JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016 - INFORMAÇÕES DE ALGUMAS COMPETIÇÕES DO DIA 13 DE AGOSTO

Brasil derrota a Colômbia com gols de Neymar e Luan

O Brasil segue em busca da sonhada medalha olímpica de ouro no futebol masculino. Neste sábado, dia 13 de agosto, a seleção brasileira venceu a Colômbia por 2 a 0, com gols de Neymar e Luan, e garantiu a classificação para as semifinais dos Jogos Olímpicos Rio 2016. O adversário da próxima fase será Honduras, na próxima quarta-feira, dia 17, às 13h (de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro.

O primeiro tempo de jogo foi nervoso, com lances violentos e farta distribuição de cartões amarelos. Logo aos 2 minutos, o colombiano Lerma foi o primeiro a chutar a gol. Na sequência, aos 4, Palacios cometeu falta em Gabriel Jesus, que sentiu dores na perna, mas logo se recuperou. Palacios, em nova falta, deu uma cotovelada em Gabriel Jesus, fora do lance, e recebeu cartão amarelo. Neymar, aos 12, abriu o marcador para o Brasil, em cobrança de falta de longe: 1 a 0. O atacante não marcava gols há sete partidas.

Aos 24 minutos, a Colômbia ofereceu perigo, quando Palacios pegou a sobra de um cruzamento e mandou a bola por cima do gol de Weverton. No fim do primeiro tempo, aos 39 minutos, Neymar sofreu falta de Lerma fora do lance e saiu reclamando com dores. Lerma levou cartão amarelo. Na sequência, Neymar fez falta dura em Roa e também recebeu cartão. Formou-se um tumulto e os jogadores trocaram empurrões. Ainda no primeiro tempo mais dois cartões amarelos para os colombianos Wilmar Barrios e Preciado, ambos por falta em Neymar. O juiz deu cinco minutos de acréscimo.

Na etapa final, o Brasil saiu com a bola. Aos 3 minutos, Neymar chutou de fora da área e o goleiro Bonilla defendeu. Na sequência, a Colômbia assustou duas vezes a defesa brasileira. Aos 17 minutos, Neymar arriscou de fora da área e a bola passou com perigo à esquerda do goleiro colombiano. O Brasil quase fez seu segundo gol aos 20 minutos, com Rodrigo Caio. O técnico Micale reforçou o meio-campo, aos 21 minutos, com a entrada de Thiago Maia no lugar de Gabigol. Enquanto a Colômbia mostrava pressionava para igualar o placar, o Brasil, com muitos erros de contra-ataque, começou a se fechar. Mas Luan, aos 38 minutos, encontrou espaço para fazer um golaço de fora da área, encobrindo o goleiro adversário. Um lindo passe de Neymar. A Colômbia levou outros dois cartões amarelos (Miguel Borja e Téo Gutiérrez) no final do jogo.

O meio-campo Luan elogiou a atuação da seleção brasileira. "A equipe está de parabéns porque conseguiu os gols e também suportar a pressão. O início do jogo foi truncado. Todos os jogadores estão mais à vontade em campo. Nos dois primeiros jogos, estávamos mais ansiosos. Agora os gols estão acontecendo naturalmente, com a equipe bem entrosada. Agora é focar na semifinal, que será bem difícil", disse.

Brasil – Weverton, Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos, Douglas Santos, Walace, Renato Augusto, Luan, Gabriel (Thiago Maia), Neymar e Gabriel Jesus (Rafael Alcântara). Técnico: Rogério Micale


Brasil sofre segunda derrota seguida no torneio masculino de vôlei

A seleção brasileira masculina de vôlei se complicou nos Jogos Olímpicos Rio 2016 ao sofrer a segunda derrota consecutiva na competição. Na noite deste sábado, 13 de agosto, o Brasil perdeu para a Itália por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 23/25, 22/25 e 15/25, em 1h49 de jogo.

O saque dos italianos, que seguem invictos e na liderança do grupo A, fez a diferença na partida. Agora, só a vitória interessa à seleção brasileira diante da França, na próxima segunda-feira, 15 de agosto, para continuar mantendo suas chances de medalha.

O italiano Zaytsev foi o principal pontuador do jogo, com 20 pontos. Do lado do Brasil, o oposto Wallace marcou 17 vezes. A Itália fez seis aces no jogo contra nenhum do Brasil, que não conseguiu mostrar uma boa virada de bola e cometeu muitos erros de passe.

O levantador e capitão do time brasileiro, Bruninho, disse que o time não conseguiu colocar em prática tudo o que sabe. "Foi um jogo diferente de qualquer outro. Muito nervosismo na quadra, um peso que estamos carregando e não conseguimos desempenhar aquilo que sabemos fazer. Os três primeiros sets foram jogados, mas estamos cometendo erros infantis de certa forma. E no quarto set houve uma perda total de lucidez, principalmente, da minha parte. Perdemos a cabeça, o foco, e agora temos uma chance. Esse quarto set foi muito frustrante. Traímos hoje tudo aquilo que a gente fez. Não colocamos em prática tudo o que a gente sabe".

