Confira a Programação Completa do Cine Brasília de 22 à 28 de junho

Estreia exclusiva do Cine Brasília O Festival de Filmes LGBTI traz, nesta semana, 8 longas-metragens, sempre acompanhados de um curta-metragem, abordando os mais variados aspectos da questão LGBT. O Festival se inicia da quinta-feira com o aclamado filme A Garota Dinamarquesa.

Outras estreias de destaque em sessões especiais com debate são Mulher do Pai, coprodução Brasil Uruguai que marca a auspiciosa estreia na direção da brasileira Cristiane Oliveira. O filme de Cristiane venceu vários prêmios no Festival do Rio em 2016, entre eles o de direção, fotografia e atriz coadjuvante para Veronica Perrotta.

O outro filme em sessão especial é Divinas Divas. A exibição do dia 28 contará com a presença da atriz e realizadora Leandra Leal, quando narrará sua experiência na realização do filme que conta a trajetória de 8 travestis e a relação deles com o Teatro Rival do Rio de Janeiro.

Permanecem em cartaz o aclamado A Mulher Que se Foi, de Lav Diaz, vencedor do Leão de Ouro do Festival de Veneza em 2016, e Um Homem Chamado Ove, curiosa comédia que representou a Suécia no Oscar de Melhor Filme Estrangeiro deste ano.

P R O G R A M A Ç Ã O

Quinta, dia 22
14h - A Mulher Que se Foi (Ang Babaeng Humayo, Filipinas, 2017, drama,, 228 minutos, classificação 12 anos), direção: Laz Diaz.
Sinopse: Horacia passou 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, leva vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem leitura e escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca da família. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, ela descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança.
Trailer: http://www.zetafilmes.com.br/2015/filme.php?id=44

18h30 - Festival Internacional de Cinema LGBTI - A Garota Dinamarquesa (The Danish Girl, Dinamarca, 2015, drama, 120 min, classificação 14 anos), direção: Tom Hooper
Sinopse: Os vencedores do Oscar Eddie Redmayne e Alicia Vikander estrelam essa marcante história de amor inspirada por fatos reais, dirigidos pelo também vencedor do Oscar Tom Hooper. Quando Gerda (Vikander) pede ao seu marido Einar Wegener (Redmayne) que trabalhe como modelo, os seus sentimentos por muito tempo reprimidos emergem e ele assume sua personalidade feminina. Embarcando numa jornada para se tornar a mulher que ele tanto deseja ser, Lili Elbeque só é possível por conta do amor incondicional de Gerda. Entrada Franca.  
http://brasilien.um.dk/pt.aspx

Sexta, dia 23
14h30 - A Mulher Que se Foi (Ang Babaeng Humayo, Filipinas, 2017, drama,, 228 minutos, classificação 12 anos), direção: Laz Diaz.
Sinopse: Horacia passou 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, leva vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem leitura e escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca da família. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, ela descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança.
Trailer: http://www.zetafilmes.com.br/2015/filme.php?id=44

18h30 - Um Homem Chamado Ove (Um Man Som Heter Ove, Suécia, 2017, comédia, 117 minutos, classificação 14 anos), direção: Hannes Holm.
Sinopse: Ove, 59 anos, é um senhor mal-humorado que leva uma vida amargurada. Aposentado, se divide entre a rotina monótona e as visitas ao túmulo da falecida esposa. Mas, quando ele finalmente se entrega às tendências suicidas e desiste de viver, novos vizinhos se mudam para a casa da frente, e uma amizade inesperada irá surgir.
Trailer: http://californiafilmes.com.br/acervo/um-homem-chamado-ove/

21h - Festival Internacional de Cinema LGBTI - Nosso presente é o amor (ONU, 2016, documentário, 3 minutos, classificação livre), Direção: David Alves Mattos
Sinopse: “Nosso presente é o amor” faz um apelo a todas as famílias para que aceitem, respeitem e acolham seus filhos e filhas LGBTI: a discriminação não pode começar em casa. Entrada Franca.
Mais: www.unfe.org/pt

C.R.A.Z.Y. - Loucos de Amor (C.R.A.Z.Y., Canadá, 2005, comedia dramática, 127 min, classificação 14 anos ), direção: Jean-Marc Vallée
Sinopse: No dia 25 de dezembro de 1960, Zachary Beaulieu vem ao mundo. É o 4º entre 5 irmãos, todos meninos. A infância de Zachary é marcada pelos aniversários natalinos em que seu pai (Michel Côté), invariavelmente, encerra a festa imitando Charles Aznavour. Sua adolescência traz a descoberta de uma sexualidade diferente e sua negação profunda para não decepcionar a família. E a maturidade, enfim, chega com uma libertadora viagem mística por Jerusalém, a cidade que sua mãe sempre sonhou conhecer. Entrada Franca.

