FLÁVIO FARIA NO CLUBE DO CHORO DE BRASÍLIA

FLÁVIO FARIA é compositor mineiro de nascimento, mas vive em Brasília há décadas. Seus trabalho musical pode ser considerado inovador, devido à mistura rítmica de rocks, sambas, xotes e funks que o caracteriza, acrescido de um balanço sutil, próprio do autor. Suas músicas possuem poética rica, inspirada no cotidiano urbano e nas buscas e anseios do homem moderno. Sua obra é resultado de sua própria vivência, do seu aprendizado pelas ruas de Brasília e do mundo.

“Como todo candango, sou fruto da mistura de culturase da migração de diferentes povos, que participaram da nossa vida desde a infância. Vim de Minas, mas convivi com nordestinos, cariocas, paulistas e gaúchos desde pequeno. Sou um pouco de cada um deles”, afirma Flávio. “Minha música nasce desta mistura de sons e sentimentos urbanos, de uma pessoa que vive e vê a cidade por baixo: pelos bares,becos e bueiros. De uma pessoa que observa a vida com os olhos sempre encantados, com o coração apaixonado pelas coisas simples do cotidiano”.

Flávio possui diversos parceiros em Brasília, como os poetas Vicente Sá e Fabrízio Morelo, e os compositores Sérgio Duboc (Liga Tripa) e Aloísio Brandão. Já compartilhou o palco com Cássia Eller, Renato Matos, Liga Tripa, Célia Porto e outros artistas que marcaram época na cidade.

Flávio Faria já fez apresentações de seu trabalho nos Estados Unidos e nos Cafés do bairro Bexiga, em São Paulo. Em Brasília, foi figura carimbada das salas Villa Lobos e Funarte, e dos antigos teatros da Escola Parque, Galpão e Galpãozinho. Também participou do Projeto Pixinguinha ao lado de Nana Caymmi e do falecido Johnny Alf, autor do clássico da MPB “Eu e a Brisa”.

Possui diversas músicas gravadas por cantores e bandas de dentro e fora de Brasília. É o autor da música “Fala Palhaço”, que lançou o extinto grupo “Invoquei o Vocal”, nos anos 1980, e do “Samba da Rua Oito”, gravado por Célia Porto e Liga Tripa, composto em parceria com Sérgio Duboc e Vicente Sá.

“Sua musicalidade e ritmo são o que mais me impressionam”, afirma o poeta Vicente Sá, seu parceiro de uma centena de músicas. “Seu estilo não se prende a fórmulas comuns ou a ritmos pré-concebidos. Suas canções têm registro próprio e agradável, que fazem diferença”.

Nascido de uma família interiorana de 8 irmãos, não poderia ter sido diferente: a música veio quase do berço. Seus dois irmãos mais velhos se formaram em Conservatório de Acordeon no interior de Minas, quando Flávio ainda era criança. Sempre ouviu o que havia de melhor da MPB e da música clássica, influenciado pelos familiares e pelos amigos que fez mais tarde, em Brasília. Começou a tocar violão e a cantar na pré-adolescência, com excelente orientação de profissionais gabaritados, como o violonista Luciano Fleming e a professora de canto Ana Maria Martins.

“A música faz parte da minha vida desde sempre. Não consigo me lembrar de ter vivido algo diferente desde meus primeiros anos de vida.

Violonista e cantor de respeito, Flávio iniciou sua carreira compondo trilhas para Teatro. Também atuou como produtor de jingles nos anos 1990, quando foi co-proprietário do conceituadíssimo Estúdio Artimanha, ao lado do guitarrista Toninho Maya. Por este estúdio passaram muitos artistas e bandas famosas, como Rosa Passos, Os Raimundos, Pato Fu, Cássia Eller, Célia Porto, Zélia Duncan e outros. Flávio sempre esteve ao lado de músicos que mais tarde se tornariam consagrados, como é o caso do próprio Toninho Maya, e de outros talentosos artistas, como Jorge Helder (que tocou com Caetano e Chico Buarque), Nema Antunes (baixista do Ivan Lins), Rênio Quintas (maestro e marido da cantora Célia Porto), Jaime Ernest Dias (violonista), dentre tantos outros.

Flávio também atua na área da literatura. É autor do livro “A Expedição Solar”, publicado pela editora Planetário de São Paulo, indicado ao Prêmio Jabuti de 2004.

A apresentação acontece dia 05 de Dezembro de 2016 – segunda-feira a partir das 21:00 horas. Ingressos: R$ 15,00 (meia) e R$30,00 (inteira)

Informações: Tel.: 3224.0599. Ingressos: Clube do Choro de Brasília – SDC BLOCO “G” - Funcionamento da bilheteria: 2ª a 6ª feira: 10:00 às 22:00 horas. Sábado a partir de 19:00 as 21:30 horas, ou através do site: www.clubedochoro.com.br

O Clube do Choro de Brasília fica entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário.
Não recomendado para menores de 14 anos

==> Foto: Michelle Bartlett

0 comentários:

Postar um comentário