O técnico Bernardinho fez sua análise sobre a derrota. "Os três primeiros sets de hoje foram lá e cá. Um saque a mais bem dado, uma defesa a mais. No quarto set eles jogaram soltos, relaxaram mais e não conseguimos controlar. Quando o time quebra o passe, você tem que saber jogar, se posicionar bem, fazer as coisas corretas. Tem que saber forçar o saque ou segurar uma sequência".

O treinador da seleção brasileira disse ainda que a união do grupo será fundamental. "Mais do que nunca temos que estar juntos, lutarmos juntos. Alguns jogadores vão ter uma importância enorme para a partida contra a França de trazer a confiança ao time: o Sérgio Escadinha, o próprio Bruno o Éder. Temos 48 horas para nos preparar individual e coletivamente para essa decisão de segunda-feira".


Seleção brasileira masculina de handebol empata com o Egito

A seleção brasileira masculina de handebol adiou o sonho de assegurar a inédita vaga para as quartas de final dos Jogos Olímpicos ao empatar com o Egito em 27 a 27, na tarde deste sábado, 13 de agosto, na Arena do Futuro. Com o resultado, o Brasil chegou a cinco pontos e está na terceira colocação do grupo B. Na última rodada, a equipe verde e amarela encara a Suécia, segunda-feira, às 16h40.

Empurrados pela torcida, os brasileiros terminaram o primeiro tempo com dois gols de desvantagem (13 a 15) sobre o time egípcio. No segundo tempo, o Brasil conseguiu empatar nos minutos finais e quase virou o placar. O goleiro Maik defendeu um tiro de 7 metros a 16 segundos do fim do jogo e garantiu a igualdade para o Brasil.

O ponta Fábio Chiuffa destacou a garra do time. "No primeiro tempo demoramos para entrar na partida, mas voltamos melhor. Somos guerreiros, estávamos atrás do placar e saímos com o empate que tem sabor de vitória. Rezei para o Maik pegar o tiro de 7 metros. A torcida está nos apoiando, estamos muito felizes com essa vibração", disse.

Para o goleiro Maik dos Santos, estar jogando em casa com o apoio da torcida tem sido fundamental para motivar o time em quadra. "Estou feliz por fazer parte desse desafio no Brasil e quero estar preparado para fazer uma boa defesa na próxima partida com a Suécia", comentou.

"O Egito fez um bom jogo, mas conseguimos o empate, que foi bom. Estou bravo mas contente com o resultado, que poderá nos favorecer na classificação para as quartas de final", avaliou o técnico Jordi Ribera.


Robert Scheidt disputa o bronze da Laser na segunda-feira

Se os resultados de sexta-feira deixaram Robert Scheidt animados em relação à disputa por medalhas na Classe Laser, as colocações deste sábado, dia 13, reduziram suas chances ao bronze. Com o 26º e o 11º lugares nas duas últimas regatas que antecedem a “medal race”, o brasileiro caiu da segunda para a quinta posição na classificação geral, com 87 pontos perdidos, já descartando o pior resultado, um 27º.

"Foi um dia bem frustrante. Velejei abaixo do que eu sei, não larguei muito bem e o princípio da regata me custou muito. Com isso a pontuação embaralhou e agora preciso de uma combinação de resultados na "medal race". Não é impossível, mas é uma situação bem mais difícil do que estava na sexta-feira. Vamos lutar agora para ver se recupero os pontos", comentou.

A liderança é do croata Tonci Stipanovic, com 57; seguido do australiano Tom Burton, com 67; do neozelandês Sam Meech, com 77; do francês Jean Baptiste Bernaz, com 86; e do britânico Nick Thompson, com 87. Como apenas dez barcos participam da "medal race", o brasileiro precisa ficar pelo menos seis posições à frente de Meech, Bernaz e Thompson para ser bronze.

"É uma regata que você tem que entrar para tentar ganhar. Eu tenho que ser mais agressivo, é a única chance que a gente tem. Sempre tento ver as coisas pelo lado positivo e ainda tenho uma chance de brigar pela medalha. E é o que vou fazer na segunda-feira", afirmou.

Já na 49er FX feminino, a dupla Martina Grael e Kahena Kunze segue na vice-liderança após a disputa de seis das 12 regatas. As brasileiras estão com 19 pontos perdidos, apenas sete pontos atrás de Jena Hansen e Katja Salskov-Iversen, da Dinamarca, que tem 12.

"Foi um dia muito positivo. Tivemos quatro regatas em que tudo podia acontecer. Estava bastante difícil, mas acho que a gente conseguiu fazer uma média muito boa. Estou bem satisfeita. Ainda tem metade do campeonato pela frente. Os velejadores que ganharem medalha aqui vão mostrar que são bons em todas as condições", explicou Kahena.

Na 49er FX masculino, Gabriel Borges e Marco Grael chegam à metade da competição na nona colocação com 63 pontos perdidos. Faltando duas regatas para o fim da Classe Finn, Jorge Zarif continua com chances de brigar por medalhas. Neste sábado, terminou em segundo e 13º e ocupa a sexta posição. Na Nacra 17 Misto, Isabel Swan e Samuel Albrecht caíram para 11º e precisam de bons resultados nas últimas três regatas para brigar por uma medalha. E Fernanda Decnop encerrou sua participação na Olimpíada no 24º lugar.

==> Foto: Lucas Figueiredo/MoWa Press; Alexandre Loureiro; Marcelo Pereira; e, Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

0 comentários:

Postar um comentário