Sábado, dia 24
10h - Um Homem Chamado Ove (Um Man Som Heter Ove, Suécia, 2017, comédia, 117 minutos, classificação 14 anos), direção: Hannes Holm.
Sinopse: Ove, 59 anos, é um senhor mal-humorado que leva uma vida amargurada. Aposentado, se divide entre a rotina monótona e as visitas ao túmulo da falecida esposa. Mas, quando ele finalmente se entrega às tendências suicidas e desiste de viver, novos vizinhos se mudam para a casa da frente, e uma amizade inesperada irá surgir.
Trailer: http://californiafilmes.com.br/acervo/um-homem-chamado-ove/

14h30 - A Mulher Que se Foi (Ang Babaeng Humayo, Filipinas, 2017, drama,, 228 minutos, classificação 12 anos), direção: Laz Diaz.
Sinopse: Horacia passou 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, leva vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem leitura e escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca da família. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, ela descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança.
Trailer: http://www.zetafilmes.com.br/2015/filme.php?id=44

18h30 – SESSÃO DEBATE - Mulher do Pai (Brasil/Uruguai, 2017, drama, 94 minutos, classificação 12 anos) direção: Cristiane Oliveira.
Sinopse: Ruben e Nalu moram no campo, perto da fronteira Brasil-Uruguai. Quando ele percebe que a filha, aos 16 anos, já é uma mulher, uma ambígua proximidade surge entre os dois. A intimidade dá lugar ao ciúmes quando Rosario, uma atraente uruguaia, ganha espaço na vida de ambos.
Trailer: http://www.vitrinefilmes.com.br/site/?page_id=4324

21h - Festival Internacional de Cinema LGBTI - O Amor Transforma Preconceitos (ONU, institucional, 2 minutos, classificação livre), direção Eduardo Zunza
Sinopse: O vídeo do Governo de Minas Gerais, produzido por meio da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac), conta em 1 minuto a história de uma tradicional família mineira que vive na zona rural, constituída por pai, mãe e três filhos. Após ser rejeitada, uma das crianças, que é transexual, sai de casa e só retorna na celebração dos 50 anos de casamento dos pais, acompanhada pelo companheiro e pela filha. Entrada Franca.

Strike a Pose (Reino dos Países Baixos, 2016, documentário, 85 minutos, classificação 14 anos), direção: Ester Gould / Reijer Zwaan.
Sinopse: Na década de 1990, sete jovens dançarinos foram selecionados para fazer parte da turnê mais controversa da Madonna, Blond Ambition, além de participarem do documentário Na Cama com Madonna, que conta os bastidores dessa jornada. Entrada Franca.

Domingo, dia 25
14h30 - A Mulher Que se Foi (Ang Babaeng Humayo, Filipinas, 2017, drama,, 228 minutos, classificação 12 anos), direção: Laz Diaz.
Sinopse: Horacia passou 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, leva vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem leitura e escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca da família. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, ela descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança.
Trailer: http://www.zetafilmes.com.br/2015/filme.php?id=44

18h30 - Um Homem Chamado Ove (Um Man Som Heter Ove, Suécia, 2017, comédia, 117 minutos, classificação 14 anos), direção: Hannes Holm.
Sinopse: Ove, 59 anos, é um senhor mal-humorado que leva uma vida amargurada. Aposentado, se divide entre a rotina monótona e as visitas ao túmulo da falecida esposa. Mas, quando ele finalmente se entrega às tendências suicidas e desiste de viver, novos vizinhos se mudam para a casa da frente, e uma amizade inesperada irá surgir.
Trailer: http://californiafilmes.com.br/acervo/um-homem-chamado-ove/

21h - Festival Internacional de Cinema LGBTI - Por que eu luto – Rebecca ( ONU, 2016, documentário, 3min 12 segundos, classificação livre) Direção: David Alves Mattos.
Sinopse: Algumas pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersex (LGBTI) são particularmente vulneráveis à exclusão e aos crimes de ódio porque também enfrentam discriminações devido a idade, gênero, etnia, deficiência ou outros fatores. Neste vídeo da Campanha da ONU Livres e Iguais, Rebecca Religare, ativista LGBTI da organização brasileira Corpolítica, fala sobre como lutar contra as formas interseccionais de discriminação que ela enfrenta – enquanto mulher, negra e lésbica. Entrada Franca.
Mais: www.unfe.org/pt

Priscilla – A Rainha do Deserto (The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert, Austrália, 1994, Comédia musical, 103 min, classificação 16 anos), direção: Stephan Elliott.
Sinopse: As drag queens Anthony (Hugo Weaving) e Adam (Guy Pearce) e a transexual Bernadette (Terence Stamp) são contratadas para realizar um show em Alice Springs, uma cidade remota localizada no deserto australiano. Eles partem de Sydney a bordo de Priscilla, um ônibus, tendo a companhia de Bob (Bill Hunter). Só que no caminho eles descobrem que quem os contratou foi a esposa de Anthony. Entrada Franca.

