Scheidt conquista medalha de bronze na sua volta à classe Star

Robert Scheidt é medalha de bronze na Star Sailors League (SSL), em Nassau, nas Bahamas. Em seu retorno à classe Star após dois anos dedicados ao ciclo olímpico da Rio 2016 na Laser, velejou ao lado Henry Boenning, o Maguila, e subiu ao pódio logo na primeira competição. "Foi um ótimo resultado. Eu não velejava de Star há muito tempo e logo no meu primeiro campeonato com o Maguila chegamos ao pódio", disse o bicampeão e maior medalhista brasileiro em Olimpíadas.

A decisão da SSL foi no sábado, 3 de dezembro, e não faltou emoção com as disputas em sistema de eliminatórias. Scheidt e Maguila ganharam as quartas de final e chegaram em segundo na semi para, na sequência, conquistar o bronze. A dupla brasileira chegou a liderar a primeira das quatro pernas da regata final, mas foi ultrapassada pelos norte-americanos Mendelblat e Fatih e pelos franceses Rohart e Ponsot, campeões e vice, respectivamente. "Tivemos a chance de vencer, mas em uma regata decisiva é preciso escolher um dos lados da raia, não adianta ficar no meio. Tomamos a decisão que achamos correta. Mas o importante é chegar ao pódio", analisou o bicampeão olímpico, que é patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela.

As regatas deste sábado (3) foram disputadas com vento nordeste entre 12 e 14 nós na Baía de Montagu e a eliminação de três tripulações a cada regata garantiu uma dosa extra de dramaticidade às quartas de final e semifinal, que reuniram oito e seis barcos, respectivamente. A final contou com quatro duplas. Os vencedores da primeira fase, Negri e Lambertenghi, da Itália, juntaram-se aos três primeiros da semifinal, os timoneiros Scheidt, Rohart e Mendelblat. Os italianos dominaram a fase de classificação e mais uma vez acabaram em quarto lugar, a exemplo de 2013 em Nassau e do SSL City Grand Slam de Hamburgo (ALE) deste ano.

A SSL Finals 2016 distribuiu premiação geral de US$ 200 mil, sendo US$ 40 mil para os campeões, US$ 30 mil para os segundos colocados e US$ 25 mil para os terceiros. Neste ano, a competição reuniu 25 duplas, incluindo 16 medalhistas olímpicos, campeões mundiais, além de vencedores de America’s Cup e Regata Volta ao Mundo. Os campeões somaram quatro mil pontos no ranking da SSL.

Classificação da SSL Finals 2016

1) Mendelblat/Fatih (USA)
2) Rohart/Ponsot (FRA)
3) Scheidt/Maguila (BRA)
4) Negri/Lambertenghi (ITA)
5) Polgar/Koy (ALE)
6) Szabo (EUA)/Natucci (ITA)
7) Kuznierewicz/Zycki (POL)
8) Christensen/Milrie (DEN)
9) Stipanovic/Sitic (CRO)
10) Fantela/Arapovic (CRO)


Maior atleta olímpico brasileiro

Cinco medalhas:
Ouro : Atlanta/96 e Atenas/2004 (ambas na classe Laser)
Prata : Sidney/2000 (Laser) e Pequim/2008 (Star)
Bronze : Londres/2012 (Star)

176 títulos - 86 internacionais e 90 nacionais, incluindo a Semana Internacional do Rio, o Campeonato Brasileiro de Laser e a etapa de Miami da Copa do Mundo, todos neste ano.

Laser
Onze títulos mundiais - 1991 (juvenil), 1995, 1996, 1997, 2000, 2001, 2002*, 2004 e 2005 e 2013
*Em 2002, foram realizados, separadamente, o Mundial de Vela da Isaf e o Mundial de Laser, ambos vencidos por Robert Scheidt
Três medalhas olímpicas - ouro em Atlanta/1996 e Atenas/2004, prata em Sydney/2000

Star
Três títulos mundiais - 2007, 2011 e 2012*
*Além de Scheidt e Bruno Prada, só os italianos Agostino Straulino e Nicolo Rode venceram três mundiais velejando juntos, na história da classe
Duas medalhas olímpicas - prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012

==> Foto: Troels Lykke / SSL

0 comentários:

Postar um comentário