Música + no CCBB Brasília (programação até 21 de novembro)

Em 2016, o cantor Zé Renato completou 60 anos de vida e quatro décadas de trajetória artística. Compositor e cantor versátil e intérprete sensível, ao longo desse período, o músico inspirou seu repertório em diversas manifestações da canção, como o samba, a bossa nova, a MPB, a jovem guarda, o fado e tantas outras, revelando uma personalidade curiosa e atenta ao cotidiano, sempre absorvendo informações que sirvam de conteúdo para novas composições. Uma realidade, aliás, não apenas do dia a dia de Zé Renato, mas de quem tem a criação musical como ofício e vocação.

O projeto Música + parte dessa percepção para discutir como todo assunto, do mais prosaico ao mais complexo, serve como matéria-prima para o surgimento de uma canção. Mensalmente, até novembro, o Teatro 1 do CCBB Brasília receberá Zé Renato para mediar encontros no qual o cantor terá como convidados mais um músico e uma personalidade de diferentes áreas para discutir as infinitas possibilidades de diálogo entre música e temas como cinema, futebol, culinária, humor, meio ambiente, televisão, carnaval, infância, política e artes cênicas.

Depois da estreia em maio, o Música + segue por junho e julho com dois encontros por mês, sempre às quartas e quintas-feiras. Entre agosto e novembro, o projeto ocupará o teatro do CCBB uma segunda-feira ao mês. Todas as edições serão às 19h30. A entrada custa R$ 20 e R$ 10 (meia).

Em cena, serão apresentadas composições emblemáticas da música popular brasileira e também internacional que tenham em sua letra ou inspiração alguma conexão com a temática abordada em cada edição do projeto. Os participantes destacarão o contexto histórico e as curiosidades por trás dessas canções. “Serão conversas informais entremeadas por música, não descartando, inclusive, a participação do público”, adianta Zé Renato.

A programação contará com os cantores Danilo Caymmi, Eduardo Dussek, Pedro Miranda e Pedro Paulo Malta; as cantoras Nina Becker e Jussara Silveira; os jornalistas e biógrafos Ruy Castro e João Pimentel; a escritora Ana Maria Machado; o acordeonista e cantor Marcelo Caldi; o crítico musical Mauro Ferreira; o humorista, cartunista e músico Reinaldo Figueiredo; o ator e escritor Haroldo Costa; o chef de cozinha Thiago Castanho e o doutor em filosofia Henrique Lian, superintendente Executivo de Políticas Públicas e Relações Externas do WWF-Brasil.

Participaram dos encontros de maio o autor teatral Flávio Marinho, a cantora e atriz Soraya Ravenle, a jornalista esportiva Marluci Martins e o compositor Moacyr Luz.

Em 29 junho, o projeto abordará as relações da música popular brasileira com a culinária, em especial, na obra de Dorival Caymmi. Música e criança serão os temas de 30 de junho.

Música + foi concebido e tem curadoria de Zé Renato, curadoria assistente de Memeca Moschkovich e produção da Bendita Produções.


PROGRAMAÇÃO

29 de junho
Música + Culinária
Zé Renato com Danilo Caymmi e Thiago Castanho
Tema recorrente de várias canções de Dorival Caymmi, a culinária ilustra também situações pitorescas do cotidiano criadas por diferentes autores. Além dos clássicos de Caymmi, outros bons exemplos são “Feijoada completa”, de Chico Buarque, e “Cabritada mal sucedida”, de Geraldo Pereira.

Danilo Caymmi nasceu em uma das famílias mais musicais do Brasil: filho de Dorival e Stella, irmão de Dori e Nana Caymmi e pai de Alice. Nos anos 1980, passou a integrar a banda de Tom Jobim como flautista e cantor. O título mais recente de sua discografia é “Canta Dorival” (2015), disco em parceria com Bruno Di Lullo e Domenico Lancellotti.

Thiago Castanho comanda, ao lado do irmão Felipe, os restaurantes Remanso do Peixe e Remanso do Bosque, ambos em Belém do Pará. Formado em gastronomia pelo Senac Campos do Jordão, Thiago Castanho iniciou sua trajetória no restaurante dos pais. Seus pratos promovem o encontro dos sabores típicos da cozinha amazônica com modernas técnicas de preparo.


