JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016 - INFORMAÇÕES DE ALGUMAS COMPETIÇÕES DO DIA 11 DE AGOSTO

Mayra Aguiar conquista o bronze nos Jogos Olímpicos Rio 2016

A brasileira Mayra Aguiar saiu vitoriosa na disputa pela terceira colocação da categoria até 78Kg ao derrotar com um yuko de vantagem a cubana Yallenis Castillo nos Jogos Olímpicos Rio 2016. A judoca conquistou a sua segunda medalha de bronze olímpica e a 21ª do judô brasileiro, nesta quinta-feira, dia 11 de agosto, na Arena Carioca 2.

"Foi uma nova competição e eu saí campeã. Medalha olímpica não tem cor e eu não poderia sair daqui sem ela, quando eu perdi a luta eu saí abalada, mas no judô a gente aprende a cair e levantar", comemorou Mayra.

A gaúcha fez história nos Jogos por ser a primeira lutadora do judô a conquistar duas medalhas olímpicas para o país. "Conquistei uma medalha olímpica em Londres, mas com essa vibração no Brasil foi bem diferente. A energia da torcida me deu força para voltar ao tatame e ganhar a luta”.

Nos combates do dia, Mayra foi derrotada nas semifinais pela francesa Audrey Tcheumeo com duas punições. Nas quartas, ela venceu a alemã Luise Malzahn com um shido e na primeira luta derrotou a australiana Giambelli Miranda por finalização em 40s.

Mayra é natural de Porto Alegre/RS, tem 25 anos e começou a praticar judô com seis. Aos 14 já era profissional. Em 2012, conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres. Foi campeã no Mundial de Chelyabinsk em 2014 e vice-campeã no Mundial de Tóquio em 2010. Em Toronto, nos Jogos Pan-americanos de 2015, conquistou a medalha de prata e em 2007 também garantiu a prata nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro.


Vela brasileira está entre os dez primeiros em cinco classes

Patrícia Freitas foi o destaque brasileiro no quarto dia de disputas na vela nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Nas três regatas realizadas na classe RS:X feminina, a atleta ganhou uma e terminou as outras em terceiro e décimo. “Fiquei satisfeita com meu desempenho e posso dizer que foi o meu melhor dia no campeonato. A medal race é ponto duplo, então dá uma bagunçada na classificação”.

Faltando apenas uma regata para a medal race, Patrícia está na quinta colocação, com 47 pontos perdidos. A liderança é da italiana Flavia Tartaglini, com 35, seguida da francesa Charline Picon e da russa Stefaniya Elfutina, ambas com 36, e da espanhola Marina Alabau, com 41.

Na 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan caíram da quarta para a nona posição. “A gente não teve um bom dia. Tivemos um cabo da retranca quebrado entre a primeira e segunda regata, que teve de ser consertado para continuarmos na prova. Além disso, o barco virou antes de largar, o mastro entortou e perdemos um tempinho para voltar. Mas ainda tem bastante regata pela frente”, disse Fernanda.

No RS:X masculino, Ricardo Winicki, o Bimba, ocupa a oitava posição após ser 21º na sétima e nono na oitava e nona regatas. Já Jorge Zarif, na Finn, ocupa o nono lugar após seis regatas. “Agora é tentar caprichar e ser consistente nas próximas quatro últimas, para chegar na medal race com uma pontuação boa”.

Nas três regatas da Classe Nacra, Isabel Swan e Samuel Albrecht chegaram em 17º na terceira regata, em nono na quarta e em segundo na quinta. A dupla ocupa o oitavo lugar. E na 470 masculino, Bruno Haddad e Henrique Bethlem terminaram na 23ª posição no geral.


Thomaz Bellucci e Marcelo Melo/Teliana Pereira estão nas quartas de final

A quinta-feira foi excelente para o tênis brasileiro nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Nas duas partidas realizadas hoje, duas vitórias. No início da tarde, Thomaz Bellucci venceu o belga David Goffin, 13° no ranking da ATP, por 2 sets a 0 (7/6 e 6/4). Depois, foi a vez da dupla Marcelo Melo/Teliana Pereira derrotar os franceses Nicolas Mahut/Caroline Garcia, também em sets diretos (7/6 e 7/6).

Com os resultados, o Brasil volta a alcançar as quartas de final na chave de simples masculina após 16 anos, quando Gustavo Kuerten foi derrotado por Yevgeny Kafelnikov em Sidney 2000. Nesta sexta-feira, Bellucci enfrenta o espanhol Rafael Nadal por uma vaga entre os quatro melhores. Já Melo e Teliana aguardam o resultado do jogo entre os britânicos Konta/Murray e Sock/Johnson para saber quem enfrentam nas duplas mistas, também nesta sexta.


Fratus avança à final dos 50m livre, e Thiago Pereira é sétimo nos 200m medley

A noite desta quinta-feira, 11 de agosto, começou de forma animadora para o Time Brasil no Centro Aquático Olímpico. Bruno Fratus melhorou sua marca em relação às eliminatórias, fez 21s71 e se classificou para a final dos 50m livre com o sexto tempo.

“A prioridade do dia era classificar para a final. Ter uma chance de nadar novamente em 24 horas dá um alívio, já que o resultado foi um pouco abaixo do que eu estava esperando”.

Por outro lado, os outros dois brasileiros que competiram nesta noite deixaram a piscina decepcionados. Ítalo Manzine fez apenas o 15° melhor tempo nos 50m livre: 22s05.

“Treinei da melhor forma possível a temporada inteira. Infelizmente, o esporte não é uma ciência exata, e o meu melhor tempo não veio. Voltarei a treinar para estar sempre me superando e participar de campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos, buscando uma medalha”.

Já nos 200m medley, Thiago Pereira teve a chance de trazer a primeira medalha brasileira na modalidade no Rio 2016, mas piorou seu tempo em relação às semifinais (1m58s02) e terminou em sétimo lugar.

“É duro olhar o placar e ver que o suficiente para a medalha era o tempo que você já fez várias vezes. Tentei o máximo. O cara lá de cima sabe o que faz. O Rio 2016 gerou um desgaste mental e físico desde Londres 2012. Nem sempre a gente ganha. Ter feito parte dessa geração foi único”.

Por fim, Thiago Pereira falou sobre sua torcida para que o Rio 2016 deixe um legado esportivo para o país: “espero que esse Jogos sejam um grande divisor de águas para todo o esporte nacional, que as crianças possam se orgulhar e, daqui a alguns anos, ver o quanto é importante representar o seu país”.

==> Foto: Jonne Roriz; Alaor Filho; Flavio Florido; e, Flavio Florido / Exemplus / COB

0 comentários:

Postar um comentário