Segunda, dia 26
19h - Festival Internacional de Cinema LGBTI Avelino, o pai de um milhão (Brasil, 2016, documentáro, 4 min, classificação livre), direção: David Alves Mattos.
Sinopse: Pessoas LGBT não são as únicas vítimas da homofobia e da transfobia. Avelino Mendes é um pai que perdeu o filho, Lucas Fortuna, para a violência homofóbica em 2012. Ainda assim, ele se recusou a deixar a memória do filho desaparecer em meio às estatísticas. Entrada Franca.

O Homem que amava Yngve (Mannen som elsket Yngve, Noruega, 2008, drama musical, 90 minutos, classificação 11 anos), Direção: Stian Kristiansen
Sinopse: Novembro de 1989, o muro de Berlim caiu. Na cidade de Stavanger, na Noruega, Jarle Klepp não tem a menor ideia de que tudo está prestes a mudar... Até agora ele tem tudo: a melhor namorada do mundo e o amigo mais legal de todos. Juntos, eles irão lançar a banda punk mais pesada de Stavanger, a Mattias Rust Band. Então o novo garoto da sala, Yngve, aparece. Ele não é como qualquer outra pessoa e Jarle está confuso. Ele não sabe o que fazer. Tudo o que ele sabe é que ele não pode parar de se encontrar com Yngve. Entrada Franca.

21h - Festival Internacional de Cinema LGBTI Tradição (Tradition ONU, 2017, documentário, 2 minutos, classificação livre), direção: Mike Buonaiuto
Sinopse: A cultura e a tradição pertencem a todas e todos. Cada um de nós pode interpretar, adaptar e praticar as crenças, costumes e rituais que são importantes para nós como indivíduos. Esses são direitos culturais básicos – garantidos para todas pessoas sem discriminação. A Campanha da ONU Livres e Iguais, neste vídeo, traz um jovem em Bombaim, Índia, que convida seu namorado para uma celebração em família do Festival das Cores. Entrada Franca.
Mais: www.unfe.org/cultureoflove/pt.html

Sascha (Alemanha, 2010, drama, 101 min, classificação 14 anos) Direção: Dennis Todorović
Sinopse: Um filme sobre imigrantes em uma grande cidade alemã, o cotidiano de uma família em um bairro multicultural e as dificuldades de se falar abertamente sobre as tendências sexuais. Entrada Franca.

Terça, dia 27 – Concerto da OSTNCS – Entrada Franca

Quarta, dia 28
14h30 - A Mulher Que se Foi (Ang Babaeng Humayo, Filipinas, 2017, drama,, 228 minutos, classificação 12 anos), direção: Laz Diaz.
Sinopse: Horacia passou 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, leva vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem leitura e escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca da família. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, ela descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança.
Trailer: http://www.zetafilmes.com.br/2015/filme.php?id=44

19h – SESSÂO DEBATE - Divinas Divas (Brasil, 2016, documentário, 110 minutos, classificação 16 anos), direção Leandra leal
Sinopse: Rogéria, Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Eloína dos Leopardos, Fujika de Halliday, Marquesa e Brigitte de Búzios são ícones da primeira geração de artistas travestis do Brasil. A partir de uma íntima relação com a diretora e com o teatro de sua família, importante palco na trajetória de todas elas, acompanhamos as personagens no processo de construção de um espetáculo que celebra seus 50 anos de carreira. O filme propõe a compreensão de suas vidas como obras de arte, mas também como ato político no Brasil de ontem e de hoje.​
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=HxahJR71wJY

21h - Festival Internacional de Cinema LGBTI - Web Doc Pop Trans (Brasil/ Ministério da Saúde, 2017, 40 minutos, documentário, classificação livre), direção: Renato Oliveira
Sinopse: Documentário que retrata a vivência das pessoas transexuais e travestis, o que acontece dentro das famílias, como abordam o estigma e o preconceito no âmbito social, bem como as dificuldades de acesso a educação e mercado de trabalho. Homens e mulheres transexuais retratando sua convivência em seu dia a dia. Quais as diferenças entre identidade de gênero e orientação sexual. O processo transexualizador retratado desde a fase inicial a cirurgia e o pós operatório. Apesar de todas as dificuldades, o filme mostra como a vida pode ser recalculada e adaptada para todas adversidades do dia a dia como as pessoas que buscam no que acreditam ultrapassam as barreiras do medo e preconceito. Entrada Franca.

22h - Refeições em Família (Nije ti Zivot Pjesma Havaja, Croácia, 2012, documentário, 50 min, classificação livre), direção: Dana Budisavljevic.
Sinopse: Uma família croata de classe média tenta falar sobre as coisas que realmente importam – ao estilo dos pais hippies dos anos 70, da homossexualidade da filha, da doença do irmão, da guerra cruel, durante séries de cafés-da-manha e almoços. Entrada Franca.


S E R V I Ç O:
Ingressos: R$ 12,00 (inteira) R$ 6,00 (meia entrada)
Festival Internacional de Cinema LGBTI – ENTRADA FRANCA
Programador responsável: Sergio Moriconi smoriconi@terra.com.br
Programação Completa em: www.cultura.df.gov.br e facebook.com/cinebrasilia1960

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário