HPV e sua relação com a ocorrência de lesões em mulheres com HIV

Rodolfo Miglioli Badial defendeu a Dissertação de Mestrado intitulada “Detecção e genotipagem de Papulomavírus Humano (HPV) e sua relação com a ocorrência de lesões cervicais em mulheres coinfectadas com o vírus da Imunodeficiência Humana (HIV)”. A pesquisa foi desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Microbiologia do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), Câmpus da Unesp em São José do Rio Preto.

Resumo
Os papilomavírus são vírus de DNA fita dupla com tamanho de 55nm e forma icosaédrica, não são envelopados e podem induzir tumores epiteliais escamosos em diferentes localizações anatômicas. Eles pertencem à família Papilomaviridae e tem um genoma de cerca de oito mil pares de bases, protegido por proteínas do capsídeo. Mais de 200 tipos diferentes de papilomavírus humano (HPV) foram identificados e classificados em dois grupos distintos, alto risco e baixo risco, dependendo da sua associação com o desenvolvimento do câncer. A forma mais importante de transmissão viral do HPV genital é a relação sexual, sendo outra potencial via de transmissão a vertical de mãe para filho no momento do parto.

A integração genômica do HPV é um mecanismo de infecção viral persistente, que eventualmente, se desenvolve na fase de cancerização. Trata-se de um processo tipicamente aleatório, e pode ocorrer em qualquer local no DNA da célula hospedeira. Em alguns casos a integração pode contribuir para o desenvolvimento do carcinoma cervical, que é precedido por lesões precursoras, podendo ser classificadas histologicamente como neoplasia intraepitelial cervical (NIC) ou citologicamente como lesões intraepiteliais escamosas (LIE). Infecções crônicas por HPV, que são muitas vezes caracterizadas por uma elevada carga viral, podem ser facilitadas pela co-infecção com o HIV, que reduz a probabilidade de eliminação espontânea do HPV.

Neste contexto, o presente estudo tem a necessidade de melhorar o conhecimento sobre a patogênese da doença cervical e assim, estabelecer terapias mais adequadas para infecções e lesões causadas pelo HPV em pacientes co-infectadas com o HIV, o que leva a um maior risco e persistência das infecções pelo vírus.

Comissão Examinadora
Prof.(a). Dr.(a). Paula Rahal (Orientadora) – Unesp / Câmpus de São José do Rio Preto
Prof.(a). Dr.(a). Carolina Colombelli Pacca – Universidade Faceres
Prof.(a). Dr.(a). Tatiana Rabachini – Universidade De Berna

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário