Começa a caminhada do futebol masculino rumo ao inédito ouro olímpico

Em busca do único título que não consta em seu currículo, o futebol masculino brasileiro estreia nos Jogos Olímpicos Rio 2016 diante da África do Sul, nesta quinta-feira, dia 4, às 16 horas, no Estádio Mané Garrincha.  Cabeça-de-chave do Grupo A, formado ainda por Dinamarca e Iraque, o Brasil sabe que o resultado positivo no primeiro jogo é fundamental para adquirir mais confiança para a sequência da competição. As duas seleções mais bem classificadas em cada um dos quatro grupos avançam para a fase eliminatória da competição.

Na expectativa pela vaga de titular na equipe, o meia Rafinha não esconde que a inédita medalha de ouro é o objetivo do grupo. E revela qual o caminho para alcançar o tão sonhado lugar no topo do pódio. “Ninguém conquista nada se não trabalhar muito e se empenhar em campo”, comentou. “A oportunidade de disputar os Jogos Olímpicos será inesquecível, sobretudo por ocorrer no Rio de Janeiro”, completou.

Um dos três jogadores do time acima de 23 anos – os outros são Neymar e o goleiro Weverton, que substituiu Fernando Prass, cortado por contusão –, Renato Augusto considera a equipe pronta para a estreia e acredita que o favoritismo não atrapalhará os planos do Brasil rumo ao ouro. “A seleção brasileira sempre tem um certo favoritismo em todas as competições que disputa. Mas, dentro de campo, são 11 contra 11. Por isso, precisamos fazer valer esse favoritismo, trazer a torcida para o nosso lado e garantir as vitórias”, declarou.

Em que pese a pouca idade da maioria da equipe, Renato Augusto entende que não faltará experiência ao grupo. “Vários jogadores já atuam na Europa ou estão em fase de transferência”, justificou o meia. O treinador Rogério Micale não confirmou a equipe que mandará a campo para o primeiro confronto de sua equipe na Rio 2016. Mas a equipe mais provável é Weverton; Zeca, Rodrigo Caio, Marquinhos e Douglas Santos; Thiago Maia, Renato Augusto e Felipe Anderson; Gabriel, Gabriel Jesus e Neymar.

==> Foto: Rafael Ribeiro / CBF

0 comentários:

Postar um comentário