Educadores avaliam o papel do Conselho Escolar na solução de conflitos e violência

Com a universalização do acesso e a obrigatoriedade de permanência nas escolas, desde a Constituição de 1988 e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1996, a ampliação do número de alunos com culturas e valores diferentes gerou uma diversidade que vem mudando a convivência interna no ambiente escolar. Com o objetivo de refletir sobre essas novas relações, com foco nos conflitos, indisciplina e violência, pesquisadores e docentes de diversas universidades públicas abordam a questão sob diferentes aspectos em Conselho Escolar e as possibilidades de diálogo e convivência: o desafio da violência na escola, organizado por Maria Cecília Luiz, lançamento da EdUFSCar.

A coletânea reúne 12 artigos, que refletem sobre quem são os estudantes envolvidos com questões de indisciplina e violência e como lidar com essas situações em espaços escolares. Dessa maneira, busca compreender e valorizar a escola e os Conselhos Escolares com a perspectiva da gestão democrática, por meio de bases teóricas e abordagens práticas relacionadas à convivência e ao diálogo.

Os autores apresentam uma riquíssima reflexão sobre diversas concepções que abordam a questão da violência, presentes na sociedade, e do significado que esse termo adquire quando a referência é o âmbito escolar. Constroem também considerações acerca da problemática relativa à invisibilidade do ataque e demonstram como os Livros de Ocorrência (LO), muito usuais nas escolas públicas de Educação Básica, revelam a disciplina praticada pelas instituições.

Colocam em pauta a formação continuada com os diretores escolares e analisam de que forma esses profissionais de escolas públicas estaduais de São Paulo registram situações de conflito, indisciplina e violência, com base na apresentação e discussão do Sistema de Proteção Escolar (SPE), de um lado; de outro, buscam os Registros de Ocorrência Eletrônica (ROEs). Revisitam as ideias de Michel Foucault sobre o poder disciplinar e seu alcance para pensar a escola nos dias de hoje e, em especial, para refletir sobre o controle e o disciplinamento dos indivíduos na instituição escolar.

Tratam também da relação entre os familiares e a escola, parceiros fundamentais no desenvolvimento de adolescentes e jovens, e das alternativas de inclusão quando estão em situação de rua e envolvidos em atos infracionais. Discorrem sobre os resultados de pesquisa com adolescentes, tidos como "alunos-problemas", de uma escola estadual no interior de São Paulo e arrematam ressaltando a importância de uma escola democrática, aquela que assegura a participação ativa da comunidade na definição e no desenvolvimento da escola.

A obra traz, portanto, contribuições relevantes para a percepção da violência como ação que se manifesta entre pessoas de dentro e de fora da escola e advém de motivações as mais variadas, relacionadas a fatores estruturais, econômicos, culturais, políticos, religiosos, valorativos, entre outros.

Sobre a organizadora
– Maria Cecília Luiz possui licenciatura em Pedagogia e mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e doutorado em Educação Escolar pela Faculdade de Ciências e Letras – Unesp de Araraquara. É professora associada do Departamento de Educação e da Pós-Graduação em Educação da UFSCar.

Título: Conselho Escolar e as possibilidades de diálogo e convivência: o desafio da violência na escola 
Organizadora: Maria Cecília Luiz
Número de páginas: 250
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 34,00
ISBN: 978-85-7600-438-7

==> Foto: Divulgação

0 comentários:

Postar um comentário