30 de junho
Música + Criança
Zé Renato com Marcelo Caldi e Ana Maria Machado
O universo infantil gerou uma infinidade de músicas maravilhosas, desde as cantigas de roda, passando pelos “Disquinhos”, de autoria de Braguinha, o LP e especial de TV “Arca de Noé” 1 e 2, de Toquinho e Vinícius de Moraes, o disco e espetáculo teatral “Os Saltimbancos”, de Chico Buarque, até o recente “Partimpim”, de Adriana Calcanhoto.

Marcelo Caldi é um dos maiores acordeonistas de sua geração, além de pianista, cantor, arranjador e compositor sinfônico. É um dos responsáveis pela revitalização da sanfona no cenário contemporâneo. Criou uma linguagem jovem e cosmopolita para o tradicional timbre sertanejo, passando por rock, jazz e música eletrônica, além de resgatar o antigo elo do instrumento de fole com choro, samba, pagode, valsa, salsa, entre outros. Em 2014, lançou o EP “Maré cheia, maré baixa”.

Ana Maria Machado é escritora e jornalista. Membro da Academia Brasileira de Letras.  Dirigiu o jornalismo da Rádio Jornal do Brasil por oito anos. Ganhadora de quase 50 prêmios no Brasil e no exterior, tem mais de cem livros publicados e quase 19 milhões de exemplares vendidos em 18 países. No ano de 2000 recebeu, pelo conjunto de sua obra, o prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura para crianças e jovens. Em 2001, ganhou o maior prêmio literário nacional, o Machado de Assis. 


27 de julho
Música + Política
Zé Renato com Pedro Paulo Malta e João Pimentel
O comportamento político e social da vida brasileira nunca passou impunemente pelo olhar crítico e satírico do compositor popular. Os versos de Noel Rosa, por exemplo, não poupam munição ao perguntar no samba “Onde está a honestidade?”. Da voz do morro surgiu “Opinião”, o grito libertário de Zé Keti. E Chico Buarque, diante das desigualdades sociais do país, compôs “O meu guri”, entre outras.

Pedro Paulo Malta vem de uma família musical, com avó e tios instrumentistas. Cantor, jornalista e pesquisador de música brasileira, em especial, o samba, ele lançou mais de dez discos, como artista solo ou em parceria.

João Pimentel é repórter do jornal O Globo desde 1995 e há dez anos é repórter e crítico musical do Segundo Caderno. É autor do livro “Blocos - Uma história informal do carnaval de rua” (2002) e da fotobiografia de Jards Macalé na série “Álbum de retratos” (2007). Dirigiu com Marco Abujamra o filme “Jards Macalé - Um morcego na porta principal”, ganhador do Prêmio Especial do Júri do Festival do Rio em 2009.


28 de julho
Música + Humor
Zé Renato com Pedro Miranda e Reinaldo Figueiredo
Fazer rir também é uma das funções da música popular brasileira. Noel Rosa, por exemplo, colocou algumas vezes sua refinada poesia a serviço do humor produzindo clássicos como “Gago apaixonado”. Outro ilustre representante da canção bem-humorada é Moreira da Silva.

Pedro Miranda é cantor e percussionista carioca com passagens por grupos que ajudaram a revitalizar o bairro da Lapa, no Rio de Janeiro, como Cordão do Boitatá, Semente, Anjos da Lua e Pé de Moleque. O sambista participou do elenco do musical “Sassaricando - e o Rio inventou a marchinha” (2011), fez a direção musical do espetáculo “Clementina, cadê você?” (2013), além de ter lançado dois discos solo, “Coisa com coisa” (2006) e “Pimenteira” (2009). Seu terceiro álbum, “Samba original”, sairá em breve.

Reinaldo Figueiredo é membro do grupo Casseta & Planeta e criador da publicação de humor “O Planeta Diário”, ao lado de Hubert e Cláudio Paiva, em 1984. Atualmente também faz cartuns para a revista Jazz+ e toca contrabaixo no quinteto Companhia Estadual de Jazz.


