ANAT COHEN e MARCELLO GONÇALVES NO CLUBE DO CHORO DE BRASÍLIA

Anat Cohen e Marcello Gonçalves trazem no disco Outra Coisa uma nova perspectiva para a música de Moacir Santos, um dos mais inovadores e influentes compositores brasileiros, no ano em que se comemoram seus 90 anos.

Os timbres do clarinete e do violão de 7 cordas se unem para dar leveza, elegância, alegria, prazer e liberdade à música de Moacir Santos.

Um encontro entre um violonista brasileiro e uma musicista de Jazz, tocando uma música que já nasce cosmopolita, como se a negritude da música de Moacir amalgamasse diferentes culturas.

O resultado soa curiosamente familiar tanto para brasileiros quanto para americanos, como talvez só haja paralelo na dupla Stan Getz/ João Gilberto, cinquenta anos atrás.

No caso de Anat isto fica ainda mais intenso porque seu próprio estilo já é forjado a partir desta soma de influências. Desde a música clássica até o Jazz, passando pela música brasileira, colombiana, venezuelana, cubana.

O estilo orquestral do violão de 7 cordas de Marcello Gonçalves possibilita que os contrapontos de Moacir Santos sejam incorporados à própria condução rítmica, além de um diálogo constante com a melodia, em um efeito camerístico raro.

Como se a música tivesse sido composta desta maneira. Como se clarinete e violão fossem o esqueleto a partir do qual Moacir construísse suas versões orquestrais.

Ouvida desta forma, a obra de Moacir Santos ganha outro sabor.

Outra Coisa é um disco fiel a Moacir, na sua precisão de escrita e também na liberdade que sua música sugere.

Clarinete e violão são instrumentos importantes na história de Moacir.

Se o clarinete foi seu primeiro instrumento, foi o violão de Baden Powell que gravou pela primeira vez sua obra.

Baden Powell estudou com Moacir Santos. A série dos Afro-Sambas surgiram a partir dos exercícios de composição das aulas com Moacir.

É como se houvesse uma ligação de Moacir com o violão ainda não explorada, que até então estava no imaginário apenas pelas gravações de Baden Powell e pelos Afro-Sambas.

Outra Coisa coloca Moacir Santos na tradição da música escrita para violão no Brasil.

Repertório
Amphibious (Moacir Santos)
Coisa nº 1 (Moacir Santos/Clovis Mello)
Outra Coisa (Moacir Santos)
Coisa nº 6 (Moacir Santos)
Coisa nº 10 (Moacir Santos)
Nanã (Coisa nº 5) (Moacir Santos/Mario Telles)
Coisa nº 9 (Moacir Santos/Regina Werneck)
Mãe Iracema (Moacir Santos)
Oduduá (Moacir Santos/Nei Lopes)
Maracatucutê (Moacir Santos)
Paraíso (Moacir Santos)
Carrossel (Moacir Santos)

As apresentações acontecem dias 16, 17 e 18 de Novembro de 2016 – quinta-feira a partir das 21:00 horas. Ingressos: R$ 15,00 (meia) e R$30,00 (inteira)

Informações: Tel.: 3224.0599. Ingressos: Clube do Choro de Brasília – SDC BLOCO “G” - Funcionamento da bilheteria: 2ª a 6ª feira: 10:00 às 22:00 horas. Sábado a partir de 19:00 as 21:30 horas, ou através do site: www.clubedochoro.com.br

O Clube do Choro de Brasília fica entre a Torre de TV, o Centro de Convenções e o Planetário.
Não recomendado para menores de 14 anos

==> Foto: Shervin Lainez

0 comentários:

Postar um comentário