Terreirada recebe a cantora Kris Maciel e a percussão afro Omo Ayó

A Terreirada de fevereiro antecipa a alegria do carnaval brasiliense, trazendo, além do tão aguardado samba de terreiro, ritmo que comanda a festa, o afoxé, o coco, o jongo e o samba de roda. Na edição deste mês, que acontece dia 12, a partir das 16h, os anfitriões Filhos de Dona Maria, recebem dois convidados muito especiais: a cantora Kris Maciel e o grupo de percussão afro Omo Ayó. 

Kris Maciel encanta Brasília com sua voz potente desde 1999, época em que fazia coro no grupo Unidos do samba. Sua presença marcante logo se destacou e ela se tornou uma das cantoras mais atuantes nas rodas de samba da cidade. Participou de eventos como o Mulheres no Samba, o Samba solidário, comemorações do Dia da Consciência Negra na Prainha dos Orixás, e o projeto Elas com o grupo Saia Bamba. Em 2012, gravou o CD Sou Samba, que contou com arranjos de Rafael dos Anjos e com direção musical de Mirian Marques. Agora, finaliza o seu primeiro DVD, que foi realizado sob a direção musical do violonista Amílcar Paré. “Vou escolher um repertório com muito samba de raiz para a Terreirada. O clima de carnaval está garantido”, avisa Kris.
            
Criado em 2014, o grupo de percussão afro Omo Ayó traz em seu repertório cantigas tradicionais afro-brasileiras, aprendidas dentro do terreiro de candomblé do qual fazem parte, o Ilê Odé Axé Opo Inlé. O grupo possui 30 integrantes e já participou da Terreirada e de outros eventos da cidade, como a Feira de Educação Profissional e Tecnológica, o Festival Latinidades. Em 2015, como parte do Festival Abre Caminhos, o Omo Ayó recebeu a visita do grupo baiano Ilê Aiyê em sua sede em Planaltina para um rico intercâmbio de experiências artísticas.
            
“A cultura de matriz africana e outras manifestações tradicionais brasileiras são as protagonistas da festa. Hoje, a Terreirada integra o circuito de eventos periódicos da cidade que oferece para o público um entretenimento de qualidade. Estiveram conosco diversos grupos e artistas que demarcam esse espaço, como grupo Coco Raízes de Arcoverde, Bongar, Renata Jambeiro, Cris Pereira, Martinha do Coco e Glória Bomfim. Recebemos, inclusive, representações indígenas, como o povo indígena Fulni-ô”, conta Tâmara Jacinto, idealizadora do evento.
            
A Terreirada dispõe de área de alimentação com comidas tradicionais de terreiro, vegetarianas e veganas, além de estandes de moda afro.

Filhos de Dona Maria
Dos tambores e temperos do terreiro de matriz africana vem a inspiração dos “Filhos de Dona Maria”. No samba feito por eles, misturam-se a chula, o afoxé, o jongo, a musicalidade da capoeira. Com sua música, o grupo reafirma a identidade negra e suas tradições, fortalecendo a cultura afro-brasileira.


SERVIÇO:

Terreirada com Filhos de Dona Maria, Kris Maciel e o afoxé Omo Ayó.
Data: 12 de fevereiro (domingo)
Horário: 16h
Entrada: até 20h - R$ 20  | após às 20h - R$ 25
Local: Circulo Operário do Cruzeiro (SRE/S Áreas Especial 09, Cruzeiro Velho (ao lado da Administração do Cruzeiro)
Informações: 61 98211-6556

==> Foto: Divulgaçãofes

0 comentários:

Postar um comentário