15 de agosto
Música + Carnaval
Zé Renato com Eduardo Dussek e Haroldo Costa
Despontaram no carnaval carioca alguns clássicos criados por João Roberto Kelly e Lamartine Babo que animam até hoje os foliões espalhados pelos bailes da cidade. Marchinhas como “O teu cabelo não nega” seguem fazendo parte das festas momescas. Na avenida, nomes como os de Silas de Oliveira e Dona Ivone Lara destacam-se entre os principais compositores de sambas-enredo.

Eduardo Dussek iniciou a carreira como pianista de teatro. Compôs trilhas para peças musicais e fez shows cult na segunda metade dos anos 70. Frequentava circuitos para lá de alternativos, do samba ao punk, até aparecer para o grande público no festival de 80, onde cantou de fraque e cueca a música “Nostradamus”, sobre o final dos tempos. A formação na MPB tradicional de Noel Rosa, a bossa nova, a tropicália e as marchinhas de Lamartine Babo e Braguinha não o impediram fazer rock. Desde então, o ecletismo, a irreverência, a teatralidade e o humor pontuam sua carreira, que também flerta com o romantismo e os clássicos da música brasileira.

Haroldo Costa é ator, produtor e diretor. Iniciou no Teatro Experimental do Negro, quando atuou na peça “O filho pródigo”, de Lucio Cardoso. De volta ao Brasil depois de viajar cinco anos pelo mundo com a companhia de dança Brasiliana, da qual foi um dos fundadores, diretor artístico e um dos bailarinos, foi convidado por Vinicius de Moraes, de quem tornou-se amigo em Paris, para protagonizar a peça “Orfeu da Conceição”. Alguns de seus livros sobre carnaval são referência no assunto, como “100 anos de Carnaval no Rio de Janeiro” (2001) e “Salgueiro - 50 anos de glória” (2003).


19 de setembro
Música + Ambiente
Zé Renato com Nina Becker e Henrique Lian
Preocupação mundial cada vez maior, há muito que a natureza vem sendo incluída na obra de importantes autores brasileiros. Entre eles, Tom Jobim intitulou um de seus discos com o nome de um pássaro, “Urubu”, e dedicou outras tantas canções ao assunto produzindo clássicos como “Correnteza” e “Águas de março”. Paulinho da Viola compôs o hino “Amor à natureza” e outros artistas, como Milton Nascimento e Gilberto Gil, são exemplos do engajamento na questão ambiental.

Nina Becker é cantora e compositora. Começou sua carreira com a banda Orquestra Imperial. Em 2010, lançou os discos “Azul” e “Vermelho”, que refletem uma visão contemporânea e plural de abordar a música brasileira, com influências que passam por samba, rock e MPB. Em parceria com Marcelo Callado, lançou em 2012 o álbum “Gambito Budapeste”, e, em 2014, “Nina Becker canta Dolores Duran”.

Henrique Lian é superintendente Executivo de Políticas Públicas e Relações Externas do WWF-Brasil, doutor em filosofia pela USP, mestre em História pela Unicamp e bacharel em Direito pela PUC-Campinas. Foi professor universitário nas áreas de Direito, Filosofia e Sociologia.


17 de outubro
Música + Televisão
Zé Renato com Jussara Silveira e Mauro Ferreira
A música popular brasileira nunca esteve tão presente na programação dos canais televisivos como na década de 1960. Festivais e programas de auditório como o Fino da Bossa, comandado por Elis Regina e Jair Rodrigues, foram responsáveis pelo surgimento de uma geração de ouro da MPB. Mais adiante, trilhas sonoras de novelas, como “O bem-amado” e “Pecado capital”, tornaram-se importantes veículos para a divulgação de compositores e interpretes até os dias de hoje.

Jussara Silveira tem sete álbuns lançados, e participou de vários discos de amigos. Seu disco mais recente é “Som e fúria”, de 2015, em parceria com Rita Benneditto. Apaixonada por canções, sabe ser vigorosa ou cool, ter leveza ou densidade, brincar ou ficar séria. Sua voz tem um timbre todo particular, que se molda expressivamente às mais diversas circunstâncias de letra e música.

