha
Supervisor: Álvaro Herdeiro

==> Foto: Cinara Piccolo / Photo&Grafia

0 comentários:

Postar um comentário