Mauro Ferreira é crítico musical carioca, fã de cantoras, mas escreve sobre discos de vários gêneros e tons. Colecionador de discos, milita no jornalismo musical desde 1987. Assinou a coluna Estúdio, no jornal carioca O Dia, desde 1998 e é colaborador fixo da revista Rolling Stone desde 2007. Criou em 2006 o blog Notas Musicais, atualizado diariamente, porque acredita no ofício de escrever racionalmente sobre a mais emocional e bela das formas de arte, a deusa música. Em 2013, lançou o livro “Cantadas”, sobre 25 cantoras brasileiras.


21 de novembro
Música+ Cinema
Zé Renato e Ruy Castro
O encontro abordará canções marcantes que fizeram parte de trilhas sonoras do cinema americano e europeu, como “Moon River” (“Bonequinha de luxo”) e “Cheek to Cheek” (“O picolino”).

Zé Renato começou sua carreira artística participando de festivais. Em 1979, formou, com Claudio Nucci, David Tygel e Maurício Maestro, o quarteto vocal e instrumental Boca Livre, com o qual ganhou projeção nacional e gravou vários discos. Construiu sua carreira solo paralelamente ao Boca Livre, participando individualmente de vários projetos musicais. Suas canções “Pelo sim, pelo não” (com Claudio Nucci e Juca Filho) e “A hora e a vez” (com Cláudio Nucci e Ronaldo Bastos) foram incluídas na trilha sonora da novela “Roque Santeiro”. Em 1985, participou da trilha sonora da minissérie “O tempo e o vento” com as músicas "Rodrigo, meu capitão" e “Dona Bibiana”, de Tom Jobim. Ganhador em 2009 dos prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e Prêmio da Música Brasileira como melhor cantor, em 2016, Zé Renato completou 60 anos de vida e 40 de trajetória artística.

Ruy Castro é jornalista, tradutor e escritor brasileiro reconhecido pela produção de reportagens sobre cultura brasileira e pelas biografias de Nelson Rodrigues, Mané Garrincha e Carmen Miranda. Suas obras o consagraram como um dos escritores brasileiros mais respeitados da atualidade. Ruy Castro também é autor de ficções, como o livro de literatura juvenil “O pai que era mãe” e as adaptações para as histórias de “Frankenstein”, de Mary Shelley, e “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll.

SERVIÇO
MÚSICA +
Teatro 1 do CCBB Brasília (SCES Trecho 2)
Dias 29 e 30 de junho, 27 e 28 de julho, 15 de agosto, 19 de setembro, 17 de outubro e 21 de novembro.
29 de junho, quarta-feira, às 19h30: Música + Culinária – com Zé Renato, Danilo Caymmi e Thiago Castanho. 30 de junho, quinta-feira, às 19h30: Música + Criança – com Zé Renato, Marcelo Caldi e Ana Maria Machado. 27 de julho, quarta-feira, às 19h30: Música + Política – com Zé Renato, Pedro Paulo Malta e João Pimentel. 28 de julho, quinta-feira, às 19h30: Música + Humor – com Zé Renato, Pedro Miranda e Reinaldo Figueiredo. 15 de agosto, segunda-feira, às 19h30: Música + Carnaval – com Zé Renato, Eduardo Dussek e Haroldo Costa. 19 de setembro, segunda-feira, às 19h30: Música + Ambiente – com Zé Renato, Nina Becker e Henrique Liani; 17 de outubro, segunda-feira, às 19h30: Música + Televisão – com Zé Renato, Jussara Silveira e Mauro Ferreira; 21 de novembro, segunda-feira, às 19h30: Música+ Cinema – com Zé Renato e Ruy Castro.
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 12 anos
Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
A venda dos ingressos se iniciam dois domingos antes para os eventos da semana e podem ser adquiridos na bilheteria do CCBB de quarta a segunda, das 9h às 21h, ou pelo site www.ingressomais.com.br.

==> Foto: Daryan Dornelles

0 comentários:

Postar um comentário